Lançamentos para assistir no cinema em Setembro

31 agosto 2016

E um novo mês surge trazendo consigo uma grande diversidade de ideias e novidades, e os lançamentos para Setembro prometem uma infinidade de gêneros e histórias, uma diferente da outra, porém todas parecem trazer aquela reflexão que todo filme deveria oferecer aos seus expectadores, e antes mesmo de assisti-los, consegui captar brevemente o pensamento por trás de cada título, e posso afirmar que todos estão repleto de críticas à sociedade, à família, ao comportamento humano. Logo abaixo você encontrá meus pontos de vista baseados em argumentos do cotidiano sobre o quanto um filme pode evidenciar aspectos da nossa própria vida. 

  • A comunidade (Lançamento 01/09/2016 - Drama)
Nossa vida é uma construção criada a partir da convivência familiar, e de alguma maneira, os mais próximos a nós são aqueles que mais influenciam nossa personalidade e nossas características. Somos uma troca de experiencia mútua, uma síntese ou várias linhas de uma história ilustrada por sonhos e aspirações, idealizamos utopias e devaneios como se fosse uma parte da nossa essência, e em consequência, lutamos por absolutamente tudo que alimenta nossos próprios interesses. O ser humano é uma espécie incapaz de conviver fora da sociedade, isolado no mundo, longe da caixa que habita, por isso buscamos encontrar no outro um espelho para nossa própria alma. Interagimos com indivíduos que são completa e distorcidamente o oposto de quem somos, porém é essa diversidade que torna as relações humanas tão prazerosas, imagina se todos fossemos iguais, onde estaria a graça de continuar essa brincadeira chamada vida? Mas existe o lado traiçoeiro por trás de cada declaração, de cada laço de amizade criado: algumas vezes lidar com a diferença é uma das tarefas mais difíceis quando se trata de convivência, é preciso ter paciência para lidar e enfrentar a divergência de opiniões, de pensamentos, de ações, e muitos perdem a cabeça quando é necessário despertar esse lado mais compreensivo. O filme A comunidade retrata a trajetória de um casal que abandona sua realidade para viverem um sonho inusitado, esquecendo o quanto familiaridade e convívio pode ser algo perigoso, e ainda mais na década de 1970, quando ainda não era a tecnologia responsável por afastar tantas pessoas. Erik e Anna decidem dividir sua casa a fim de viverem em conjunto com desconhecidos, e até certo momento, os jantares, reuniões e festas contribuem para uni-los ainda mais na realização do sonho de viverem em grupo, porém à medida em que as relações começam a se estender por uma curva errada e imprópria, eles são atingidos por um balde repleto de realidade, e todas as relações da comunidade são abaladas por um caso de amor que não estava previsto, mostrando que relacionamento e companheirismo é um exercício constante de paciência e tolerância.


  • Herança de sangue (Lançamento 08/09/2016 - Ação) 
Alguns filmes despertam uma sensação inexplicável de adrenalina quando os assistimos, as cenas prendem a nossa atenção como se não existisse liberdade para permitir que outros pensamentos venham à tona naquele momento, e quando se trata de ação, sempre existe aquela história por trás do de tudo o que observamos. Mel Gibson é um dos atores mais reconhecidos do mundo, e quando está de frente para as câmeras, é capaz de interpretar com muita facilidade qualquer personagem, e no filme Herança de Sangue, seu papel é de um pai que precisa proteger a filha a qualquer custo, independentemente dos riscos que existem por trás da escolha em salvá-la. Apesar das escolhas erradas que a levaram a enfrentar uma série de pessoas corruptas com sede de vingança e que juraram matá-la, seu pai não hesita em enfrentar o lado ruim de um grupo de traficantes. Desde o início até o último minuto do filme é possível notar que existe uma pergunta solta no ar, e que a resposta depende de quem o assiste, "o que você faria para proteger alguém que ama?" Pode até parecer simples buscar uma conclusão satisfatória para responder essa questão que o filme aponta com tanta naturalidade, porém é sempre no momento em que estamos diante de uma dificuldade que vemos o quão loucos somos por aqueles que mais amamos; quando a família está nos lugares mais fundos da alma, preso a sete correntes dentro coração, e é amor de verdade aquele sentimento de proteção e carinho, então é sempre comum que façamos o impossível para ajudar quem precisa, e daríamos a nossa vida para encontrar uma solução que resolvesse problema e dificuldade. Família não é apenas uma ligação entre pessoas com o mesmo sangue, família são escolhas, decisões, pensamentos, e principalmente sacrifícios.


