Será que a gente vai mesmo ser feliz?

22 agosto 2016

Essa nossa história é cheia de buracos vazios e de altos e baixos, e na maioria das vezes, eu e você não estamos preparados para lidar com tanta confusão e incerteza, mas lembra que prometemos não desistir tão facilmente, não antes de esgotarmos todas as possibilidades e chances de fazer dar certo?

Me mantive ao seu lado durante todo esse tempo porque prometi estar aqui quando tudo fugisse do nosso controle, quando precisasse estender minha mão para te segurar depois de uma escolha errada. De alguma maneira, uma parte de você também decidiu ficar e segurar minha mão, e a palavra chave para tudo o que construímos se baseia em reciprocidade. 

Tivemos sorte. Quantos relacionamentos você conhece que nem se quer passam do primeiro mês de namoro? Muitos, porque existem muitas histórias por aí mal escritas, pessoas que não sabem e não querem amar, são egoístas e impacientes com qualquer coisinha besta, mas quando é para falar sobre nós, sempre existem aquelas palavras gentis e apaixonantes que qualquer garota faz questão de comentar em uma roda de amigos. 

Sei que você também admira essa familiaridade que existe entre nós desde aquela minha apresentação no segundo semestre da faculdade, se você não tivesse feito aquele comentário desagradável sobre o quanto eu estava nervosa naquele instante, talvez nossas vidas de universitários não tivessem se cruzado, pelo menos não nessa existência, mas parece que tudo estava escrito para dar certo, era algo que nem mesmo o destino poderia quebrar. 

Só que depois não deu tão certo assim. Tivemos nossa primeira briga em um domingo a tarde, e você jurou que iria embora, não para sempre, mas até esfriarmos a cabeça, apenas para evitarmos que tomássemos qualquer decisão impulsiva. Ao invés de jogarmos fora as nossas alianças, você achou um jeito de continuarmos juntos, até mesmo depois de uma briga. Nenhum motivo foi forte o suficiente para arrancar do peito os nossos sentimentos. 

O que vale a pena é aquilo que fica depois de uma briga, e nós dois ficamos; você compartilhou os seus sonhos comigo e eu simplesmente os abracei como se fossem os meus. Acho que qualquer namoro é isso: é saber abraçar o que o outro tem de melhor, é criar ótimos motivos para crescerem juntos, é também lutar para evitar os erros e saber lidar com cada um deles quando acontecem, é saber mergulhar em pensamentos e ideias diferentes como se fosse possível se virar do avesso. 

É rezar para sermos felizes no final, e torcer para que finais não existam. 

0 comentários:

Postar um comentário