A gente se vê por aí

03 janeiro 2017

Já faz algum tempo que eu não te chamo em nenhuma das minhas redes sociais, e eu deveria até ter te bloqueado em cada uma delas, mas toda vez que vejo uma daquelas suas fotos e um daqueles seus sorrisos pelo qual me apaixonei tantas vezes, não tenho coragem de te apagar totalmente da minha vida. Meu peito doí só de tentar te esquecer. Também não exclui seu número da minha agenda, e todos os registros das ligações que fizemos estão no celular, porque simplesmente não dá pra te evitar e fingir que a gente nunca se esbarrou por aí.

Sei que não deu certo por várias razões, e que é possível fazer uma lista com todas as nossas falhas, mas o nosso erro foi não ter tentando mudar. Insistimos em deixar tudo como estava, e vivíamos dizendo que era só mais uma briga, e que na manhã seguinte estaríamos bem novamente, mas a verdade é que a maneira como lidávamos um com o outro acabou fazendo o nosso sentimento se esgotar aos poucos, e eu quase não percebi o jeito como eu e você nos afastávamos cada vez mais, era como se estivéssemos voltando a sermos os meros desconhecidos que um dia fomos.  

Queria voltar no tempo e desfazer todas as palavras que disse sem pensar, mas agora é tarde demais pra apagar tantas conversas. Agora eu entendo porque dizem que palavras são como flechas, mas o que não consigo compreender é porque fiz o seu coração de alvo sem ter a menor intenção de te ferir, e no final fui eu que acabei mais machucada. Uma parte de você sempre foi mais forte do que eu, por isso eu tenho certeza que as suas feridas cicatrizaram mais rápido do que as minhas, que por sinal, continuam aqui, no mesmo lugar. 

De vez em quando eu ainda tenho notícias suas, e na maioria das vezes sou pega desprevenida com cada uma das coisas que me falam de você. Não há ninguém que escape das fofocas, mas eu queria não ter ouvido que você começou na academia semana passada, e que fez sua matrícula na faculdade dos seus sonhos, porque doí demais saber que não vou estar do seu lado pra comemorar nenhuma das suas conquistas, e não estarei presente quando alguma coisa sair do controle. Ainda estou tentando me acostumar a sua ausência, mas é difícil te ver longe e ao mesmo tempo sentir que você está tão perto de mim, do mesmo jeito intenso que você já esteve comigo um dia. 

Até hoje tô me perguntando se você sente a minha falta, ou se desde quando fui embora cê tem a impressão de que existe um vazio no lugar que eu costumava ocupar, porque pra mim parece que existe um buraco maior do que a saudade que você deixou. Será que em algum momento do teu dia, ou da sua noite, você já pensou em mim? Será que você já me viu online e teve que segurar a vontade de mandar um oi ou simplesmente perguntar como tenho estado nos últimas dias? Algumas vezes pensei em te escrever, e até comecei com um texto breve, mas eu desisti antes de apertar enviar. Talvez algum dia, a gente ainda se esbarre por aí, quem sabe. 

2 comentários:

  1. Lu minha linda.
    Esse texto foi de tirar o fôlego, sua escrita é perfeita.
    Bom... Eu acho que você conseguiu descrever nesse tecto a realidade de muitas pessoas. Muitas vezes isso acontece e nunca saberemos se a pessoa sentiu aquele vazio, muitas vezes sabemos que a vida do outro andou mais rápido do que a imaginava e isso faz doer ainda mais.
    O importante é seguir a vida tentando levar somente as boas lembranças ae deixando o que foi triste o tempo levar.
    Beijocas.


    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa, fico feliz que você tenha gostado do texto, e é incrível saber a sua opinião sobre o meu jeito simples de escrever. Sobre o texto, você descreveu exatamente o que acontece na vida de uma pessoa que vive essa realidade, e por mais triste que seja, o importante é seguir em frente, e não desistir de buscar novos caminhos, só assim para tornar o coração e a alma mais leves. Beijos. Volte mais vezes <3

      Excluir