  • Virei um gato (Lançamento 08/09/2016 - Comédia)
Ainda falando de família, existe uma grande responsabilidade em cuidar das pessoas que amamos, e isso envolve deveres e obrigações, e principalmente a capacidade de conciliar o tempo entre o trabalho e as pessoas que fazem parte da nossa vida. Família se mantém a base de amor e atenção, de abraços apertados, de conversas prolongadas, de risadas impensadas, e o trabalho sempre parece ser o principal inimigo de quem precisa passar um período mais longo ao lado da esposa e dos filhos, e o principal objetivo do empresário Tom Brand é conseguir arranjar uma maneira de comemorar o aniversário da sua filha ao mesmo tempo em que cuida das suas responsabilidades como empresário, mas sabemos que não é fácil, e de vez em quando, é necessário desfazer alguns planos e revê-los, e no caso de Tom, seu sacrifício é dar um gato como presente de aniversário para sua filha, mesmo não gostando de felinos, porém o que ele não sabe é que deixar de lado seu compromisso como pai irá trazer severas consequências ao seu futuro. Tom sofre um acidente e fica preso ao corpo de um gato, e para não ficar para sempre nessa condição, ele precisa concertar os erros cometidos como pai, realmente se dedicar a sua família e esquecer de tantos problemas que somente o afasta de quem ama. Algumas pessoas não sabem, mas é possível esquecer o passado e criar um novo recomeço sem precisar "virar um gato", e são algumas atitudes simples que mudam o futuro e melhoram os nossos planos, e o que adianta ganhar o mundo e simplesmente esquecer que são as pequenas coisas que nos transformam em seres humanos de valor?

 
  • Amor Eterno (Lançamento 15/09/2016 - Romance)
Aprendemos que o sentimento de amar surge quando menos esperamos e nos lugares mais inusitados, e entre pessoas que jamais imaginamos juntas, e quando acontece conosco é como se uma explosão de sensações se espalhasse pelo peito mais de uma vez, repetidas vezes, na verdade. Algumas coisas fogem do nosso controle, por isso são chamadas de inconstantes, porém lutamos para fixarmos os sentimentos que fazem morada dentro de nós, só que apenas dá certo quando duas almas estão dispostas a deixar os mistérios de lado e se jogarem no lado mais profundo do outro, e a universitária Amy compreende os riscos que se envolver com um professor de astrofísica rodeado de tristes e misteriosos enigmas pode trazer, porém ela se deixa conduzir pelo sentimento incontrolável à medida em que é consumida pelo excesso de sentir, mesmo em uma ligação criada através de um computador, o amor pode ser real. Sempre teremos um lado particular que estará sob cadeados pesados e mecanismos de proteção, e cabe a nós quebrarmos essas correntes e mostrarmos até mesmo os nossos maiores defeitos, porém será que o amor é o suficiente para revelarmos os nossos segredos mais íntimos, será que o amor basta para isso? O filme Amor Eterno é uma representação do quanto trocar mensagens com alguém através de um aparelho e uma tela pode distorcer as expectativas que criamos antes de finalmente entendermos com quem estamos lidando, é preciso ter cuidado, e saber diferenciar o real do imaginário antes que seja tarde demais para consertar as nossas escolhas.

 
  • O lar das crianças peculiares ( Lançamento 29/09/2016 - Aventura)
O mundo poderia ser diferente hoje. Se houvesse um pouquinho mais de tolerância e igualdade, talvez fosse possível amenizar os efeitos do racismo, do preconceito, da discriminação por raça, por cor, por orientação sexual, porém as pessoas que experimentam a coragem necessária para mostrarem ao mundo quem realmente nasceram para ser, são cegamente chamadas de anormais, de estranhos, de incomuns, e essa mesma liberdade é desintegrada em pó. São palavras que machucam, ações que nos prendem ao medo, ao receio, gestos que levam a fraqueza e a covardia. Esse é o lado que o diretor Tim Burton deseja explorar em sua última obra, com um toque de mágica e mistério ao redor de um mundo chamado Lar das Crianças Peculiar. Jake busca decifrar as pistas que o seu avô deixou para trás, e de repente, se vê rodeado de um ambiente desconhecido e repleto de algumas peculiaridades que nunca imaginou conhecer, nem dentro do seu imaginário; ele finalmente descobre sua verdadeira identidade, e por mais que continue dizendo que é uma criança normal como todas as outras, sabe que seu propósito ao descobrir esse novo mundo é diferente de tudo que já imaginou viver. Nesse lugar, as crianças são dotadas de habilidades incomuns, dons que são chamados de "peculiaridade", instrumentos que são usados para proteger o lar de inimigos e criaturas que tentam destruir o único espaço criado para aceitar tantas pessoas diferentes que apenas buscam um lugar para se encaixarem e sobreviverem.

