Eu não quero amar de novo

04 outubro 2016

Meu coração implora por sossego, calmaria, mar e água de coco. Umas férias na praia, algumas saideiras sem se preocupar com horário pra voltar, alguns domingos no aconchego do sofá e algumas madrugadas de silêncio. De fato eu não quero amar de novo. Ter que mandar mensagem avisando que estou saindo ou chegando, que vou ali caminhar no parque respirar um pouco de ar puro caso me ligue e eu não atenda, que fui fazer as compras do mês porque a dispensa e a geladeira já estão praticamente vazias ou que estou indo pagar às contas. Ter que deixar recado sobre o almoço de família que sempre acontece aos sábados ou que eu preciso das minhas noites sozinha de quarta-feira, escrever, refletir, essas manias que eu tenho.

Não quero dar satisfação da minha vida a outro alguém. Não quero de novo ter que comprar e preparar presentes a cada mês de aniversário de namoro. Projetar um futuro, casa, família, filhos, quem sabe até netos, mas isso a gente não pode planejar. Não quero ter que recomeçar again. Conhecer alguém, ser amigo, ser apresentado a família, se apaixonar, pedir em namoro, namorar por tantos meses ou anos e terminar. Porque a gente sempre arranja um motivo pra terminar. E ter que chorar, rasgar as fotografias, queimar as cartas, deletar as fotos das redes sociais, trocar o status do facebook de relacionamento sério para solteiro, ter que explicar pra todo mundo que dessa vez não deu certo, mais uma vez. Ele não era o cara. Ela não era minha alma gêmea. Tentar a todo custo apagar da memória os melhores momentos e torcer pra não acabar stalkeando o ex. 

Não quero ter que pedir pra me ligar quando estiver saindo do trabalho e me avisar quando chegar em casa. Não quero ter que marcar viagens, almoços e algumas noites românticas. Eu não quero ter que amar de novo, desculpa! Não quero ter que passar pelas mesmas coisas mais uma vez. Não quero ter que lembrar de mandar mensagem de bom dia todas as manhãs. Não quero correr o risco de gostar da sensação de ter alguém por perto, de amar tão intensamente que ir embora não seja mais preciso. Ficamos por aqui, é sábado a noite, tem pizza, um vinho que comprei ontem e inúmeras séries e filmes para assistirmos. Só eu, você e esse sofá inteiro só pra nós dois. Aproveita e passa a noite comigo que amanhã eu preparo o café da manhã pra gente.

- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais:

4 comentários:

  1. Adoro estes textos que parecem pessoais, mas a gente nunca tem certeza, sabe?
    Eu não sei se conseguiria viver assim, sem amar, sei que não é exatamente sem amar, mas para mim é. Sou tão acostumada a ter esta pessoa presente na minha vida, que imagino que se, ele fosse embora, nem seria mais esta vida. Eu teria que começar outra vida,assim como você disse, ou seja, só espero que nada acabe, para que nada recomece. Assim posso seguir minha vida de dependência mútua...

    Adorei seu jeito de escrever, linda!

    Blog Insaturada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente pode até não querer amar, porque causa dependência, chega até doer por n motivos, mas bem no fundo continuamos torcendo para que a vida nos apresente alguém. Desejo a ti que não seja preciso recomeçar, que ele faça morada em teu coração por muito tempo, quem sabe uma vida inteira, que esse amor seja duradouro e traga bons frutos. Obrigada ´pela visita <3

      Excluir
  2. Caramba, gostei muito.
    Que coisa linda.
    Grande beijo!
    http://sentimentalismodesmedido.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir