Alguém que seja inteiro, não metade de algo

29 agosto 2016

Se hoje a noite alguém bater em minha porta, só deixe entrar se for alguém de verdade, porque aqui dentro não existe mais espaço para pessoas que são apenas metades de algo que nunca foram. Não vou mais perder meu tempo lutando por tantos meios que não se completam, e por tantos vazios que não se preenchem. 

Alguém que seja a sinceridade ao invés de fingimento, alguém que faça transbordar a alma ao invés de secar o que há muito tempo não recebe chuva, alguém que complemente ao invés de roubar tantas expectativas, alguém que inunde a alma ao invés de ir embora com toda a correnteza de sentimentos. Não quero viver de faltas, só quero alguém que exceda limites. 

Alguém que tenha a simplicidade de amar o essencial, alguém que deixe por aí um perfume adocicado mesmo que haja uma ventania levando-o para longe, alguém que saiba mergulhar no desconhecimento como se carregasse uma lupa no bolso, alguém que enfrente as tempestades mesmo que a agitação das ondas sejam intensas demais para remar. Alguém que suba montanhas até mesmo quando o sol estiver se pondo e a noite caindo. 

Alguém que seja feito de neve, de estações, de flores. Alguém que seja primavera e outono, que seja preto e o branco, que seja os dois lados da mesma moeda, que seja o fracasso e a vitória no mesmo round, que saiba ser a paciência e a calmaria que preciso. Alguém que não seja feito só de lágrimas, porém de sorrisos que escapam da alma.  

Alguém que tenha ótimas razões para ficar, que faça o impossível para não ir embora, alguém que não abra mão facilmente de promessas, alguém que saiba o momento certo para não dizer adeus, alguém que seja brindado contra a negatividade da vida, que encurte conversas para ir direto ao beijo, alguém que viva de abraços e que não se canse de ir até o fim da história, até o último capítulo, alguém que não enjoe de ouvir as mesmas músicas, que saiba compartilhar pensamentos quando é necessário, alguém que saiba estender a mão para amar sempre que algum de nós tropeçar, alguém que não invente desculpas esfarrapadas para fugir.

Dentro de mim só cabe pessoas inteiras, não pessoas que precisem roubar expectativas e sonhos para se sentirem satisfeitos uma única vez na vida; minha alma já foi morada para meios, só que esses meios nunca se completaram. Não quero alguém que vá embora no meio da briga, quero alguém que fique. Não quero alguém que pare de falar no meio da conversa, quero alguém que vomite palavras impensadas. Não quero alguém que faça as malas no meio do inverno, quero alguém que espere comigo a primavera.

Quero tudo, menos metade. 

0 comentários:

Postar um comentário