Outros laçamentos para Setembro


Contra pra ela que não é o fim do mundo


Hoje ela vai dormir com um vazio tremendo no peito, não um coração partido, porém uma alma feita de buracos fundos demais para alguém pular e alcançar o outro lado. Até porque ela sente que não existe um outro lado para se chegar, não existe uma luz no fim do túnel. E ela se pergunta por quê ainda acredita que existe esperança, mesmo quando tudo diz que não. Alimentar tantas expectativas não fazem bem a ninguém, mas no seu caso, parece que é a única alternativa depois de todas as chances terem sido esgotadas. 

Até hoje ela não sabe porque não parou de tentar. Ela é uma garota feita de indecisão, e aprendeu a se levantar depois de uma queda, mas não aprendeu a curar todas as feridas que surgiram como consequência. Hoje são meras cicatrizes sobre inúmeras outras, marcas que precisavam se implantar no corpo de alguém e escolheram logo o seu para dominar. Depois de um tempo, a gente se acostuma a dor, mesmo que no peito ainda haja aquela teimosia em querer fazer diferente, em lutar por propósitos melhores e não se deixar desmoronar sempre que possível, só que nada é igual ao gosto de abrir espaço completo para a pequena angústia que vai crescer contra todas as forças do universo. É simples, é só desligar o restante de luz que ainda existe. 

No começo ela achou que fosse difícil, que não saberia suportar aquele sentimento inquieto de falta, de ausência, de coração abandonado. Tudo dentro de si murmurava que era impossível lutar, por isso ela não recusou a ideia de se entregar de vez ao recorrer lento e insuportável dos dias. Suas feridas jamais seriam curadas, e isso não era nada reconfortante, na verdade, não existia nada forte o suficiente para tirá-la desse coma imortal que era continuar encontrando um refúgio nos sonhos em que se via morrendo. Tudo estava fora do lugar, principalmente sua cabeça. Tudo era um borrão acinzentado, e o tom nublado da manhã parecia um reflexo daquilo que sua alma absorvia. 

Ela sabe que jamais será fácil, porque a vida não foi feita para ser satisfatória e suprir todos os nossos desejos, viver sempre vai doer um pouquinho, vai trazer uma decepção do passado de volta ao presente, vai golpear os sonhos por meio de uma realidade dura e incompreensível, viver excede o limite da lógica e traz uma infinidade de questões não respondidas, viver é correr os riscos enquanto se espera a consequência de cada oferta aceita, viver é machucar a si mesmo inúmeros vezes. Ela não quer fugir da dificuldade e da tormenta, não quer largar tudo no meio do caminho e simplesmente esquecer o presente, mas se existir uma maneira de preencher esse vazio no peito, de parar os machucados que não se regeram, conta pra ela, porque não resta muito tempo para desfazer a sujeira que todo o medo cria, e porque os dias restantes só são uma droga de desculpa para sentir que o câncer consome o que um dia já foi bom, e hoje, é só mais um terrível sonho que não acaba. 

Alguém que seja inteiro, não metade de algo

29 agosto 2016

Se hoje a noite alguém bater em minha porta, só deixe entrar se for alguém de verdade, porque aqui dentro não existe mais espaço para pessoas que são apenas metades de algo que nunca foram. Não vou mais perder meu tempo lutando por tantos meios que não se completam, e por tantos vazios que não se preenchem. 

Alguém que seja a sinceridade ao invés de fingimento, alguém que faça transbordar a alma ao invés de secar o que há muito tempo não recebe chuva, alguém que complemente ao invés de roubar tantas expectativas, alguém que inunde a alma ao invés de ir embora com toda a correnteza de sentimentos. Não quero viver de faltas, só quero alguém que exceda limites. 

Alguém que tenha a simplicidade de amar o essencial, alguém que deixe por aí um perfume adocicado mesmo que haja uma ventania levando-o para longe, alguém que saiba mergulhar no desconhecimento como se carregasse uma lupa no bolso, alguém que enfrente as tempestades mesmo que a agitação das ondas sejam intensas demais para remar. Alguém que suba montanhas até mesmo quando o sol estiver se pondo e a noite caindo. 

