Últimos filmes assistidos #01

26 fevereiro 2017
Nada melhor do que aproveitar o tempo livre descobrir novos filmes para assistir. Eu sou aquele tipo de pessoa que vive fazendo listas com todos os títulos que me interessam para depois vê-los, mas que sempre vou acrescentando novas sugestões de filmes à medida em que vão me interessando. Dessa vez, fiz uma listinha com os últimos filmes que assisti, tanto na Netflix quanto no Cinemark, espero que vocês gostem das sugestões e que aproveitem o Carnaval de maneira consciente. 


Último filme da franquia, porém um dos mais aguardados pelos fãs, e não é à toa que sua estreia tenha sido um sucesso - na minha visão, é claro - apesar de todas as opiniões contraditórias, principalmente por aqueles que criticam o fato da história se distanciar bastante da história original representado nos jogos. Nesse último filme é contado o final da trajetória de Alice em busca de qualquer resquício de salvação que pudesse acabar com o vírus que se espalhou pelo mundo e dar uma nova chance para a humanidade.

A heroína precisa chegar o mais rápido possível ao local onde tudo começou antes que seja tarde demais e não haja mais possibilidade de salvação para o restante dos sobreviventes. Alice conta com a ajuda de uma antiga aliada, Claire Redfield, que não hesita em ajudá-la a chegar ao seu objetivo final. A produção conta com cenas de ação, sustos inesperados, e com um ambientação que mostra um planeta totalmente destruído e com milhares de zumbis invadindo cada canto do cenário.


Mad Max revela um mundo totalmente desolado, com enormes desertos e tempestades de areias, onde as principais riquezas que alguém pode possuir são água e combustível. Cidadela é uma área desértica comandada por Immortan Joe sob um regime totalmente injusto e autoritário, sendo ele capaz de aniquilar cruelmente qualquer obstáculo que o faça se sentir ameaçado, sem se importar com os sacrifícios que precisará fazer. A parte mais chocante do filme é o modo como as mulheres são tratadas por ele: como verdadeiros objetivos que apenas são utilizados para um fim, e um deles é usá-las para manter o consumo de leite, sendo totalmente bárbaro e cruel tratá-las como meras mercadorias e escravas de Immortan. Cansada de tanta injustiça, e indo em busca de liberdade e um lugar seguro, Furiosa resolve se rebelar contra a ordem imposta e parte em uma missão fugitiva com as mulheres que são mantidas como "propriedades" de Immortan.

É nessa fuga que Furiosa se depara com Max, que também havia escapado de ser utilizado como Bolsa de Sangue pelos "súditos" do vilão. E apesar da relutância de Furiosa em permitir que Max a acompanhe nessa longa estrada, ambos acabam se unindo para lutar contra o inimigo maior: Immortan. Furiosa é uma mulher corajosa, que luta independentemente do que possar acontecer, e em nenhum momento pensou em se render diante de tanta perseguição. Apesar do grande sucesso, o filme rendeu diversas opiniões sobre o discurso feminista apresentado da obra, e de um lado, estavam os homens usando o argumento de que essa visão de feminismo é uma ameaça para a masculinidades deles. Eu faço a mesma pergunta que uma outra blogueira fez: quem é que se sente ameaçado por ver tantas mulheres fortes lutando por sua liberdade? Será que a masculinidade dos homens é tão frágil a esse ponto? Fica o questionamento. 


E novamente a história me surpreendeu, bem mais do que o primeiro filme. Acredito que todos já tenham tido um primeiro contato com a produção ou com algum dos livros da trilogia, ou até mesmo seja familiarizado com a história de Anastasia Steele, que até então era uma jovem inocente que nunca pensou em se envolver emocionalmente com alguém até conhecer Christian Grey, um homem reservado, bilionário e inteiramente lindo, e sexy. 

50 tons mais escuros mostra como é a reconciliação de ambos após o rompimento por parte de Anastasia no primeiro filme devido a personalidade peculiar e os gostos excêntricos em relação ao sexo, algo que acabou se tornando uma novidade na vida de Ana, e um grande desafio também. Ela está disposta a tentar novamente, por isso dá uma segunda chance para Christian, que também se vê disposto a mudar o seu jeito, e o maior obstáculo para Ana é fazê-lo se abrir sobre o seu passado traumático e tudo o que ele precisou enfrentar para ser o homem que acabou se tornando, porém o amor pela jovem acaba se tornando mais forte que qualquer outra coisa que possa afastá-lo, até mesmo o seu passado. 


Sem Limites gira em torno de uma questão: o que os seres humanos seriam capazes de fazer se conseguissem usar 100% do cérebro? E ao longo do filme, encontramos uma resposta para esse questionamento através da história de Eddie Morra, um escritor que acaba passando por um bloqueio mental (falta de criatividade) ao começar a escrever o seu livro para entregá-lo no prazo, além disso, ele precisa enfrentar o término do seu relacionamento com Lindy. 

 Eddie se sente um total fracassado, porém apenas até se deparar com o irmão de de sua ex-mulher, que lhe oferece um novo tipo de droga. Apesar da relutância, no final ele aceita a amostra da droga chamada NZT, e tendo em mente que sua vida não poderia ficar pior, Eddie ingere a nova substância, e instantaneamente, os efeitos começam a surgir de imediato, sua concentração aumenta, ele consegue enxergar o mundo com uma visão diferente, com uma inteligência que passa da normalidade, ou seja, Eddie acessou os 100% da capacidade do seu cérebro, tendo todos os seus sentidos totalmente aguçados. 

Agora com todo esse poder alcançado, Eddie finalmente é capaz de trazer um rumo a sua vida, porém o que ele não sabia é que a droga trás alguns efeitos colaterais se o seu uso for interrompido, ou a sua ausência leva a morte ou causa danos reversíveis ao cérebro. Agora Eddie se vê diante de um problema ao perceber que seu estoque de NZT não durará para sempre, e que precisa encontrar uma alternativa para evitar sofrer as consequências da droga. 

0 comentários:

Postar um comentário