Salva por meias palavras

04 agosto 2016

A partir de todos os devaneios literários que crio entre histórias românticas e finais dramáticos, quero continuar escrevendo sobre coisas desconhecidas, das quais nunca tive oportunidade de experimentar, me aprofundar em lágrimas que não pertencem só a mim, e socializar com minhas próprias folhas em branco como se cada letra pudesse suprir a necessidade de você. 

As linhas imaginárias que não foram ocupadas pela incerteza da nossa história são como memórias intocáveis que permanecessem em mim, dentro de todo amor que ainda cresce de maneira descontrolada, sem uma direção para seguir, ou um sentido para continuar. São curvas repletas de mistérios que não respondem minhas inúmeras perguntas, mas a principal delas é entender porque algumas coisas não foram feitas para darem certo, mesmo no final. 

Não posso esconder essa cicatriz que existe espalhada por todos os pedaços de mim, que formam lembranças acinzentadas resumidas a sentimentos que hoje não reconheço. São essas amargas recordações que reconstroem a base de todos os meus escritos, e se essa concordância entre substantivos, gêneros e números existem, é porque suas atitudes serviram como chave para uma pequena brecha que se transformou no meu mundo. 

Aqui não há limites, e as únicas barreiras que existem são a distância entre um lápis e um pedaço de papel. Minha imaginação é uma linha retilínea entre pensar e escrever, e apesar de grande parte desses pensamentos se infiltrarem na imagem inconstante do seu olhar sobre mim, não me perdi por completo na certeza de que não o terei novamente aqui, não depois de todos esse anos separados por uma droga de orgulho. 

Mas eu fui completada por meias palavras que transformaram minha hesitação em audácia, por mais difícil e exaustivo que seja vestir essa armadura de garota forte o tempo todo, durante dias seguidos, e meses que nunca chegam ao fim. Não suporto pessoas que nunca sabem como amar, porém a vida não vem com um manual de instrução dizendo todos os passos. 

As palavras gritaram a sinceridade que suas atitudes nunca foram capazes de me mostrar, e apesar de constantemente existir essa impossibilidade se tratando de nós, sobrevivo as minhas saudades como se pudesse descobrir para onde o mundo tem te levado, mas a única certeza que vêm a mente é que tudo está te guiando para longe de mim. Promessas que jamais foram cumpridas me levaram a depositar minha confiança na sensação que é ser abraçada pelas mesmas palavras que um dia me salvaram de você. 

2 comentários:


  1. Amei teu blog e os escritos que consegui ler rs
    te convido a participar do meu projeto e ajudar a espalhar mais amor pela net<3
    aspoesiasdananda.blogspot.com.br
    abraços!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nanda, que comentário mais incrível, fico tão feliz por ter amado o blog, significa muito para mim, e espero que volte outras vezes para ler outros escritos por aqui <3
      Darei uma olhada no projeto para saber mais, com certeza. Bj.

      Excluir