Alguém que seja feito de neve, de estações, de flores. Alguém que seja primavera e outono, que seja preto e o branco, que seja os dois lados da mesma moeda, que seja o fracasso e a vitória no mesmo round, que saiba ser a paciência e a calmaria que preciso. Alguém que não seja feito só de lágrimas, porém de sorrisos que escapam da alma.  

Alguém que tenha ótimas razões para ficar, que faça o impossível para não ir embora, alguém que não abra mão facilmente de promessas, alguém que saiba o momento certo para não dizer adeus, alguém que seja brindado contra a negatividade da vida, que encurte conversas para ir direto ao beijo, alguém que viva de abraços e que não se canse de ir até o fim da história, até o último capítulo, alguém que não enjoe de ouvir as mesmas músicas, que saiba compartilhar pensamentos quando é necessário, alguém que saiba estender a mão para amar sempre que algum de nós tropeçar, alguém que não invente desculpas esfarrapadas para fugir.

Dentro de mim só cabe pessoas inteiras, não pessoas que precisem roubar expectativas e sonhos para se sentirem satisfeitos uma única vez na vida; minha alma já foi morada para meios, só que esses meios nunca se completaram. Não quero alguém que vá embora no meio da briga, quero alguém que fique. Não quero alguém que pare de falar no meio da conversa, quero alguém que vomite palavras impensadas. Não quero alguém que faça as malas no meio do inverno, quero alguém que espere comigo a primavera.

Quero tudo, menos metade. 

Cuidado rapaz, essa morena é perigosa

25 agosto 2016


Ela não é mais aquela garota inocente de antes, de quando você a conheceu e não deu valor, ela mudou, e a mudança foi muito mais do que o tom do cabelo ou a textura da maquiagem, ela mudou a cor da alma. Sabe rapaz, ela está irreconhecível, principalmente pra você.

As garotas de hoje em dia vivem se humilhando pelos caras errados, como se qualquer babaca pudesse se transformar no príncipe encantado de uma hora para outra, mas aqui é a realidade, aqui não é um conto de fadas ou uma história da Disney, se você entrar em algum dessas crônicas da vida, é possível que perca bem mais do que o sapatinho de cristal e é bem provável que enfrente muitos lobos disfarçados de ovelha.

Ninguém precisou dizer a ela que todos os dias é necessário se injetar de altas doses de realidade a fim de conseguir eliminar tantas expectativas que a alma cria. As feridas dentro dela ensinaram que às vezes só resta uma única alternativa: abrir mão quando todas as chances e oportunidades foram jogadas ao acaso.

Não importa o quanto você tenha se arrependido, ela sabe que o tempo não volta, e que vale mais a pena olhar para o futuro e lutar por ele do que se prender ao passado e ver tantos erros não perdoados. Sabe quando a gente faz uma faxina do quarto e joga fora todas as coisas que não servem para nada? Ela simplesmente se desprendeu de você e desapegou de todo sentimento ruim.

E não pense que ela se tornou fria como neve, e nem que seus dias se transformaram em inverno, porque sua estação preferida é a primavera, quando as flores se desabrocham e se rendem a beleza com a mesma simplicidade de um nascer-do-sol enquanto os pássaros festejam e alma comemora. Não é o oxigênio que a mantém respirando, e sim a liberdade que a faz continuar vivendo, porque ela aprendeu a ser independente de você.

Você só serviu para fazê-a entender que algumas pessoas só aparecem para tirar a nossa força, para destruir tudo aquilo que já pensamos em construir, para fazer da nossa alma morada de um céu sempre nublado. Sabe aquela expressão "você brinca e amanhã você é o brinquedo"? Isso não tem espaço na vida dela, porque hoje ela é crescida demais para brincar, hoje sua brincadeira é ser feliz, e buscar dentro de si a simplicidade para amar quem merece.

Se você a encontrar por aí, tenha cuidado. Seu jeito de agir e pensar é diferente da época em que você perdeu a chance de fazer parte dessa história que ela escreve para si mesma todos os dias. Ou você olha para frente e segue, ou olha para trás e chora, afinal, oportunidade perdidas não voltam. 

Ele é de exatas

24 agosto 2016

Ele não é 8 e nem 80. 
Quando aquele sorriso de garoto levado vêm a tona, um sentimento de inquietação sempre aparece aqui no peito me dizendo que devo parar, que o meu limite chegou, que imaginar tantas coisas com alguém nunca é bom, mas ultimamente viver de ilusões tem sido o alimento da alma, só quero ver quando todas essas expectativas forem reduzidas a poeira. 

