Lançamentos para assistir no cinema em Setembro

31 agosto 2016

E um novo mês surge trazendo consigo uma grande diversidade de ideias e novidades, e os lançamentos para Setembro prometem uma infinidade de gêneros e histórias, uma diferente da outra, porém todas parecem trazer aquela reflexão que todo filme deveria oferecer aos seus expectadores, e antes mesmo de assisti-los, consegui captar brevemente o pensamento por trás de cada título, e posso afirmar que todos estão repleto de críticas à sociedade, à família, ao comportamento humano. Logo abaixo você encontrá meus pontos de vista baseados em argumentos do cotidiano sobre o quanto um filme pode evidenciar aspectos da nossa própria vida. 

  • A comunidade (Lançamento 01/09/2016 - Drama)
Nossa vida é uma construção criada a partir da convivência familiar, e de alguma maneira, os mais próximos a nós são aqueles que mais influenciam nossa personalidade e nossas características. Somos uma troca de experiencia mútua, uma síntese ou várias linhas de uma história ilustrada por sonhos e aspirações, idealizamos utopias e devaneios como se fosse uma parte da nossa essência, e em consequência, lutamos por absolutamente tudo que alimenta nossos próprios interesses. O ser humano é uma espécie incapaz de conviver fora da sociedade, isolado no mundo, longe da caixa que habita, por isso buscamos encontrar no outro um espelho para nossa própria alma. Interagimos com indivíduos que são completa e distorcidamente o oposto de quem somos, porém é essa diversidade que torna as relações humanas tão prazerosas, imagina se todos fossemos iguais, onde estaria a graça de continuar essa brincadeira chamada vida? Mas existe o lado traiçoeiro por trás de cada declaração, de cada laço de amizade criado: algumas vezes lidar com a diferença é uma das tarefas mais difíceis quando se trata de convivência, é preciso ter paciência para lidar e enfrentar a divergência de opiniões, de pensamentos, de ações, e muitos perdem a cabeça quando é necessário despertar esse lado mais compreensivo. O filme A comunidade retrata a trajetória de um casal que abandona sua realidade para viverem um sonho inusitado, esquecendo o quanto familiaridade e convívio pode ser algo perigoso, e ainda mais na década de 1970, quando ainda não era a tecnologia responsável por afastar tantas pessoas. Erik e Anna decidem dividir sua casa a fim de viverem em conjunto com desconhecidos, e até certo momento, os jantares, reuniões e festas contribuem para uni-los ainda mais na realização do sonho de viverem em grupo, porém à medida em que as relações começam a se estender por uma curva errada e imprópria, eles são atingidos por um balde repleto de realidade, e todas as relações da comunidade são abaladas por um caso de amor que não estava previsto, mostrando que relacionamento e companheirismo é um exercício constante de paciência e tolerância.


  • Herança de sangue (Lançamento 08/09/2016 - Ação) 
Alguns filmes despertam uma sensação inexplicável de adrenalina quando os assistimos, as cenas prendem a nossa atenção como se não existisse liberdade para permitir que outros pensamentos venham à tona naquele momento, e quando se trata de ação, sempre existe aquela história por trás do de tudo o que observamos. Mel Gibson é um dos atores mais reconhecidos do mundo, e quando está de frente para as câmeras, é capaz de interpretar com muita facilidade qualquer personagem, e no filme Herança de Sangue, seu papel é de um pai que precisa proteger a filha a qualquer custo, independentemente dos riscos que existem por trás da escolha em salvá-la. Apesar das escolhas erradas que a levaram a enfrentar uma série de pessoas corruptas com sede de vingança e que juraram matá-la, seu pai não hesita em enfrentar o lado ruim de um grupo de traficantes. Desde o início até o último minuto do filme é possível notar que existe uma pergunta solta no ar, e que a resposta depende de quem o assiste, "o que você faria para proteger alguém que ama?" Pode até parecer simples buscar uma conclusão satisfatória para responder essa questão que o filme aponta com tanta naturalidade, porém é sempre no momento em que estamos diante de uma dificuldade que vemos o quão loucos somos por aqueles que mais amamos; quando a família está nos lugares mais fundos da alma, preso a sete correntes dentro coração, e é amor de verdade aquele sentimento de proteção e carinho, então é sempre comum que façamos o impossível para ajudar quem precisa, e daríamos a nossa vida para encontrar uma solução que resolvesse problema e dificuldade. Família não é apenas uma ligação entre pessoas com o mesmo sangue, família são escolhas, decisões, pensamentos, e principalmente sacrifícios.


