Ninguém está preparado para o último adeus

29 novembro 2016

É uma dor que faz todo o teu corpo estremecer, é como se alguém arrancasse um pedacinho de você que não dá pra viver sem, é uma dor tão violenta que te rouba a paz, o sono, aquela uma noite tranquila, é um choro que te arranca um sorriso, é um grito silencioso que faz todas as tuas palavras se perderem na garganta, é uma dor que penetra tão fundo que te faz mudar, e que chega tão inesperadamente e faz a vida parecer tão frágil. 

Você não consegue se convencer de que não há mais tempo pra dizer o último adeus, porque quando fecha os olhos por alguns segundos, tudo o que deseja é que seja um sonho ruim e que quando abri-los novamente, ainda possa sentir o mesmo toque, o mesmo beijo, o mesmo abraço, mas então você percebe que a dor é real a ponto de não caber mais em você. 

É nesse momento em que um abraço faz a diferença, e uma palavra - por mais que seja difícil encontrar o que dizer - é capaz de juntar os pedaços de um coração que nem mais consegue bater, e só assim pra seguir em frente, mas não pense que continuar levando a vida adiante significa esquecer, porque é só mais uma maneira de guardar no peito aquilo que ficou com toda a força: as lembranças, porque às vezes nem o tempo é capaz de apagar certas pessoas que fizeram parte da nossa vida.

Quando a gente vive o luto ou até mesmo sente a dor de outra pessoa, começamos a pensar de um jeito diferente no amanhã e em todas as incertezas que o depois pode trazer. A perda nos faz refletir naquilo que decidimos ser prioridade, porque já percebeu como criamos tantos planos, e vivemos tantos sonhos? Às vezes, queremos tanto pedir desculpas a alguém que magoamos, ou decidimos que no próximo fim de semana iremos visitar os nossos pais, ou fazer aquele telefonema para alguém que não vê a meses, mas a rotina acaba nos sufocando e tirando o nosso tempo, tempo que um dia não vai voltar, tempo que vai fazer daquele abraço, o último; daquele beijo, o último também.

Criamos tantas desculpas pra não priorizarmos o que realmente vale a pena que quando percebemos, foram tantas coisas bobas que deveríamos ter tentado consertar, uma palavra simples que deveríamos ter dito que na hora parecia sem importância, mas que hoje poderia fazer toda a diferença. Algumas pessoas vão chorar de saudade, mas outras vão chorar por terem se arrependido de não terem feito mais, por não terem amado mais, porque não tiveram coragem o suficiente pra terem mostrado mais, só que uma hora acaba sendo tarde. 

Tarde pra pedir desculpas, tarde pra se despedir com um beijo ao invés de ir embora depois de uma briga mal resolvida, tarde pra falar aquelas três palavras que um dia fizeram o teu coração acelerar, mas que hoje te faz chorar entre muitos soluços. É claro que a gente vai trabalhar muito na vida, perder alguns encontros pra ficar até tarde em uma reunião, iremos enfrentar problemas que vão fazer a gente perder a cabeça e querer gritar, e talvez a gente até grite depois de perder a paciência, mas se você pode fazer mais do que isso, se pode fazer diferente, porque é tão difícil? Depois pode existir um ponto final, e talvez não haja mais um paragrafo, uma linha, uma continuação, porque a história acabou, chegou na última página. 

É por isso que eu te digo, antes que seja tarde, antes que você dê de cara com essa dor, e não saiba o que fazer diante do luto, antes que perca alguém que tanto ama, ou antes que seja você aquele que vai embora: não tenha medo de dar aquele abraço apertado, não fique com receio de pedir desculpas, ou de dar uma segunda chance pra alguém que errou, não vá embora depois de uma briga antes de resolver as coisas, volte cedo pra casa pra ver aquela pessoa e pra falar aquele boa noite, não espere o momento certo, mas faça de cada momento único e inesquecível, porque é isso o que você vai ter se amanhã acordar e não ter mais a pessoa que ama do teu lado, e o mesmo acontecerá se amanhã você não estiver mais aqui. 

0 comentários:

Postar um comentário