Eu deveria estar deitada no seu colo

10 agosto 2016

Só queria estar aí uma única vez. Se você me deixasse ocupar qualquer canto do seu coração talvez a minha vida não fosse só vivida de saudade, porém é como dizem, cada saudade tem o seu devido nome, e essa falta que carrego no peito não é nada além do que marcas com sua assinatura. 

Será que um dia você ainda volta correndo? Não mudei meu endereço, não alterei o meu número, não te bloqueei das minhas redes sociais, apesar de ter tentando te eliminar de todas as conexões internas que continuam se acumulando aqui dentro. Será que você se lembra de quando andávamos de mãos dadas e criávamos promessas como se pudêssemos cumprir todas no dia seguinte? Esqueceu daqueles planos que fizemos na varanda de casa, quando o céu ainda estava estrelado e a noite passava tão rápido a ponto de me obrigar a dizer adeus?

Mas é claro que você não se lembra, e é obvio que também não faz questão de se lembrar. Tentei me obrigar a não te amar, e nem precisei de muito esforço. A gente se arrebenta em muitas quedas, mas quando percebemos que estamos caídos a muito tempo, acordamos para a vida, finalmente despertamos. E eu cansei de tantas ilusões, porque já não existia fôlego para viver com toda essa esperança que eu mesma criava. 

Chega um momento em que todas as reservas de amor já foram esgotadas. E fica o vazio no lugar de tantas sensações inexplicáveis e sentimentos confusos, como se cada um pudesse se incorporar até formar algo intenso demais para ser partido ao meio ou jogado fora. 

Até dava para sacudir o meu corpo e tirar os restinhos de você que continuavam em mim, mas durante um bom tempo eu não me atrevi a revirar tudo aquilo que havia sido cultivado junto aos meus sonhos. Até que ponto você foi covarde o suficiente para criar tantas ilusões e depois não assumir o seu erro? Eu até tentei consertá-los por você. Lembra que eu disse que não precisaríamos se preocupar, e que tudo estaria resolvido na manhã seguinte depois de uma boa noite de sono?

Algumas pessoas não são destinadas a ver a verdade logo de cara, por isso demorou um pouquinho para eu finalmente compreender que a única machucada havia sido eu. Talvez aqueles joguinhos tenham funcionado, porque você atingiu meu coração como se ele fosse o alvo. Erros são cometidos para a gente aprender, e se você ainda não viu, eu aprendi muito bem. 

Porque agora que os caminhos se separaram, e eu sigo meu próprio destino, talvez as pessoas vejam que essa armadura ao redor de mim só existe para não me machucar novamente, mas aqui dentro, onde bate um coração medroso, que ainda pulsa, sei que deveria estar deitada no seu colo. 







0 comentários:

Postar um comentário