A última carta que ela me escreveu

29 dezembro 2016

Provavelmente esta vai ser a última, e peço desculpas por escrevê-la tão de repente e depois de ficar tanto tempo ausente, e apesar de não ter dado certo a minha tentativa de organizar cada desarrumado da minha vida, eu tomei coragem o suficiente pra me despedir e dizer adeus pro restante do mundo. Mesmo que doa em você e te machuque, espero que entenda a minha decisão de deixar tudo pra trás. 

Já estou conseguindo imaginar a sua cara de zangado agora, dizendo consigo mesmo que eu deveria ser mais forte, mas cê acredita que em todos os dias eu tentei ser? Eu nunca quis cair sem lutar, mas hoje venho falar da minha última queda, do meu último suspiro, e da minha última gota de sangue. Você me convenceu a não acreditar nessa coisa de destino, mas eu tenho certeza que algumas pessoas não nasceram pra experimentarem a felicidade, por mais que tentem, ainda sentem a alma erroneamente vazia, já eu sinto que tem um buraco enorme no meio do peito, um abismo que parece me engolir a cada segundo, mas eu não sou de ferro e por isso não consigo continuar fingindo. 

Eu te contava todos os meus problemas como se estivéssemos em uma sessão de terapia, e você sempre dizia que com o tempo tudo iria passar, que era uma questão de saber esperar todas as minhas cicatrizes se fecharem por completo e tudo voltaria ao normal, tem certeza que era só esperar? Porque até hoje, nunca passou. Me lembro de todas as vezes em que engoli a dor no meio da noite pra acordar na manhã seguinte com um falso sorriso no rosto, e dizer o quanto eu estava bem, sendo que por dentro a minha alma estava morrendo. 

Quando chegava em casa, eu me trancava no quarto e lia. Lia até a minha cabeça começar a doer e os meus olhos se cansarem, mas pelo menos eu conseguia fugir, porque qualquer realidade parece ser melhor do que a história que tenho vivido. 

Descontava em mim cada decepção do meu dia, cada falta que eu sentia depositava nas minhas costas como se qualquer peso pudesse me esmagar a qualquer momento, porque talvez assim fosse mais fácil, talvez assim eu não tivesse que fingir um sorriso ou toda vez esconder a minha bagunça. É claro que eu tive em você um porto-seguro, um ombro pra chorar, um alguém pra me ouvir, mas de repente, em uma manhã, eu cansei de tudo, porque a dor não estava diminuindo, e eu já não aguentava suportá-la por nenhum segundo a mais. A dor já era um vício, e eu comecei a me odiar ainda mais por senti-la, porque parecia que a culpa era minha. Eu era um imã que só atraia problemas, e e ninguém era capaz de me tirar desse fundo do poço, nem mesmo você, com todas as suas tentativas. Ninguém

Eu morria um pouco todos os dias esperando um abraço, um carinho, ou uma simples palavra, coisas que eu nunca tive, mas que acabei tendo esperança de que poderiam me salvar. E toda essa falta me mudou de um jeito ruim, porque eu precisei me acostumar quando tudo o que eu queria era morrer. Mas o abismo não chegava, ainda parecia distante, ainda estávamos separados por algo que eu não entendia, um abismo onde meus sonhos e esperanças foram largados, o abismo onde não existia vida e nenhum resquício dela, até em uma manhã em que eu decidi me jogar nele. Eu nem sei por onde começo a te pedir desculpas, nem sei se um dia será capaz de me perdoar, talvez você me julgue até quando eu não estiver mais aqui, mas a verdade é que eu cansei, e quando a gente cansa, a gente também faz uma pausa pra recuperar o fôlego. 

Enfim, essas são minhas últimas palavras. E os próximos minutos são tudo o que ainda me restam, porque a minha alma já foi há muito tempo, e agora só falta o corpo. Queria poder ver a cara de todas as pessoas que duvidaram de mim, daqueles que falaram que eu não teria coragem o suficiente, mas quando olharem pro meu rosto, por favor, não quero que digam que eu fui uma boa pessoa, porque eu falhei, mas digam que eu fui uma garota forte, porque durante toda a minha vida foi tudo o que eu tentei ser. 

Até o dia em que cansei, 
Com amor, sua melhor amiga.

Onde mora a felicidade?

27 dezembro 2016

Descobri que a felicidade não mora na viagem mais cara que eu fiz ou nas roupas de marca que comprei. A dita felicidade mora no abraço da minha mãe, em seu colo onde faço morada nos dias de tristeza. Acostumei-me a acreditar que seria feliz apenas se pudesse viajar o mundo inteiro ou comprar o celular mais top de linha (sim, eu usei a palavra top, me julguem). Puro engano, descobri meio sem querer que ser feliz vai muito além de dinheiro e objetos, é sentimento, estado de espírito, coisa que dinheiro não pode comprar, pelo menos não de um todo. Felicidade é acordar às seis da manhã com cheirinho de café sendo feito, é receber um bom dia sincero de alguém especial, é dormir recebendo o carinho do seu animal de estimação, é ser amado sem exigir, sem mendigar.