  • Virei um gato (Lançamento 08/09/2016 - Comédia)
Ainda falando de família, existe uma grande responsabilidade em cuidar das pessoas que amamos, e isso envolve deveres e obrigações, e principalmente a capacidade de conciliar o tempo entre o trabalho e as pessoas que fazem parte da nossa vida. Família se mantém a base de amor e atenção, de abraços apertados, de conversas prolongadas, de risadas impensadas, e o trabalho sempre parece ser o principal inimigo de quem precisa passar um período mais longo ao lado da esposa e dos filhos, e o principal objetivo do empresário Tom Brand é conseguir arranjar uma maneira de comemorar o aniversário da sua filha ao mesmo tempo em que cuida das suas responsabilidades como empresário, mas sabemos que não é fácil, e de vez em quando, é necessário desfazer alguns planos e revê-los, e no caso de Tom, seu sacrifício é dar um gato como presente de aniversário para sua filha, mesmo não gostando de felinos, porém o que ele não sabe é que deixar de lado seu compromisso como pai irá trazer severas consequências ao seu futuro. Tom sofre um acidente e fica preso ao corpo de um gato, e para não ficar para sempre nessa condição, ele precisa concertar os erros cometidos como pai, realmente se dedicar a sua família e esquecer de tantos problemas que somente o afasta de quem ama. Algumas pessoas não sabem, mas é possível esquecer o passado e criar um novo recomeço sem precisar "virar um gato", e são algumas atitudes simples que mudam o futuro e melhoram os nossos planos, e o que adianta ganhar o mundo e simplesmente esquecer que são as pequenas coisas que nos transformam em seres humanos de valor?

 
  • Amor Eterno (Lançamento 15/09/2016 - Romance)
Aprendemos que o sentimento de amar surge quando menos esperamos e nos lugares mais inusitados, e entre pessoas que jamais imaginamos juntas, e quando acontece conosco é como se uma explosão de sensações se espalhasse pelo peito mais de uma vez, repetidas vezes, na verdade. Algumas coisas fogem do nosso controle, por isso são chamadas de inconstantes, porém lutamos para fixarmos os sentimentos que fazem morada dentro de nós, só que apenas dá certo quando duas almas estão dispostas a deixar os mistérios de lado e se jogarem no lado mais profundo do outro, e a universitária Amy compreende os riscos que se envolver com um professor de astrofísica rodeado de tristes e misteriosos enigmas pode trazer, porém ela se deixa conduzir pelo sentimento incontrolável à medida em que é consumida pelo excesso de sentir, mesmo em uma ligação criada através de um computador, o amor pode ser real. Sempre teremos um lado particular que estará sob cadeados pesados e mecanismos de proteção, e cabe a nós quebrarmos essas correntes e mostrarmos até mesmo os nossos maiores defeitos, porém será que o amor é o suficiente para revelarmos os nossos segredos mais íntimos, será que o amor basta para isso? O filme Amor Eterno é uma representação do quanto trocar mensagens com alguém através de um aparelho e uma tela pode distorcer as expectativas que criamos antes de finalmente entendermos com quem estamos lidando, é preciso ter cuidado, e saber diferenciar o real do imaginário antes que seja tarde demais para consertar as nossas escolhas.

 
  • O lar das crianças peculiares ( Lançamento 29/09/2016 - Aventura)
O mundo poderia ser diferente hoje. Se houvesse um pouquinho mais de tolerância e igualdade, talvez fosse possível amenizar os efeitos do racismo, do preconceito, da discriminação por raça, por cor, por orientação sexual, porém as pessoas que experimentam a coragem necessária para mostrarem ao mundo quem realmente nasceram para ser, são cegamente chamadas de anormais, de estranhos, de incomuns, e essa mesma liberdade é desintegrada em pó. São palavras que machucam, ações que nos prendem ao medo, ao receio, gestos que levam a fraqueza e a covardia. Esse é o lado que o diretor Tim Burton deseja explorar em sua última obra, com um toque de mágica e mistério ao redor de um mundo chamado Lar das Crianças Peculiar. Jake busca decifrar as pistas que o seu avô deixou para trás, e de repente, se vê rodeado de um ambiente desconhecido e repleto de algumas peculiaridades que nunca imaginou conhecer, nem dentro do seu imaginário; ele finalmente descobre sua verdadeira identidade, e por mais que continue dizendo que é uma criança normal como todas as outras, sabe que seu propósito ao descobrir esse novo mundo é diferente de tudo que já imaginou viver. Nesse lugar, as crianças são dotadas de habilidades incomuns, dons que são chamados de "peculiaridade", instrumentos que são usados para proteger o lar de inimigos e criaturas que tentam destruir o único espaço criado para aceitar tantas pessoas diferentes que apenas buscam um lugar para se encaixarem e sobreviverem.

Outros laçamentos para Setembro


0 comentários:

Postar um comentário