Um aviso pra você, querido 2017

02 janeiro 2017

E quem diria, você finalmente chegou. Não consigo acreditar no quanto doze meses pareceram se transformar em uma pequena eternidade pra mim, e até parece que vivi uma vida inteira em tão pouco tempo, mas agora que paro pra pensar, olhar pra trás, ou simplesmente refletir sobre todas as 52 semanas que precisei viver pra chegar até aqui, eu não sei o que falar da sua chegada. Mas agora que veio, que continue vindo devagar, sem apressar o que ainda nos espera. Não tô pedindo pra você ser perfeito, porque já entendi que 365 dias são repletos de feedback, que pelo menos sejam mais positivos do que negativos, mas tô torcendo pra que no mínimo seja intenso de um jeito que faça todas as memórias grudarem na gente e nunca mais irem embora. Talvez eu sinta muita raiva de você, talvez em algum instante desses doze meses eu chore feito uma criancinha, ou talvez eu tenha que ser forte quando o mundo inteiro ameaçar desabar sobre mim, e eu até entendo que você não veio pra brincadeira, não veio porque dessa vez vai ser mais fácil, talvez seja até mais difícil, mas eu não me importo de continuar te encarando de frente. 

Você veio no momento certo, sabe? Porque ninguém mais tava aguentando, e cê não faz ideia de quantas vezes precisei ouvir as pessoas criticando a sua demora, falaram que você tava demorando demais e que não viam a hora da sua chegada, enquanto outras não se cansavam de dizer que cê tava chegando rápido demais, e que ninguém mais era capaz de acompanhar o seu ritmo apressado, mas você tem que entender que ano passado foi um ano inteiro de crise, e não foi só na política ou na economia, mas sim na vida. Quem não foi atingido pelo mal humor de 2016 que atire a primeira pedra, mas eu digo por mim que foi uma cacetada atrás da outra, e depois vários pontapés no estômago quando achávamos que tudo estava se encaixando, quando tínhamos a certeza de que poderíamos nos equilibrar depois de uma pancada, mas quem disse que conseguimos nos manter de pé? 

Foi um ano de luta, e teve momentos em que a única coisa que passava pela cabeça era desistir, mas lá no fundo a gente tentou reunir todos os motivos pra continuar, porque não parecia certo que a única opção fosse jogar a toalha e se render. Teve vezes em que eu só queria continuar deitada e transformar aqueles 5 minutinhos em algumas horas só pra ver se assim eu conseguiria recuperar todas as minhas forças, mas parece que a bateria acabou se viciando, mas tudo porque 2016 não deu folga pra ninguém, não é? Mas a gente é brasileiro, e sabe como é, damos aquele nosso jeitinho, e é claro que as feridas de dois mil e dezesseis ainda não se curavam totalmente, e talvez elas continuem ardendo por um bom tempo, mas algumas coisas não se resolvem do dia pra noite ou em um passe de mágica, mas quem sabe não é um amanhã repleto de esperança a única coisa capaz de confortar tantos corações cansados. Dessa vez eu confio em você, mesmo que eu caía e continue no chão, vou achar um jeito de me levantar, porque você já veio com uma porcentagem muito grande de esperança. 

Já vou te tranquilizar dizendo que eu não tô esperando milagre algum, não precisa vir trazendo a realização de todas as listas de desejos que já fiz no começo de todos os anos, porque não é bem o que eu realmente quero, até porque sei que sonhos não caem do céu, e dessa vez não vou pedir uma chuva de ouro, e como já sei que o meu nome não está na lista de ganhadores da mega da virada, não vou começar o ano com vários zeros recheando a conta, mas quem sabe em dois mil e dezoito eu não tenha mais sorte na loto. Não vou colocar todos os meus problemas nas suas costas, dizendo que a culpa é sua, e que esse não é o meu ano, quem sabe o próximo seja, não vou te culpar pelas coisas que saíram da linha, porque só de saber que eu recebi a chance de recomeçar, pra mim já basta, e as nossas vitórias ou derrotadas dependem do quanto a gente está disposto a correr atrás, mas por favor, já que você chegou, vá com calma pra não atropelar ninguém. 

Não sei como vai ser daqui pra frente, mas tudo o que eu quero é ser forte pra ir atrás do que faz bem, não desistir de ir à procura do que enche a alma de paz, quem sabe até me estressar menos, e chorar menos também, porque eu só quero chorar nos momentos de felicidade e evitar todos os instantes de tristeza, mas eu sei que vão existir, mas que eu também seja forte pra lidar com todos eles. Tô torcendo pra esse ser o nosso ano, que todas as promessas não fiquem só nas palavras ou dentro da gaveta escritas num pedaço de papel, que esse ano a gente finalmente aprenda que só depende de nós, e que o poder de transformação é nosso, e que a revolução não é algo místico, mas sim algo que acontece quando transformamos nossas atitudes mais simples em ações grandiosas, só assim pra gente mudar. 

Que os astros estejam certo e você seja o começo de uma nossa história com páginas em branco, porque assim é possível escrever todos os capítulos e mudá-los, e mesmo que não dê pra voltar atrás, que pelo menos a gente possa aprender onde errou, porque tudo o que importa é que a gente chegue no último dia de dezembro e lembre com carinho de todas as coisas que realizamos e sentimos. Aposto que você tá vindo com uma mala cheia problemas pra serem resolvidos, mas pode ter dificuldade também, da mesma maneira que pode ter algumas pedras na metade do caminho, porque de vez em quando algumas brigas acabam nos fortalecendo, mas por tudo que há de mais sagrado no mundo, não me venha com um temporal, ou desastre natural. Por favor, sem muitos impactos. Quando você já estiver se sentindo em casa e familiarizado com tudo, seja a resposta da minha fé, seja a resolução de alguns quebras-cabeças que a gente não consegue montar, seja a paz de uma noite pra quem não consegue dormir, seja a tranquilidade pra quem anda cansado. Eu vou manter o pensamento positivo sobre você, porque sei que você não vai decepcionar. 

2 comentários:

  1. "que esse ano a gente finalmente aprenda que só depende de nós, e que o poder de transformação é nosso", esse trecho resume bem o que eu falaria sobre ano novo. Que estejamos dispostas a largar os velhos hábitos, que não venhamos a cometer os mesmos erros, que junto a esperança que esse novo ano nos traz venha a vontade de fazer valer a pena cada tentativa, cada queda, cada machucado, cada aprendizado. Que 2017 venha com calma, que nos traga paz e muita lembrança boa. Adorei toda essa reflexão e mais uma vez fico sem palavras. Muito sucesso Lua <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da reflexão, Vic. É sempre um prazer imenso compartilhar meus pensamentos aqui no blog, e sobre esse novo ciclo que se iniciou, tenho certeza que será um ano repleto de aprendizagem, de descobrir coisas novas, reinventar os velhos hábitos <3 desejo o mesmo sucesso pra você, linda.

      Excluir