Sinto tanta saudade de você, cara

06 setembro 2018

Não sei se você percebeu, mas estou tentando me acostumar a sua falta. A gente se separar foi inevitável, e às vezes parece que a vida nos obriga a dizer um adeus mesmo quando não queremos. E foi exatamente isso que aconteceu: cada um foi pro seu canto viver os seus próprios sonhos, e eu tentei de todas as formas te manter no passado, mas você nunca conseguiu ficar longe, não é? Mesmo morando a quilômetros de distância você sempre pareceu estar comigo, mesmo quando eu dizia que não merecia todos os esforços que você já fez pra me ver bem, com aquele sorriso tímido que cê tanto adorava e que fazia questão de ser o motivo por trás dele.

Se lembra de quando eu dormia sem querer em uma daquelas aulas chatas e você ficava me olhando como se isso fosse o seu hobby favorito da noite? Eu tenho sentindo tanta falta disso, principalmente de quando assistíamos aqueles documentários e você tocava minha mão de um jeito que me fazia se sentir tão bem ao seu lado, como se o restante não importasse tanto. Tinha vezes em que eu estava tão sobrecarregada depois de um dia cheio, e você estava lá, tendo a mesma rotina, e ainda assim me dizendo algumas coisas que me deixavam toda boba, porque era tudo o que eu precisava ouvir e você sempre tinha as palavras certas na ponta da língua.

Eu sempre entendia quando você estava tão cheio de preocupações, e quando não era o seu trampo, com certeza eram aqueles trabalhos que fazia da escola, ou as lições que os nossos professores passavam pro dia seguinte, e mesmo assim você nunca pensou duas vezes em me dar um pouquinho da sua atenção, mesmo que fosse só pra saber como eu estava, porque a maioria das pessoas não se importam com a resposta, mas com você eu fazia questão de derramar até mesmo os menores dos meus problemas só pra ouvir um dos seus conselhos que tanto faziam diferença na minha vida.

E acho que você deve ter perdido a conta de quantas vezes eu já te disse que você seria um ótimo psicologo, né? Mas é que você sempre foi o cara que entendeu as minhas dores quando o mundo só fazia questão de julgar, e me estendeu a sua mão até mesmo quando eu achava que era invencível e que poderia superar qualquer decepção sozinha, mas é claro que eu precisei de você pra continuar de pé quando a vida dava uma daquelas rasteiras inesperadas. E depois de tudo, esse cara que está sempre preocupado comigo continua sendo você, mas isso não impede que a saudade dentro do peito aumente, e ao invés de diminuir, ela só aumenta, porque você não ficou só no passado, até hoje é mais presente do que imaginei que seria, e não dá pra me ver longe de você, por mais que eu já tenha pensando que assim seria melhor. 

0 comentários:

Postar um comentário