Dizem que felicidade é sorte, mas não concordo totalmente. Sorte é achar uma nota de cem reais no caminho de volta para casa ou quem sabe ganhar na loteria, talvez encontrar o amor da sua vida na fila do banco, essas coisas bem difíceis de acontecer. Felicidade é algo mais simples, que raramente conseguimos enxergar em uma única olhada. É aquele bilhete de agradecimento pelo jantar da noite anterior, é um sorriso correspondido, um olhar sincero. É andar de mãos dadas no parque à tarde, sorrir com o canto dos pássaros, tomar banho de chuva, pular em poça d'água, comer aquele pão quentinho que acabou de sair do forno. Felicidade é tudo aquilo que nos faz se sentir bem, tem inúmeros significados e nem um deles é capaz de englobar toda a sua grandeza.

Felicidade mora aonde a gente quiser. No abraço de despedida por saber que seu amor vai embora, mas tem data para voltar. Na batida descompassada do coração a cada entrelaçar de dedos. A cada meta sendo riscada da lista. A cada página virada. A cada recomeço. No sono tranquilo de todas as noites. É ter amigos que te amam independente das tuas escolhas. É sentar ao lado dos avós e não cansar de ouvir as histórias de sempre. Felicidade é sorrir sem precisar de muito, basta o vento frio balançando os cabelos, a lua iluminando o chão, uma xícara de chá sendo compartilhada. Se me perguntarem: onde mora a felicidade? Insisto em responder que talvez more em cada amanhecer ou apenas na chance de tentar todos os dias.

- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais:

Obrigado por finalmente ter ido embora

25 dezembro 2016

Eu fiz uma lista com todos os motivos que me fizeram te amar demais, e uma outra com todas as razões que te fizeram ficar e virar o meu mundo de cabeça pra baixo até eu não me reconhecer, porque de um tempo pra cá, eu meio que perdi a minha identidade. Tive que sacrificar tantas coisas só pra ter um espacinho pra você entrar na minha vida, e é claro que deu certo até eu começar a sentir todos os efeitos colaterais. 

Me arrependi de todas as vezes em que precisei dizer sim quando tudo em mim queria dizer não, mas eu não tive coragem o suficiente pra ignorar suas vontades, mesmo que isso significasse me deixar em segundo plano e esconder todos os meus anseios dentro de uma caixa de sapato na última gaveta do guarda-roupa, eu precisava tanto de você que todo o resto perdeu a graça, e cê era o único que poderia trazer um pouco mais de cor ao meu mundo, mesmo que pra isso tivesse que me deixar vivendo dentro de um filme preto e branco como antigamente. 

Te amar tanto mudou a minha vida. Mas eu ainda não faço ideia se foi pra melhor ou pior. Pela quantidade de lágrimas que você me fez derramar e por todas as vezes em que fiquei acordada a madrugada toda tentando descobrir se foi no tom do batom que errei ou na cor do vestido, eu tenho quase certeza que parei de ser feliz depois que você entrou na minha vida, porque eu queria tanto que cê continuasse fazendo parte de mim, que não me importei com o fato de não ser o cara certo, e no fundo eu também sabia que nunca poderia ser. 

Eu me lembro daquela vez em que jurei que lutaria por você, para darmos certos mesmo que o universo inteiro fosse contra esse nosso lance, mas todos sabiam o tipo de cara que você era e ninguém fez questão de alertar a garotinha inocente de que ela não teria chance de fazer parte do seu futuro, porque cê não tinha pretensão de pensar em um antes dos vinte e cinco anos, e eu aqui, pensando no mome dos nossos filhos. Eu tive tantas esperanças de que com você eu havia encontrado o amor novamente, mas eu me enganei. 

Uma parte de mim já não aguentava reviver tanta dor de cabeça, meu coração já não suportava cada batida tendo a impressão de que você era mais importante que o próprio oxigênio. Lutei tanto que minhas forças acabaram se desintegrando, e até agora não consegui encontrar um carregador que pudesse recuperar todo esse esforço gasto com alguém que não merecia o meu tempo. Quando você foi embora, é claro que doeu muito, é claro que machucou, mas eu voltei a tentar me amar outra vez, amar todos os defeitos que você colocou em mim, também consegui tempo pra colocar a cabeça no lugar e ignorar todas as vezes em que você me mostrou que eu precisava mudar a cor do cabelo, do esmalte, o tamanho do salto, só porque você não estava satisfeito com o meu jeito de ser, mas obrigado por ter me ensinado que não preciso ser como todo mundo quer que eu seja, obrigado por finalmente ter ido embora. 

Ele veio com a promessa de ficar, e ficou

22 dezembro 2016

Quando você apareceu, tava chovendo muito por aqui. Era uma tempestade que não tinha fim. O céu era sempre o mesmo tom preto e branco, sem muita expectativa. Nada me surpreendia e nem dava aquele gostinho de querer sair por aí explorando cada canto do mundo como se fosse possível renascer de novo em qualquer esquina da cidade. Não havia muito pra mim naquele lugar. Você apareceu e então comecei a acreditar que sempre estive no lugar certo. 

Você não só apareceu quando eu menos esperava, mas veio quando o mundo não parecia ter aquele significado a mais que a gente sempre procura depois de assistir um filme romântico, ou ouvir aquela trilha sonora sobre duas pessoas que se apaixonam. Até contos de fada começaram a fazer mais sentindo quando você apareceu na minha vida. Me descobri logo depois que uma parte de você decidiu ficar e me fazer companhia até o fim de uma tarde de domingo. E aquele céu escuro de setembro se transformou em um horizonte repleto da essência que você deixou em mim. No meio dos seus abraços e beijos, nada me importou além do fato de sempre querer estar contigo. 