Juro que vou tentar manter essa parte de mim dentro de uma zona segura e de conforto, onde não corro qualquer risco de esbarrar em um "não" e me machucar feio como tantas outras vezes, mas quando penso no tipo de persistência que parece fluir tão naturalmente de suas atitudes e de tudo o que ele fala, é impossível jurar que não vou deixar essa incerteza me dominar por completo. 

Na verdade, eu tenho um pouco de medo de entrar na cabeça de alguém com tanta facilidade, mas com ele eu me sinto decidida a ir até o fundo, porque ele é esperto demais para não deixar os problemas mandarem em sua vida, sabe se impor quando vem aquela tempestade e ele precisa remar contra a maré.

Ele é como imã, vive me atraindo para sim. Enquanto ele é raciocínio lógico, eu sou impulsiva demais com minhas incertezas; é a calmaria dele que me mantém tão firme onde estou, como se eu fosse a base, mas é sempre ele o alicerce de toda construção que existe entre nós. 

Acho que ele nem imagina que essas palavras são pra ele, mas se por um segundo achar que sim, vou torcer para que tente encontrar a incógnita dessa equação de segundo grau que criei, porque garotas de humanas são assim mesmo: não se contentam com pouca coisa. Sou péssima em cálculos matemáticos, principalmente quando minhas contas dão aqueles números absurdos e "quebrados", porém ele parece ser inteiro demais para vir pela metade.

Dificilmente alguém o vê desocupado, e tenho certeza que a correria do dia-a-dia entre ir para o emprego e a faculdade é sempre cansativa, mas ele é incapaz de reclamar de algo, nunca vai abrir a boca para lamentar aquela gota de suor que seus objetivos exigem, sempre vai haver aquela linha retilínea de incentivo entre cada um de seu gesto, é o que mantém minha motivação sempre viva.

Sabe aquela formula definida e constante que utilizamos para resolver os problemas e as questões de uma prova? Ele é a solução de todo lado negativo que ainda existe em mim, ele é a correção perfeita de todos os meus erros, e até daqueles que nunca cometi. Juro que vou tentar não ser tão meio termo em relação a tudo, principalmente ao que sinto, porque com ele é tudo tão certo, óbvio, explicadinho, sem muita delonga, se você quer algo, vai direto ao ponto, se você sabe como fazer, vai lá e faz, é simples, você só precisa querer. 

Moça, escuta aqui

23 agosto 2016

Até quando ele vai continuar insistindo nessa ideia de que se há brigas, é preciso dar um tempo na relação?

Claro, seria tão mais fácil se o amor nos desse uma garantia de como o barco iria andar, de que tudo seria flores, de que nada fosse nos abalar e nos entristecer. Porque na verdade, qual seria realmente o significado dessa palavra tempo? A solução de tudo? Ou apenas uma fase da nossa vida que temos que aceitar e viver? 

Todos nós já escutamos por aí que o tempo resolve e cura tudo. Mas não moça. O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções. Será que não é possível pegar esse incurável amor que tem desentendimentos como qualquer um e lutar pra que dê certo? Se o ser humano não tiver coragem de enfrentar as ondas e marés da vida, que me desculpem dizer isso, mas é impossível amar. Porque amar não consiste em parar no primeiro, segundo ou terceiro obstáculo. Amar vai além do nosso entendimento.

Pra amar você tem que se doar acima de qualquer coisa. Há duas vidas em jogo. É um conjunto. Tem que existir ligação, empenho, dedicação e muita paciência. É como construir uma casa. Começa na base e vai subindo as estruturas com cuidado. Algo pode dar errado e se der? Você tem que estar lá pra suportar e impedir algo maior.

Em um relacionamento que não existir bate boca, desconfie, pois tem algo errado. Moça existe momentos em que é muito fácil descobrirmos se a pessoa nos ama realmente ou não. É na hora do aperto, na hora do choro, na hora da queda, é na hora que tudo estiver um mar de espinhos. Porque seria mais fácil pedir um tempo ao invés de bater de frente com os muros e quebrá-los com atitudes de ser humano que sabe amar? Alguém me explica, por favor.

Moça, agora tu já sabe. Se pedir um tempo com desculpinhas de briga e nessa mesma proporção falar que não te merece e blábláblá, é hora de fechar seu coração para ele sem medo algum. Quem corre da vida dessa maneira, há nem quero dizer o que é. Brigar não é defeito não. Se há brigas é Deus avisando pra fortalecer o amor mais ainda, que vai dar tudo certo no final.

