Eu me apaixonei por um personagem

19 setembro 2016

Nem sei mais o que vi em você. Não faço ideia de como pude deixar tantos sonhos de lado só pra me manter presa aos seus passos, aos seus desejos, só pela ideia de nunca te perder. Esqueci de mim tantas vezes, que agora parece inacreditável descrevê-las, mas me lembro de como preferi permanecer com minhas vontades presas na garganta e os sonhos trancafiados em um esconderijo secreto dentro da alma, como se nada além de você importasse. As palavras nunca ditas e as atitudes nunca demonstradas me sufocaram bem lentamente. 

Achei que você fosse especial e único, e que estar ao seu lado era tudo o que poderia me satisfazer, tudo o que bastava pra mim, mas o amor não é isso, não é obrigar a outra pessoa a largar tudo só pra manter suas vontades e anseios vivos. O que você fez tá mais pra egoismo do que sentimento verdadeiro. Esse medo de te perder pra outra pessoa só aumentava, por isso precisei me sacrificar tantas vezes pra acompanhar o ritmo dos seus passos, mesmo que o meu caminho fosse outro, e mesmo assim, depois de tanto abrir mão do que eu realmente queria, ainda me pergunto o que existia em você que me fez acreditar que valia a pena perder tanto de mim. 

Você não merecia nem metade das coisas que fiz, mas eu não tomei consciência disso enquanto ainda estávamos juntos. Eu só queria que tudo fosse perfeito, mas perfeição só existe dentro de filmes ou de histórias românticas com finais felizes, ao contrário da nossa, que terminou do jeito mais errado que algo poderia chegar ao fim. Cada um pro seu canto, um adeus sem muita enrolação, sem muita delonga. Você era tão minusculo que precisei me espremer de uma maneira tão insana só pra conseguir entrar aí dentro, e isso acabou me fazendo acreditar que eu era tão pequena quanto você. Tudo ficou ainda mais complicado quando você cresceu, e eu continuei achando que uma parte de mim estava diminuindo ainda mais ao ponto de me senti ainda menor, quase deixando de existir. 

Não sei se é verdade, mas o amor deixa as pessoas cegas, ou faz com que a gente veja o que queremos enxergar, mas nunca o que realmente está a nossa frente. Me virei do avesso tantas vezes por você que já estava ficando frágil demais pra superar a sensação de que você não era e nunca foi tão incrível assim, e depois de um tempo, já não importava se você sabia cozinhar bem ou entendia os cálculos de física do seu curso de engenharia, eu deixei que uma parte de mim se perdesse por aí na tentativa de te fazer ficar, achando que lutar por você era saudável, mas que na verdade te soltar era a coisa mais racional que eu poderia fazer. Até o dia em que o adeus finalmente saiu engasgado da minha garganta, aos trancos, e minhas pernas tremeram de medo, porque a dor parecia imensa demais pra superar, mas eu consegui observar a nossa história de uma perspectiva diferente, e então aquela garota de antes se fez forte só pra entender que aquele garoto no qual se apaixonou nunca foi um príncipe encantado, que foi só um fantasma que nunca existiu de verdade, um alguém que nunca disse quem realmente era. 

Eu criei um personagem na minha cabeça, alguém que havia acabado de sair dos meus sonhos e se transformado no protagonista da história que eu queria construir. Sabe essas histórias que a gente cresce ouvindo sobre casais apaixonados que se beijam na chuva e se amam pra sempre? Eu queria fazer o mesmo com a nossa história, queria poder transformar os nossos dias juntos em capítulos que tirassem lágrimas das pessoas que lessem, mas você você só foi o antagonista, o vilão, o bandido. Você não foi o herói, na verdade você nunca foi o cara que minha mente criou, porque ele não existiu.

ESSE TEXTO FAZ PARTE DA BLOGAGEM COLETIVA QUE ESTÁ SENDO FEITA 

4 comentários:

  1. Oi, Luana! Adorei que você gostou do tema da blogagem e resolveu participar. AMEI o seu texto <3 Beijão e obrigada por participar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por ter a oportunidade de participar. Sempre fui apaixonada pelo Isso não é um diário, então é com muito carinho que participo <3

      Excluir
  2. Me identifiquei pesado - "Esse medo de te perder pra outra pessoa só aumentava, por isso precisei me sacrificar tantas vezes pra acompanhar o ritmo dos seus passos, mesmo que o meu caminho fosse outro, e mesmo assim, depois de tanto abrir mão do que eu realmente queria, ainda me pergunto o que existia em você que me fez acreditar que valia a pena perder tanto de mim." Por muito tempo me fiz pequena, naquele momento parecia valer a pena todo o esforço, todas as lágrimas, todos os "eu te perdoo" e no final eu ganhei um coração quebrado. Deixar ir foi a melhor a escolha, essa sempre é a melhor escolha. Me olhar no espelho e finalmente enxergar que eu de pequena não tinha nada foi libertador. Muitas vezes nos apaixonamos por alguém que é só uma ideia. Fechamos os olhos e enxergamos mesmo só o que queremos, é melhor, mais confortável quem sabe, mas um dia a realidade vem a tona. Texto incrível <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus comentários tem um pequeno toque de intensidade a cada palavra. O amor tem essa mania de nos tirar a capacidade de ver algo com nitidez, sempre vemos o queremos ver, porém nunca o que realmente acontece. Eu tenho um péssimo histórico com relacionamento, pois cada um deles me fez tão pequena, me enxerguei de um jeito tão minúsculo, como se isso fosse valer a pena para ter alguém do meu lado, mas é errado se perder para querer encontrar alguém. A gente nasce livre, porém ao longo da vida acabamos nos prendendo a alguém, a algo, nos perdemos muito facilmente, em cada curva e em cada esquina, achamos que é mais fácil se desgrudar da realidade para vivermos os nossos sonhos, mas a vida não funciona assim, uma hora ou outra, a realidade cai sobre nós como um balde cheio de água gelada. Obrigado por ter gostado <3

      Excluir