Não escrevi um romance sobre quando nos conhecemos, e não compus uma música falando sobre os nossos dias juntos, mas se você conseguir fragmentar os meus textos, vai perceber que sempre esteve presente em cada uma dessas linhas, porque você é feito chiclete: grudou em mim de um jeito impossível de arrancar. 

Antes de você, eu era uma garota normal, sem nada pra mostrar ao mundo. Sabe aquele pote no congelador que você acredita que é sorvete, mas que quando abre vê que é feijão? Minha vida costumava ser assim. Dava ao mundo essa falsa esperança, mas no final o conteúdo acabava decepcionando bem mais. Até que me encontrei no calor dos seus braços em uma noite fria de inverno e percebi que você me fez descobrir as melhores coisas que existiam em mim. Acreditei que eu não era tão normal assim, que dentro do peito existia um universo infinito para ser explorado. Me descobri poeta quando você transformou a minha alma em jardim de sentimento. Virei poesia quando você confiou na minha capacidade em colorir o preto e branco do meu céu, pedacinho por pedacinho até só existir espaço pra mim e pra você. 

Aprendi ao seu lado que não existe graça em ser normal, que a felicidade mesmo está na loucura dos corações que batem em sintonia, nas distancias que não destroem relacionamentos, nas brigas que não colocam fim ao amor, na paixão que dura a vida toda; é, você me fez entender que meu lugar era aqui, mesmo que fosse debaixo de sol ou chuva, sob tempestade ou garoa. Se é pra continuar te amando do jeito que me vi cultivando todo esse amor, então só nos dois importa, e mais ninguém. 

Eu já não sou tão inocente

21 dezembro 2016

Eu até já perdi a conta de quantas chances eu te dei. Foram tantas oportunidades pra consertar os seus erros que eu sem querer acabei fazendo o papel de idiota dessa história, e olha que no fundo eu sabia que você nunca iria mudar, porque eu juro que tentei te dar todos os motivos do mundo pra você abraçar esse sentimento de corpo e alma, mas você me tratou como se eu fosse um pião do seu jogo de tabuleiro, parecia que eu era só mais uma peça descartável pra você.  

Chegou uma hora em que eu já estava exausta de presenciar o seu desinteresse, e nunca esteve nos meus planos ser segunda opção de alguém, nem mesmo do cara que eu me apaixonei antes de saber que ele era mais uma escolha errada na minha vida. Você não sabe o quanto sinto o meu sangue ferver sempre que me lembro daquelas vezes em que você prometia que passaria na minha casa depois do trampo, mas preferia estar com os seus amigos ao invés de dar preferência a sua namorada, porque pra você eu não era boa o suficiente para estar na sua lista de prioridades. 

Eu era tão idiota que não pensava duas vezes antes de te dar toda a atenção do mundo, enquanto você não podia nem se quer dar um minuto do seu tempo pra saber como eu estava. Quando você batia na minha porta eu jamais me recusava a abrir, eu era a garota que sempre estava de braços abertos pra te aceitar novamente, era eu a menina inocente que se calava pra ouvir o seu choro quando o mundo inteiro te dava as costas e você se sentia sozinho e perdido. Quando ninguém mais quis ficar, eu continuava do seu lado, esquecia os seus erros e as suas imperfeições, e me deixava ficar pelo tempo que fosse, até você estar novinho em folha outra vez. Eu era o seu porto seguro quando você achava que era convincente, porque na maioria do tempo cê tava racionando minha presença na sua vida. 

Mas a verdade é que você nunca me quis nela. Ouvia você falar que estava em uma fase complicada, que a sua vida não estava fácil, que não estava pronto pra começar algo tão sério e pedia para eu esperar um pouco mais, e eu sempre aceitava com a maior paciência do mundo, porque eu acreditava que você também estava com um pouco de medo, que você só queria ter certeza do que sentia por mim antes de mergulhar de cabeça em algo tão incerto. Eu era tão inocente que não conseguia ver que você nunca me quis da maneira que eu tanto te desejei. Me fiz tantas vezes de cega só pra não ver o quanto você me tinha na mão e mesmo assim fez tanto pouco caso de mim. 

Agora eu tô abrindo mão de você, tá? Já não me interessa saber qual a sua cor favorita ou qual seriado você costuma assistir com mais frequência, e nem qual é o seu lanche preferido do McDonald's. Como eu tô desistindo de você, já não me importo em saber todos os detalhes da sua vida quando a minha é tão pouco importante pra você. Quando eu já estiver desintoxicada de você, e amando outro cara com a mesma intensidade que um dia já pensei em te amar, não me venha com ligações, recados, cartas, não me venha com a cara de pau falando que se arrependeu, que precisa de uma segunda chance pra mostrar que mudou, porque eu já te dei todas a chances que podia, também não me venha dizer que depois que fui embora entendeu que me perdeu de vez, não me peça pra ficar, porque eu não já não sou tão inocente como era. 

Eu te amo, mas não vou ficar

19 dezembro 2016

Eu te amo desde o primeiro instante em que te vi. Foi aquele sorriso tímido que chamou a minha atenção, foi o seu jeito de mexer no cabelo que me fez querer observar até mesmo os detalhes mais simples em você, porque cada um deles acabou me conquistando, e cada pensamento meu era tão repleto de você que passou a ser impossível pensar em outro alguém ou em qualquer outra coisa, mas isso não foi o suficiente pra me fazer ficar, e tudo o que eu sentia não bastou pra eu me ver tendo um futuro ao seu lado.

Eu te amo desde aquele momento em que comecei a imaginar quais eram as suas manias e o que cê costumava fazer no tempo livre, se em algum instante da sua noite você já pensou em mim da mesma maneira que eu pensei toda vez em que acordava ou que ia dormir. Eu admito que amei todas as vezes em que você segurou a minha mão até mesmo pra eu te acompanhar até a padaria do lado da sua casa. Te amei tanto que o universo é incapaz de destruir um sentimento tão forte como o meu, mas infelizmente não era pra ser. 

Eu acho que te amei mais do que qualquer outra coisa nesse mundo, porque a graça estava em deitar do seu lado naquelas noites frias de dezembro e assistir aquela sua série favorita até um de nós pegarmos no sono, mas até mesmo todos aqueles momentos juntos não foram o suficiente pra continuarmos próximos. A gente tentou provar de todas as maneiras, convencer um ao outro de que mudamos e que o tempo nos fez amadurecer, eu até tentei gritar ao mundo que você era o amor da minha vida, e que tu seria o cara mais feliz do mundo se me deixasse ficar, mas não deu certo. Infelizmente eu tive que seguir em frente. 

Tive que continuar vivendo essa minha vida mesmo sem você nela, mesmo sentindo a sua falta em cada segundo em que você não estava presente, mesmo que doesse demais e eu sentisse o meu coração fugindo do peito toda vez que te imaginava em outro lugar que não fosse do meu lado, mas depois de cada tentativa eu parei de me imaginar com você, porque pareceu que não havia um caminho a seguir além desse, era o único jeito de me curar. Eu te amo, mas eu não vou ficar.

Eu te amo tanto que essa saudade não vai diminuir, e quando não houver mais nada pra sentir, eu ainda vou te amar com essa mesma intensidade de agora, porque nada vai mudar o que eu sinto dentro do peito, nem mesmo se eu conhecer um outro alguém, ou se eu me apaixonar novamente. Eu também sei que vai doer a cada passo que eu der, mas se é assim que tem que ser, e se é verdade a certeza que tenho de que nada vai mudar, então eu quero que saiba que eu te amo, e que talvez eu te encontre em outra vida e continue te amando do mesmo jeito. 

Ela já não te ama mais

17 dezembro 2016

E quem diria, ela finalmente te esqueceu. É claro que demorou bastante tempo até não existir nenhum resquício de você dentro dela, mas ela deu um jeito de te arrancar mesmo que no começo doesse, mesmo que fosse uma sensação ruim demais pra ignorar, mesmo que ficasse um vazio enorme no meio do peito. Ela se desintoxicou de você até não sobrar nada. Uma parte dela quis ceder às suas ligações, as suas mensagens, a todos os recados que você deixou na caixa postal, mas no final ela acabou sendo mais forte, porque ela te superou a ponto de não precisar nunca mais de você. 

Mas cê continuou achando por um bom tempo que pedir desculpas concertaria tudo, que apenas um pedido de perdão poderia colocar fim a tudo o que acabou se desintegrando depois de tantos erros, cê teve esperanças de que conseguiria mais uma vez apagar todas as escolhas ruins que fez, mas ela chegou ao limite, cansou de dar atenção a tantas palavras que sempre se perdiam no ar, que nunca pareciam reais o suficiente pra fazerem alguma diferença. 

É preciso mudar também, mas você sempre teve medo da mudança e do que poderia vir com ela, por isso preferiu andar na linha torta do que se endireitar, ao invés de fazer diferente, continuou tendo fé de que ela te aceitaria do jeito que é, e no começo ela até aceitou, mas cê não faz ideia do quão mal isso fez pra ela. Não importa o quanto você queira voltar atrás e dizer tudo o que nunca teve coragem de dizer, gritar tudo o que hoje está preso no peito, por mais que palavras confortem, nada é mais admirável do que transformar palavras em atitudes, algo que você deixou por último na sua vida, não é à toa que ela fez o possível pra sair dela. 

Ela foi ligeira. Percebeu que você era problema quando já era tarde demais, e mesmo assim entendeu que não valeria a pena esquecer de si mesma só pra caber na vida de alguém tão pequeno, alguém que jamais escolheria pagar o preço pela sua companhia. Agora você pode até tentar reparar todo o caos que causou na vida dela, mas essa garota não é como as outras: ela sabe cuidar de suas próprias feridas. Agora você sabe que não precisa ser o cara perfeito pra fazer as coisas darem certo, talvez seja tarde, ou não, mas ela já não te ama mais. 

Você não sabe o quanto te perder me machucou

15 dezembro 2016

Dizer que tá sendo fácil quando na verdade nunca será, é uma das piores mentiras que já contei. Eu nunca imaginei que a sua ida fosse deixar o meu coração em tantos pedaços pequenos, porque agora parece impossível arrumar a bagunça novamente e juntar todos os cacos outra vez, mas aconteceu de um jeito tão inesperado que ainda não caiu a ficha de que aquele papo de "para sempre" nunca mais fará parte da nossa realidade, até porque agora não existe mais "nós", e tudo o que um dia já foi nosso, hoje não é tão mais importante assim. 

