Não foi a falta de amor que me fez desistir.

20 agosto 2016

Tudo o que senti ao seu lado foi um sonho que nunca chegou a existir, uma metáfora improvisada para algo que o universo jamais permitiu que continuasse, mas você se alojou em mim de uma maneira que toda sua essência ficou.

Meus pensamentos sempre me levaram aos seus erros, e cada um deles passou por mim como um filme dramático, com lágrimas e feridas silenciosas que ninguém vê, pedidos de socorro que ninguém ouve. Penso que você está aqui, mas é apenas sua sombra me guiando para um espaço que não conheço.

Às vezes, digo a mim mesma que acordei, que o sonho se desfez, que nada será como antes, que todos aqueles velhos sentimentos foram atropelados pela razão, mas eu sempre me engano em cada curva que ignoro. 

Seu rosto ainda é a capa daquele romance que tivemos. É como ouvir o barulho da chuva e silenciar as palavras que nunca foram ditas. Sou obrigada a não olhar para trás, e apesar de sentir que a única opção é saber que a vida continua, sempre existem motivos me fazendo ficar para trás. Dou um passo, mas é como se eu também quisesse ficar com os joelhos encolhidos em qualquer canto afastado do mundo. 

Me recuso a acreditar que promessas foram feitas para serem quebradas quando não existirem corações capazes de cumpri-la. É difícil não julgar todos os rostos que passaram por mim sendo que você foi o primeiro a me magoar, o único a dizer não a tantas emoções que me ligavam a você, mas cara, eu fui mesmo imbecil. 

Grande parte daquelas histórias que criei na infância falavam sobre nós. Sobre um beijo que nunca recebi, um abraço que nunca aconteceu, uma conversa que jamais chegou a existir. Haviam tantas coisas que eu poderia ter compartilhado se você tivesse dito sim ao meu carinho meio desajeitado, aos meus beijos e abraços apaixonados, ao meu olhar que sempre parecia dançar quando te olhava distraído, mas você disse não. 

Já imaginou como seria essa nossa história hoje? Ouvi incontáveis respostas negativas ao longo da vida, mas eu juro que nenhuma doeu tanto quanto as suas palavras. Sabe o que é pior? saber que nada vai mudar, nem mesmo depois de tantos anos. Te dei esse tempo pra pensar em tudo aquilo que suas escolhas jogaram no lixo, mas parece que agora é tarde demais para voltarmos ao passado. 

Mas eu também não quero voltar a sentir tantas lágrimas escapando de mim sem qualquer controle, nem reviver os momentos em que você me ignorou por achar mais importante estar na companhia dos seus amigos do que comigo. O passado não é meu amigo, e não é de hoje que carrego essa culpa por saber que te perdoaria em um piscar de olhos. Na verdade, já não existe nem mágoa, não existem ressentimentos sobre nós. Errar é normal, não nascemos com um manual de instrução ditando todas as regras, mas a partir do momento em que você se permitiu errar mais vezes que o permitido, deveria saber que estaria me perdendo, mas é aí que está o problema, você não se importou nenhum pouco. 

0 comentários:

Postar um comentário