Eu quero voltar pra casa

16 março 2017

Eu quero me encontrar no silêncio da noite e não ter medo do que pode vir. Do que sempre vem. Os meus fantasmas sempre me atormentam, me aprisionam em pensamentos negativos e provam que aqui dentro já não existe mais tanta coragem. Eu fecho olhos e me encontro agarrada a lembranças ruins, revejo todos os cortes, todas as marcas que meu corpo carrega. Bebo mesmo sem querer uma dose de solidão e desespero a cada tentativa vã de sair dessa bolha. É algo que me puxa, me empurra, me embrulha e não quer soltar. É feito chiclete que gruda na sola do sapato e incomoda, tira a paciência, que quanto mais se tenta tirar mas pegajoso fica. 

Eu quero voltar pra casa, respirar aliviado por saber que não estou só. Quero voltar ao aconchego dos braços de quem tanto me ama, dos abraços que me seguram, me protegem e me acalentam a alma. Quero refazer o percurso que me trouxe até aqui e descobrir em que esquina eu dobrei errado. O caminho parecia certo, mas as minhas certezas sempre tão incertas me levaram ao local errado. Não era aqui que eu deveria estar. Perdi muito de mim pelo caminho, vi o vento levar as verdades que eu jurava conhecer e me assustei quando percebi que eram mentiras disfarçadas.

Uma xícara de café preto bem amargo, por favor. Estou precisando acordar. Já não aguento mais todo esse frio, todo esse vazio que me cerca. Quero voltar ao início e encontrar meu coração que tanto se alegrava com as pequenas coisas, que acreditava que tudo era possível. Aquele ser que dava a cara a tapa, e lutava e amava com todas as forças. Que não tinha medo, que se jogava em mares profundos mesmo sem saber nadar. Quero voltar algumas quadras e te reencontrar, me fazer morada naquele corpo tão saudável, de mente e espirito, físico. Eu quero voltar a minha casa, me agarrar as boas lembranças e recomeçar mais uma vez.

O trem está de partida e me chama, dessa vez não posso perder a viagem. Só mais uma tentativa de fazer valer a  pena essa vida. Estou voltando para onde eu jamais deveria ter saído. Da minha casa, do teu coração, do meu lar, da minha fortaleza. Estou indo em busca da criança feliz, que se esconde debaixo de toda essa confusão, que se faz ainda pequena diante desse mundo gigante. Da menina que ainda se assusta com as pedras no caminho, mas consegue sorrir entre um tropeço e outro. Eu quero voltar pra casa... eu estou voltando pra você.

- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais:

2 comentários:

  1. "Uma xícara de café preto bem amargo, por favor. Estou precisando acordar. Já não aguento mais todo esse frio, todo esse vazio que me cerca. " achei tão lindo esse trecho, me identifiquei demais! Também quero muito reencontrar uma velha eu que tinha coragem de fazer as coisas acontecerem, não é fácil, mas aos poucos a gente chega lá.

    Bjs!
    31 de Março

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um pouco de paciência, silêncios e café nos ajudam a chegar lá. <3
      Fico feliz que tenha se identificado, não estamos sozinhos nesse caminho. Um beijão!

      Excluir