Eu tô me lembrando de todas às vezes em que errei, e depois você me perdoou como se eu merecesse uma segunda chance quando eu deveria ter valorizado a primeira. Errei porque eu sabia que você estaria no dia seguinte me esperando, cê sempre voltava depois de uma briga. Eu não fazia questão de correr atrás porque cê não pensava duas vezes em aparecer aqui na porta de casa, até o dia em que você nunca mais voltou e eu nunca mais te vi, porque você cansou do meu jeito, da minha mania de te tratar como segunda opção, desistiu das vezes em que eu coloquei toda a relação nas suas costas e não demonstrei nenhum sentimento, guardei tudo no peito como se no dia seguinte eu pudesse ter uma outra chance de fazer diferente. 

Mas não teve. Você seguiu a vida e buscou novos amores, foi atrás de novas histórias, e colocou um ponto final no nosso capítulo, ou melhor, queimou todas as páginas do nosso livro, e mesmo assim, eu ainda não consigo te culpar, porque sei que a culpa nunca foi sua. Sei que você quis me dar todos os motivos do mundo pra sorrir, mas eu estava sempre tão cansado pra me preocupar com isso, e com todas as suas atitudes - até mesmo aquelas mais simples - que elas acabaram passando despercebidas por mim. Deveria ter arrumado menos desculpas pra estarmos juntos do que colocar tantos problemas na frente do nosso relacionamento, mas acabei te afastando sem querer, sem perceber que minhas ações te deixavam ainda mais longe de mim. 

Deveria ter dado mais importância a toda atenção que você me dava ao invés de ter pedido tanto pra você ir embora porque eu estava em um daqueles dias em que se prefere estar sozinho, e pensar que agora tudo o que preciso é da sua presença e do seu corpo ao meu lado. Só quando eu te fiz desistir da gente, é que aprendi que talvez eu mereça uma vida feliz, mas eu já tenho uma vida e ela apenas se tornou feliz quando você apareceu nela, mas se um dia você pedir, eu volto. Volto correndo. Volto em uma madrugada fria, em um dia quente de verão, volto depois que sair do serviço, volto embaixo de uma garoa, volto até mesmo segurando um guarda-chuva. 

Mas eu só volto pra te fazer feliz, pra te manter nos meus braços por um bom tempo até você estar totalmente protegida. Volto pra dizer que amo o seu cabelo do jeito que é, volto pra dizer que amo te ver vestida de azul porque é a cor que fica perfeita no seu corpo e pra dizer que todas as outras te deixam ainda mais linda. Volto pra segurar a sua mão e nunca mais soltar, volto pra dizer quantas vezes quiser que eu te amo, volto pra ouvir as batidas do seu coração no meio de um silêncio, volto pra chorar contigo e volto porque não sei como imaginar um futuro com você longe, não quando te quero perto de mim. 

Não seja forte o tempo todo

13 dezembro 2016

Recentemente aprendi a parar de esconder minhas emoções. Descobri que não é vergonhoso mostrar aos outros que nem sempre eu estou bem. É totalmente normal sorrir hoje e chorar amanhã. Aprendi a mostrar as pessoas que dia ou outro eu fico triste, com ou sem motivo aparente e que isso faz parte da vida. Deixei de me achar fraca por chorar na frente de alguém, não somos de ferro lembra?

Um dia me perguntaram por que eu era assim, ora estava bem, ora estava mal, porque eu era tão inconstante e a resposta foi clara: eu sou humana, carrego dores, amores, alegrias e tristezas dentro de mim, não tenho a possibilidade de ser feliz 100% do tempo. É muito fácil posar sorrindo para uma foto, mas e a realidade? Tá bem assim como você anda divulgando? É muito fácil abrir a boca e declamar o mesmo discurso da vida maravilhosa que você (não) tem.

Todas as pessoas que querem mostrar demais que estão inabalavelmente felizes, aos meus olhos, são as mais miseráveis. São aquelas que tentam se convencer da própria felicidade. Como se dizer a si mesmo "eu sou muito feliz" fosse mudar alguma coisa. *

A gente anda divulgando uma falsa alegria só pra ganhar curtida e pra quê que serve tudo isso? Falo isso tanto pra mim quanto pra você. É preciso deixar doer, e não ache que sou louca por isso, mas é que não faz sentido construir uma nova vida sem destruir a anterior. Não digo que você tem que viver se lastimando, apenas quero que você não seja forte o tempo todo. Quero que eu, você, todos nós passássemos a enxergar as angústias que ainda carregamos e não simplesmente a ignorássemos como fazemos quase sempre.

Se permita chorar por alguns longos minutos, prometo que no fundo isso vai te fazer bem. Deixe que seu coração e a sua alma sintam a dor necessária para voltar a vida. Porque no fim das contas, assim como nós provocamos os nossos problemas, nós conseguimos resolvê-los, tudo é questão de tempo. Precisamos parar de fingir que somos fortes o tempo todo, as pessoas se acostumam com isso e muitas vezes acabam por se esquecer que ainda temos um coração pulsando aqui dentro.

Ajuda extra para aqueles que acham que estão na merda sozinhos! 
*trecho retirado do livro Não se apega, não.

Concorda comigo? Tem algo a acrescentar? Conta ai embaixo!

- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais:

Eu sinto muito por você, cara

09 dezembro 2016

Eu tentei desesperadamente te fazer ficar, e eu teria perdoado todos os seus erros se você tivesse pedido, porque na manhã seguinte eu teria agido como se eles nunca tivessem acontecido. Teria esquecido das vezes em que saiu da balada tão tarde cheirando a cigarro e com aquele bafo de cerveja horrível, teria fingindo que você se lembrou do meu aniversário e me deu os parabéns antes de todo mundo ao invés de sair com os seus amigos como se nada além disso merecesse o seu tempo, como se fosse fácil me descartar quando eu não fosse sua prioridade, mas eu sinto muito por você precisar sofrer as consequências das suas escolhas, sinto muito por você precisar encarar a sua vida como se nada de bom pudesse acontecer, porque quando a vida quis te dar uma razão para comemorar, você simplesmente ignorou.

Sinto muito pelas palavras que você nunca teve coragem de dizer, e nem sei se você tinha mesmo algo para falar, porque os seus silêncios diziam exatamente o contrário. Sinto muito pelo amor não reciproco que senti, o mesmo sentimento que me fez enxergar o mundo de outro jeito, menos a certeza de que você nunca estaria do meu lado como tanto imaginei, porque até hoje você não é de ninguém. Sinto muito por ter acreditando em tantas mentiras contadas pra me convencer de que um dia tudo seria diferente, e sinto ainda mais por saber que esse dia nunca chegou.

Sinto muito por você nunca ter mudado depois que apareci na sua vida tentando fazer de tudo para entrar a força aí nesse coração denso como gelo, uma tentativa que no final não significou nada para nenhum de nós, porque depois você agiu como se eu não fizesse diferença alguma, estando presente ou não. Sinto muito por você nunca ter sido o cara que sempre quis ter ao meu lado, e nem precisava ser o namorado perfeito, bastava ser amigo e eu sua confidente ou seu porto seguro.

Eu não precisava de beijos de segunda a domingo, não queria presentes caros no dia dos namorados e nem declarações copiadas do facebook, para ser sincera, nem presente eu queria, nem viagens luxuosas, nem joias caras, eu só queria você, nem que fosse quando você achasse um mínimo tempo para mim na sua agenda, nem que fosse depois do futebol com os seus amigos. Se você viesse inteiro, sem metades, eu teria te aceitado só com a roupa do corpo e um sorriso de quem daria tudo para ficar até mais tarde.

Mas eu sinto muito pelas escolhas que você fez e por todas as outras que deixou de fazer. Também sinto muito por tudo o que me causou, desde aquelas madrugadas em claro tentando imaginar onde foi que eu errei, se foi no meu jeito intenso de idealizar a vida ou se foi na atenção que tanto insisti em te dar, desde às vezes em que precisei engolir o choro porque eu ouvia o seu nome por aí em todos os cantos onde ia, e era sempre a mesma sensação de sentir o coração em tantos pedaços diferentes, até parecia que eu era fraca demais e incapaz de suportar.

Sinto muito pelo meu jeito estranho de encarar a ideia de que nunca seriamos nós, de que jamais iriamos criar nossos planos juntos. Sinto muito por finalmente ter percebido que o nosso futuro nunca existiu de fato. Chegou um momento em que as lágrimas pararam de sufocar, foi quando percebi que deveria doer mais em você do que em mim, se o arrependimento matasse, talvez você não tivesse achado um jeito de encarar suas próprias decisões. Sinto muito por você ter percebido que fez merda quando já era tarde demais para voltar atrás, quando um pedido de desculpa não é suficiente para apagar metade de uma dor que tanto me tirou o sono. 

Quando decidi colocar um ponto final na nossa história

07 dezembro 2016

Não faço ideia de quantas já caíram no seu jogo, e nem tenho a intenção de saber quantas você já conseguiu enganar e fisgar com tantas palavras sussurradas no ouvido sobre promessas que nunca seriam cumpridas, porque é impossível pra você torná-las realidade com toda a situação que vive jogando pra debaixo do tapete. Um dia, as suas mentiras se voltarão pra você, não tô fazendo nenhuma macumba pra isso acontecer, mas o universo é justo, sabia? Quando você achar que conseguiu fingir que tudo bem me enganar e contar algumas mentiras pra ela, o mundo vai dar algumas voltas até você cair na real e perceber que não se brinca com dois corações. 

Mas você conseguiu perfeitamente fazer o meu se prender ao desejo de ter um futuro ao seu lado, quando na verdade, essa era maior mentira na qual já acreditei. Eu nunca quis cair nas coisas que você me contava de que nascemos um pro outro, que somos quase como almas gêmeas que o destino deu um jeitinho de unir novamente, e pra mim, éramos tão parecidos e formávamos um casal quase perfeito que não importava se a nossa relação era um erro, porque você dizia com toda a convicção do mundo que um dia seriamos apenas nós, e eu sempre acreditava, até mesmo quando você estava com ela e pedia pra eu esperar mais um pouco. Aquele sentimento que começou a crescer no peito toda vez que você me olhava como se pudesse perfurar a minha alma tava me consumindo de uma maneira tão descontrolável que eu não conseguia entender quem era o mais errado da história, se era você, por mentir na maior cara de pau pra ela, ou eu, em permitir que você se aproximasse tão facilmente de mim carregando um sorriso tão meigo nos lábios. 