Quando Deus avisa é porque ele sabe o que está fazendo, mas se não fizermos nossa parte por onde, fica difícil. E esse seu parceiro, nunca quis lhe assumir de verdade. Ou assume na alegria e na tristeza ou mostra logo esse mau caráter engasgado e some de uma vez por todas. Se ele quer tempo, então dê esse tempo moça bonita, mas que seja infinito pra ele não habitar sua vida por um longo tempo.

Será que a gente vai mesmo ser feliz?

22 agosto 2016

Essa nossa história é cheia de buracos vazios e de altos e baixos, e na maioria das vezes, eu e você não estamos preparados para lidar com tanta confusão e incerteza, mas lembra que prometemos não desistir tão facilmente, não antes de esgotarmos todas as possibilidades e chances de fazer dar certo?

Me mantive ao seu lado durante todo esse tempo porque prometi estar aqui quando tudo fugisse do nosso controle, quando precisasse estender minha mão para te segurar depois de uma escolha errada. De alguma maneira, uma parte de você também decidiu ficar e segurar minha mão, e a palavra chave para tudo o que construímos se baseia em reciprocidade. 

Tivemos sorte. Quantos relacionamentos você conhece que nem se quer passam do primeiro mês de namoro? Muitos, porque existem muitas histórias por aí mal escritas, pessoas que não sabem e não querem amar, são egoístas e impacientes com qualquer coisinha besta, mas quando é para falar sobre nós, sempre existem aquelas palavras gentis e apaixonantes que qualquer garota faz questão de comentar em uma roda de amigos. 

Sei que você também admira essa familiaridade que existe entre nós desde aquela minha apresentação no segundo semestre da faculdade, se você não tivesse feito aquele comentário desagradável sobre o quanto eu estava nervosa naquele instante, talvez nossas vidas de universitários não tivessem se cruzado, pelo menos não nessa existência, mas parece que tudo estava escrito para dar certo, era algo que nem mesmo o destino poderia quebrar. 

Só que depois não deu tão certo assim. Tivemos nossa primeira briga em um domingo a tarde, e você jurou que iria embora, não para sempre, mas até esfriarmos a cabeça, apenas para evitarmos que tomássemos qualquer decisão impulsiva. Ao invés de jogarmos fora as nossas alianças, você achou um jeito de continuarmos juntos, até mesmo depois de uma briga. Nenhum motivo foi forte o suficiente para arrancar do peito os nossos sentimentos. 

O que vale a pena é aquilo que fica depois de uma briga, e nós dois ficamos; você compartilhou os seus sonhos comigo e eu simplesmente os abracei como se fossem os meus. Acho que qualquer namoro é isso: é saber abraçar o que o outro tem de melhor, é criar ótimos motivos para crescerem juntos, é também lutar para evitar os erros e saber lidar com cada um deles quando acontecem, é saber mergulhar em pensamentos e ideias diferentes como se fosse possível se virar do avesso. 

É rezar para sermos felizes no final, e torcer para que finais não existam. 

Não foi a falta de amor que me fez desistir.

20 agosto 2016

Tudo o que senti ao seu lado foi um sonho que nunca chegou a existir, uma metáfora improvisada para algo que o universo jamais permitiu que continuasse, mas você se alojou em mim de uma maneira que toda sua essência ficou.

Meus pensamentos sempre me levaram aos seus erros, e cada um deles passou por mim como um filme dramático, com lágrimas e feridas silenciosas que ninguém vê, pedidos de socorro que ninguém ouve. Penso que você está aqui, mas é apenas sua sombra me guiando para um espaço que não conheço.

Às vezes, digo a mim mesma que acordei, que o sonho se desfez, que nada será como antes, que todos aqueles velhos sentimentos foram atropelados pela razão, mas eu sempre me engano em cada curva que ignoro. 

Seu rosto ainda é a capa daquele romance que tivemos. É como ouvir o barulho da chuva e silenciar as palavras que nunca foram ditas. Sou obrigada a não olhar para trás, e apesar de sentir que a única opção é saber que a vida continua, sempre existem motivos me fazendo ficar para trás. Dou um passo, mas é como se eu também quisesse ficar com os joelhos encolhidos em qualquer canto afastado do mundo. 

Me recuso a acreditar que promessas foram feitas para serem quebradas quando não existirem corações capazes de cumpri-la. É difícil não julgar todos os rostos que passaram por mim sendo que você foi o primeiro a me magoar, o único a dizer não a tantas emoções que me ligavam a você, mas cara, eu fui mesmo imbecil. 

