Quando decidi colocar um ponto final na nossa história

07 dezembro 2016

Não faço ideia de quantas já caíram no seu jogo, e nem tenho a intenção de saber quantas você já conseguiu enganar e fisgar com tantas palavras sussurradas no ouvido sobre promessas que nunca seriam cumpridas, porque é impossível pra você torná-las realidade com toda a situação que vive jogando pra debaixo do tapete. Um dia, as suas mentiras se voltarão pra você, não tô fazendo nenhuma macumba pra isso acontecer, mas o universo é justo, sabia? Quando você achar que conseguiu fingir que tudo bem me enganar e contar algumas mentiras pra ela, o mundo vai dar algumas voltas até você cair na real e perceber que não se brinca com dois corações. 

Mas você conseguiu perfeitamente fazer o meu se prender ao desejo de ter um futuro ao seu lado, quando na verdade, essa era maior mentira na qual já acreditei. Eu nunca quis cair nas coisas que você me contava de que nascemos um pro outro, que somos quase como almas gêmeas que o destino deu um jeitinho de unir novamente, e pra mim, éramos tão parecidos e formávamos um casal quase perfeito que não importava se a nossa relação era um erro, porque você dizia com toda a convicção do mundo que um dia seriamos apenas nós, e eu sempre acreditava, até mesmo quando você estava com ela e pedia pra eu esperar mais um pouco. Aquele sentimento que começou a crescer no peito toda vez que você me olhava como se pudesse perfurar a minha alma tava me consumindo de uma maneira tão descontrolável que eu não conseguia entender quem era o mais errado da história, se era você, por mentir na maior cara de pau pra ela, ou eu, em permitir que você se aproximasse tão facilmente de mim carregando um sorriso tão meigo nos lábios. 

Talvez no fundo eu até soubesse que era mais uma de suas farsas, que todas as palavras que saiam da sua boca eram mentiras deslavadas que ninguém em sã consciência poderia ser capaz de acreditar, mas você conseguiu me tirar do eixo até não conseguir pensar direito, até perder o controle sobre as minhas próprias decisões, porque quanto mais eu tentava me afastar de você, mas percebia que não tinha forças o suficiente para resistir ao seu efeito sobre mim. Eu até tentei colocar um fim nessa coisa que nós tínhamos, nessa história que eu queria tanto viver mesmo sabendo que era impossível e que acima de tudo era um erro, mas você não estava disposto a desistir tão fácil desse jogo que criou, porque era do seu interesse ter duas bocas pra beijar, dois corpos pra se deleitar, e nessa brincadeira, fui apostando cada vez mais alto que um dia teria espaço pra mim aí na sua vida, que talvez um dia eu estivesse ocupando o lugar dela, mas tudo o que eu poderia ter feito era ter dado as costas e gritado um adeus até os pulmões não aguentarem mais, só que eu me fiz de vítima e continuei. 

Continuei por que eu achava que sem você eu não seria capaz de ser eu mesma, que sem a atenção que você me dava eu poderia morrer pela falta de amor, mas tudo o que nossa relação nunca teve foi amor, porque não se constrói amor na base da mentira, mas eu tava cega e não consegui enxergar isso. Preferi aceitar algumas migalhas do que morrer com um vazio gigantesco na alma, vazio que só você foi capaz de preencher, por isso parecia que te deixar ir me deixava tão doente a ponto de não sobreviver, mas a verdade é que meu coração não sobreviveu. 

Você era uma doença que tava se impregnando cada vez mais fundo, até o dia em que te coloquei pra fora de mim como se tivesse arrancado as partes mais sensíveis do corpo. É que foi necessário cair fora antes que eu me machucasse ainda mais, foi preciso colocar um ponto final, porque você nunca escolheria uma de nós, e eu sempre seria a segunda-opção, aquela que você procura quando as coisas aí na sua vida estão saindo do controle, e uma hora ou outra eu ia entender que você não merecia nenhuma de nós e nenhum tipo de amor que pudessem te oferecer, e não é à toa que ela também te deixou por estar tão cansada de insistir em algo que talvez não tivesse nem futuro, mesmo que ela não soubesse da nossa relação proibida. Ela fez bem, e eu também fiz um bem danado pra mim quando valorizei a primeira oportunidade de me afastar, mas você, bom, não posso dizer o mesmo, né?

2 comentários:

  1. Aquele texto que representa umas das fases mais ruins da minha vida. Eu abri mão por que não valia a pena continuar rastejando atrás de alguém que nunca mereceu meus esforços, meu amor. Vez ou outra ainda sinto doer, a ferida ainda não cicatrizou completamente. Mas um dia sara.
    Passando apenas para ressaltar o quanto amo teus textos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Vi, como é maravilhoso saber que você acompanha os textos, isso é mesmo incrível. E sobre o que escrevi, é realmente ruim quando a gente insiste em algo que não vai mudar, e sacrificamos um tanto absurdo de nós só pra caber na vida de alguém que talvez não mereça nada do que façamos. Beijos.

      Excluir