Talvez no fundo eu até soubesse que era mais uma de suas farsas, que todas as palavras que saiam da sua boca eram mentiras deslavadas que ninguém em sã consciência poderia ser capaz de acreditar, mas você conseguiu me tirar do eixo até não conseguir pensar direito, até perder o controle sobre as minhas próprias decisões, porque quanto mais eu tentava me afastar de você, mas percebia que não tinha forças o suficiente para resistir ao seu efeito sobre mim. Eu até tentei colocar um fim nessa coisa que nós tínhamos, nessa história que eu queria tanto viver mesmo sabendo que era impossível e que acima de tudo era um erro, mas você não estava disposto a desistir tão fácil desse jogo que criou, porque era do seu interesse ter duas bocas pra beijar, dois corpos pra se deleitar, e nessa brincadeira, fui apostando cada vez mais alto que um dia teria espaço pra mim aí na sua vida, que talvez um dia eu estivesse ocupando o lugar dela, mas tudo o que eu poderia ter feito era ter dado as costas e gritado um adeus até os pulmões não aguentarem mais, só que eu me fiz de vítima e continuei. 

Continuei por que eu achava que sem você eu não seria capaz de ser eu mesma, que sem a atenção que você me dava eu poderia morrer pela falta de amor, mas tudo o que nossa relação nunca teve foi amor, porque não se constrói amor na base da mentira, mas eu tava cega e não consegui enxergar isso. Preferi aceitar algumas migalhas do que morrer com um vazio gigantesco na alma, vazio que só você foi capaz de preencher, por isso parecia que te deixar ir me deixava tão doente a ponto de não sobreviver, mas a verdade é que meu coração não sobreviveu. 

Você era uma doença que tava se impregnando cada vez mais fundo, até o dia em que te coloquei pra fora de mim como se tivesse arrancado as partes mais sensíveis do corpo. É que foi necessário cair fora antes que eu me machucasse ainda mais, foi preciso colocar um ponto final, porque você nunca escolheria uma de nós, e eu sempre seria a segunda-opção, aquela que você procura quando as coisas aí na sua vida estão saindo do controle, e uma hora ou outra eu ia entender que você não merecia nenhuma de nós e nenhum tipo de amor que pudessem te oferecer, e não é à toa que ela também te deixou por estar tão cansada de insistir em algo que talvez não tivesse nem futuro, mesmo que ela não soubesse da nossa relação proibida. Ela fez bem, e eu também fiz um bem danado pra mim quando valorizei a primeira oportunidade de me afastar, mas você, bom, não posso dizer o mesmo, né?

Tudo o que sei é que me apaixonei

05 dezembro 2016

Me apaixonei pela primeira conversa que tivemos, e antes disso, me apaixonei pelo tom da sua voz quando a ouvi, porque me pareceu uma daquelas canções que viciam e que você ouve trinta vezes seguidas e nunca se cansa. Queria ter pausado aquele momento em que te vi usando aquela camiseta do seu herói favorito, e dar play só pra reviver esse instante um número infinito de vezes. 

E essa sua beleza também me chamou atenção, e se agora eu estivesse aí com você tenho certeza que teria balançado a cabeça pra concordar, e em seguida eu teria te chamado de convencido só pra te ver rindo depois, porque eu também me apaixonei pelo som da sua risada e pela maneira como seus lábios ficam ainda mais perfeitos quando sorri. Meu coração bateu até mais rápido quando eu quase te dei um selinho sem querer na primeira vez em que marcamos de sair, minhas pernas até tremeram de nervosismo quando me vi do teu lado pela primeira vez, como se já fossemos um casal.

Não tem como negar, mas eu acabei me apaixonando quando você perguntou se poderia segurar a minha mão e não tive nem tempo de responder que sim, porque parece que você percebeu no meu jeito tímido de sorrir que eu adoraria que andássemos de mãos dadas. E com você o papo fluiu tão naturalmente que me apaixonei ainda mais e foi tão mágico a maneira como me vi querendo ser apenas sua e de mais ninguém, porque só bastou que você estivesse comigo para eu me sentir bem. 

E me apaixonei sem querer quando percebi a diferença que você estava fazendo na minha vida, já que nenhum outro cara foi capaz de se tornar o motivo por trás de tantos sorrisos sinceros e o responsável por tantos momentos que eu não quero esquecer jamais. Quando dei por mim, eu já estava apaixonada por cada pedacinho de você,  e já não era capaz de te imaginar longe, mesmo que fosse até o dia seguinte. Todos os abraços que já te dei, desde aqueles bem apertados até os mais demorados, só me fizeram ficar ainda mais apaixonada por você. 

Mas é claro que não é aquele tipo de paixão que acaba no primeiro encontro, no primeiro beijo ou que depois faz com que sejamos nada mais do que desconhecidos, essa é uma paixão diferente porque o sentimento por você só cresce dentro de mim, transborda o meu peito até não caber mais, que inunda a minha alma a ponto de só existir você, a gente juntinhos até o amanhecer. Quando beijo a sua teste com toda a delicadeza do mundo como se você fosse feito de porcelana, eu sinto que me apaixonar foi a melhor coisa que já me aconteceu, que não dá pra comparar esse sentimento a nenhum outro, porque esse daqui é único e tão verdadeiro que é impossível fazê-lo diminuir, nem em mil anos eu seria capaz de não me apaixonar por você.