Grande parte daquelas histórias que criei na infância falavam sobre nós. Sobre um beijo que nunca recebi, um abraço que nunca aconteceu, uma conversa que jamais chegou a existir. Haviam tantas coisas que eu poderia ter compartilhado se você tivesse dito sim ao meu carinho meio desajeitado, aos meus beijos e abraços apaixonados, ao meu olhar que sempre parecia dançar quando te olhava distraído, mas você disse não. 

Já imaginou como seria essa nossa história hoje? Ouvi incontáveis respostas negativas ao longo da vida, mas eu juro que nenhuma doeu tanto quanto as suas palavras. Sabe o que é pior? saber que nada vai mudar, nem mesmo depois de tantos anos. Te dei esse tempo pra pensar em tudo aquilo que suas escolhas jogaram no lixo, mas parece que agora é tarde demais para voltarmos ao passado. 

Mas eu também não quero voltar a sentir tantas lágrimas escapando de mim sem qualquer controle, nem reviver os momentos em que você me ignorou por achar mais importante estar na companhia dos seus amigos do que comigo. O passado não é meu amigo, e não é de hoje que carrego essa culpa por saber que te perdoaria em um piscar de olhos. Na verdade, já não existe nem mágoa, não existem ressentimentos sobre nós. Errar é normal, não nascemos com um manual de instrução ditando todas as regras, mas a partir do momento em que você se permitiu errar mais vezes que o permitido, deveria saber que estaria me perdendo, mas é aí que está o problema, você não se importou nenhum pouco. 

Os 7 melhores vídeos do canal Porta dos Fundos

19 agosto 2016

Para quem não conhece, Porta dos Fundos é um canal do youtube com mais de 12 milhões de inscritos, e com vídeos totalmente humorísticos que abordam temas variados e aleatórios do cotidiano. Há quatro anos o elenco do canal vêm conquistando e ganhando espaço na vida dos brasileiros, tirando risos e gargalhadas facilmente. 

Nada melhor do que criar uma lista com meus vídeos favoritos do canal e compartilhar com os leitores do blog. Se você ainda não acompanha o canal, é uma ótima oportunidade para conhecê-lo e ficar por dentro dos vídeos inéditos e exclusivos que são postados semanalmente.



Os homens reclamam que todas as mulheres demoram, mas não é fácil acordar de manhã com o cabelo despenteado e arrumá-lo em alguns minutos. E ainda por cima, lidar com toda pressão de ser mulher, mas afinal, homens são impacientes e não entendem as nossas necessidades, como aquele cuidado ao passar o delineador, porque se não, borra o olhar todo. 



Apesar dos 19 mil deslike do vídeo, e todas as críticas e comentários negativos a respeito de sua publicação, na minha opinião é um dos melhores. O Brasil é um dos países mais intolerantes se tratando de religião, sempre haverá aquele que acha sua crença superior e melhor, que desrespeita as ideologias dos outros, como se a sua fosse a verdadeira e única. Esse tipo de ignorância se tornou tão comum nos dias atuais, mas o importante é acreditar no que alimenta a alma, que te faz querer ser alguém melhor sempre. 



Sabe aquelas indiretas que alguém posta nas redes sociais e você pergunta se realmente foi pra você? Ou aquele ditado que diz o seguinte: Toda brincadeira tem um fundo de verdade? Já parou para pensar que talvez seja realmente verdade. Algumas coisas que dizemos e fazemos são tão óbvias, mas as pessoas insistem em não ver. 



Essa vídeo retrata a realidade do povo brasileiro. A primeira coisa que nos oferecem quando entramos em uma loja é um cartão, oferecem limites de compra sem ao menos saberem se poderemos pagar posteriormente! Vivemos um assalto todos os dias quando somos obrigados a pagar impostos e juros tão altos. E os bancos são os principais responsáveis por esse tipo de abordagem desagradável e insistente. 



Amo narrativas. É difícil não me prender a uma quando leio, e se pararmos para pensar, é exatamente assim que acontece nos livros, crônicas e textos que lemos, o narrador pode mudar o contexto de qualquer história enquanto ela vai sendo retratada na nossa mente como mágica. Se você começasse a narrar a vida de alguém, como seria?



Segunda-feira é aquele dia em que o despertador toca e todo o seu corpo se recusa a sair da cama, e você só diz que serão mais cinco minutinhos deitado, é quando bate aquela preguiça que te obriga a querer ficar ali pelo resto do dia, só procrastinando, sem precisar lidar com o chefe insuportável, com a pilha de tarefas do serviço, com os professores gritando no ouvido, e todo a cobrança que existe em criar novos planos e metas para a segunda. Segunda-feira é o dia ideal para se desapegar do fim de semana e começar a rotina novamente, como alguém normal, ou não. 



