Ela foi embora sem aviso prévio

09 janeiro 2017

Em menos de um segundo, a ouvi dizendo que acabou, mas não foi naquele tom de brincadeira no qual costumávamos brincar e logo em seguida riamos até não aguentarmos mais. Definitivamente, esse me machucou mais do que qualquer outra palavra que eu já tenha ouvido. No instante em que a vi partindo, era como se ela estivesse levando um pouco de mim também. 

Senti uma vontade incontrolável de chorar quando na manhã seguinte não a vi do meu lado. Doeu ainda mais quando percebi que não havia mais nenhuma mensagem dela na caixa de entrada. Atualizei minhas redes sociais a cada segundo só para ter certeza de que ela não estava digitando, mesmo que fosse uma pergunta boba ou um texto dizendo que sente muito por ter ido embora, mas até agora eu só consigo sentir o vazio que ela deixou aqui no peito. 

Não consigo evitar, mas eu ainda me lembro das vezes em que a encontrava na manhã seguinte, como se fosse a primeira vez, porque meu coração ainda batia acelerado toda vez que ela vinha, a observava vindo em minha direção como se eu pudesse decorar o jeito dela de andar. Logo depois, eu sentia em meu rosto as suas mãos macias, e ela me beijava, e eu me sentia mergulhando em um espécie de paraíso toda vez em que tocava aqueles lábios. Eu sempre queria mais. Senti-la cada vez mais em meus braços, gravá-la na memória pra nunca mais esquecê-la. 

Mas agora doí não fazer nada disso. Já percebeu como os momentos mais intensos que vivemos são sempre os mais difíceis de serem esquecidos depois que acabam? Falaram pra mim que o tempo cura todas as feridas, mas todos os machucados que tenho espalhados pela alma continuam ardendo sem folga. Já não posso remendar meu coração com curativos, ou substituir os pedaços de mim que ela levou com qualquer outra coisa que faça sentido, porque não existe nada além dela na minha vida que faça mais sentido. 

As lembranças são quase tudo o que me restam, mas não são o suficiente pra diminuir a saudade que sinto dela, porque em cada detalhe é como se eu a sentisse novamente. Quando acordo e vejo o pôr-do-sol pela janela, ou quando chove, e as gotas batem no vidro do ônibus, ou quando aquela nossa música favorita toca na rádio. De vez em quando eu me sinto como uma criança que olha as estrelas e sabe que nunca poderá tocá-las. 

2 comentários:

  1. Que texto incrível, Luana. De verdade, amei cada palavra e frase.
    É uma pena que acabou, dá para sentir claramente o quanto ele sente falta dela.
    "Já percebeu como os momentos mais intensos que vivemos são sempre os mais difíceis de serem esquecidos depois que acabam?" Sim, isso é verdade. Já quero essa frase em todos os cantos do mundo, viu?
    Achei tão maravilhoso como você simplificou tudo o que ele sentia no final, quando ele diz que sente como uma criança que olha as estrelas e sabe que nunca poderá tocá-las.
    Ah, sou apaixonado nos seus textos. Me espere por aqui sempre, viu?

    Gabriel - Rascunhos de Tom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, que incrível ler um comentário como o seu por aqui. É um texto que expressa claramente o sentimento de querer valorizar apenas depois que perde, depois que não há nenhuma chance para consertar o que realmente aconteceu, e é preciso seguir em frente, mesmo que seja difícil nos primeiros dias.
      Obrigado pelo carinho que você deposita no blog, não imagina o quanto significa para mim <3 beijos.

      Excluir