Eu te amo

Sua intenção nunca foi ficar

04 dezembro 2016

Eu admito que em tão pouco tempo cê já foi capaz de me marcar com a tua presença. Cada pedacinho do coração parecia pertencer a você, e tudo isso porque eu nunca gostei tanto de alguém do mesmo jeito que me apaixonei por você, mesmo sabendo que existiam riscos que talvez eu não pudesse suportar, e um dos meus piores medos foi saber que sua intenção jamais foi ficar. 

Já estava na cara que você não era garoto de se apegar a ninguém, nem mesmo se fosse a garota que vivia dizendo pra Deus e pro mundo que estava apaixonada pelo teu olhar. Eu já devia ter adivinhado há muito tempo antes de me envolver nas tuas palavras - que mais pareciam uma armadilha - que nunca daríamos certo, não como esses casais que andam de mãos dadas no shopping ou que nas melhores estreias do cinema já compram o ingresso antecipado, não fomos feitos um para o outro, mas insisti em acreditar que eu poderia mudar o que parecia tão óbvio. 

E é claro que você se cansou de todas as minhas tentativas de te fazer ficar, mas eu não fazia isso porque eu queria pegar no teu pé ou ser aquele tipo de namorada grudenta, até porque eu nunca fiz questão de te fazer aceitar as minhas prioridades, eu só lutei pra continuar fazendo parte da tua vida, porque esse amor que crescia no meu peito deveria ser reciproco, e parecia injusto não ser, e porque você tinha tudo pra ser o cara mais sortudo do mundo por ter alguém que só queria o seu bem.

A gente até riu de um monte de piadas sem graça, e eu morri de tanto gargalhar das tuas brincadeiras que pra mim não pareciam fazer tanto sentido assim e também tivemos aqueles momentos que marcaram essa nossa história, mas o que ninguém imaginou é que talvez essa história estivesse chegando ao fim, porque não houve os próximos capítulos, e ainda por cima estava faltado o epílogo, mas tu não se importou em ser o personagem de uma outra aventura na qual eu não fizesse mais parte. 

Eu entendo quando dizem que o pior cego é aquele que não consegue ver, porque hoje eu tenho a sensação de que sentir algo tão intenso por você só abriu o caminho pra alguém vendar os meus olhos e não enxergar que a vida estava me fazendo um favor ao me afastar de você, por mais que isso fosse horrível e doesse no peito só de te imaginar partindo, mas você nunca escolheu ficar, só foi o cara que vivia buscando uma nova distração até se enjoar e ir atrás de um outro brinquedo, e quando prometia que dessa vez não iria embora, depois não pensava duas vezes antes de atravessar a porta e nunca mais voltar, mas agora eu sei que sua intenção nunca foi ficar. 

There Is a Light That Never Goes Out? (Há Uma Luz Que Nunca Se Apaga?)

01 dezembro 2016

500 dias com ela não é uma história convencional, onde tem o mocinho que conhece a mocinha e os dois vivem felizes para sempre. Na verdade, esse filme retrata o lado obscuro de toda relação amorosa, a triste realidade do amor não correspondido. 

A trama tem como personagens principais um rapaz Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) que sempre teve a ideia de que só seria realmente feliz se encontrasse a garota perfeita, do outro lato tem a moça Summer Finn (Zooey Deschanel) que não compartilha da mesma ideia. 

Tudo começa quando Tom vê Summer pela primeira vez, instantaneamente ele se apaixona, fixando nela a ideia de garota perfeita. Ao passar dos dias, Tom vai cada mais idealizando a Summer, onde ele decide ter um relacionamento sério, todavia seria tudo perfeito se a moça quisesse esse tal compromisso. 

Summer não quer nada sério e deixa isso claro para Tom toda vez que estão juntos, ele embriagado pela paixão acaba ignorando e decide por si só ter um relacionamento sério. 

O fim dessa história é inevitável, Summer acaba rompendo com Tom; onde este não aceita o fim do relacionamento, passando por todas as fases dolorosas de um término. O que surpreende todos aqueles que estão assistindo o filme, é a reviravolta na vida da Summer, de uma garota que não queria namorar ninguém, acabou casando com alguém, mudando assim todo seu pensamento. 

Depois de todo sofrimentos, raiva e luto, Tom finalmente ergue a cabeça e começa a se dedicar ao seu maior sonho, ser um arquiteto. Após se recuperar totalmente de sua paixão, ele muda seus conceitos, não acreditando em destino ou em garota ideal, se arriscando até em um novo possível relacionamento. 

O que nos marca desse filme, é que na maioria das vezes nos apaixonamos pela ideia que criamos das pessoas e não pelo o que elas realmente são, Tom idealizou Summer esse tempo todo, ignorando totalmente suas diferenças. Fica também o conceito de que todos nós em algum momento da vida fomos o Tom ou a Summer, se não fomos, ainda seremos. Nem sempre assumiremos o papel do bobo apaixonado que sofre horrores após o término, do mesmo modo não seremos a pessoa desencanada que não se apega a ninguém. 

A vida é feita de idas e vindas, onde estamos em constante mudança e precisamos aceitar as perdas, nesse caso se trata da perda amorosa, onde aquela pessoa que parecia perfeita para você não está mais ao seu lado. Pode ser muito difícil encarar essa realidade, mas temos sempre que estar dispostos às mudanças, sofrer faz parte. Mas tem aquela hora que enxergamos que o melhor para nós é a nossa própria companhia, dai vem a melhor fase, o recomeço. 

❤ Resenha feita por Natasha Barbosa ❤