Quando alguém diz que relacionamentos são fáceis, essa pessoa não deve fazer ideia do que está falando. Namoros e casamentos, e qualquer outro tipo de construção amorosa é extremamente difícil, e exige muito de nós. Além de respeito e admiração, é preciso ter paciência para dar e vender. Terá que aprender a lidar com outro alguém que na maioria das vezes é diferente de você, na maneira de pensar, de agir, nas atitudes. Existe briga, muita raiva, paranoia, mas nada que uma boa conversa não resolva, ou um revólver calibre 38.

Mudaram as estações, mas você que foi embora

18 agosto 2016

Ainda me lembro de quando você foi embora, atravessou aquela porta e nunca mais voltou, ou pelo menos jurou que nunca mais me veria novamente, ainda disse que estava me protegendo, e que o fim é apenas um estágio que antecede um recomeço, porém eu não me senti pronta para começar tudo de novo, não sem você.

Entendo que grandes avanços acontecem quando damos o nosso primeiro passo, mas eu me vi procrastinando, me encolhendo contra minha própria segurança, ultrapassando o limite do comodismo sempre que possível. É difícil quando estamos sozinhos e não há mão para ser estendida em nossa direção. Sempre encontraremos uma desculpa para nunca nos levantarmos.

E você foi a minha melhor desculpa. Eu odiava sentir a sua falta toda vez que o sol se punha. Anoitecia na cidade à medida em que mais lágrimas rolavam.

Meu maior medo é que você volte quando eu menos esperar, pegando-me de surpresa quando eu já estiver distraída, quando eu já estiver sarada de todas as feridas que você deixou em mim. Não é só lá fora o inverno, parece que neva aqui dentro de mim também.

O adeus é sempre a pior parte de qualquer história, é o adeus que cria tanta desilusão, que apaga tantas expectativas, que cria tantas barreiras invisíveis dentro da gente. Minhas primaveras são cinzas como se todo o céu estivesse nublado, como se fosse a representação da tempestade que se passa em mim, tento não desmoronar, mas quando os ventos de inverno surgem, eu sou fraca demais para suportar. 

Já fazem alguns meses desde a última vez em que nos vimos; seu cheiro adocicado não sumiu de mim, a imagem de como o castanho dos seus olhos dançavam contra a luz é nítida demais para ser esquecida, seu sorriso era como uma melodia que não paro de cantar.

Não tive tempo de pedir que ficasse, porém tenho minhas próprias dúvidas de que você não aceitaria; você nunca foi o tipo de cara que luta para algo dar certo, simplesmente vai embora quando as coisas complicam, talvez seja mais fácil assim. Se eu tivesse aberto mão de todo esse sentimento desde o início, talvez fosse mais fácil lidar com o adeus e o buraco que você deixou. 


Não adianta, nem mesmo quando fecho as portas e janelas para me aquecer e evitar que mais alguém entre. Quando você foi embora, levou uma parte de mim junto, levou a pequena fagulha que me mantinha aquecida. Essa dependência de você simplesmente me mata, mas é a maneira que encontrei de continuar te sentindo sempre que possível. 

É fácil amar quando o riso é forte, e o chopp gelado

16 agosto 2016

Sim, é fácil amar quando se está sentando na mesa de um bar cheio de gente que dança e ri. Ela entende como é esperar que algo aconteça e depois sentir que todas as suas expectativas foram quebradas, como se nunca tivessem significado nada. Ela também sabe como é voltar para casa depois de um dia agitado e saber que aquela mensagem não estará entre as conversas do celular.

Mas será que o problema é ela ou todos os outros? Porque enquanto não existirem respostas para o seu medo e sua insegurança, ela sempre vai achar que é o seu jeito torto e distraído de amar. E mal sabe ela que todos os babacas do mundo não estão dispostos a amar um sorriso como o dela. 

Não, o problema não está na maneira como ela se veste, ou no costume de amar com os olhos, nem no jeito tímido que a faz ficar tão ansiosa, o problema é que existe imaturidade demais em garotos que tentam amar sem desgrudar do copo de chopp gelado, que trocam amor de verdade por qualquer prazer que uma aventura pode dar. Ela precisa aprender a não se culpar tanto, a sentir dentro de si que para estar bem de verdade não é preciso estar acompanhada por qualquer idiota que não sabe valorizar a própria dignidade. 

É fácil levar na brincadeira quando é possível brincar com o sentimento dos outros, afinal, é sempre ela que saí machucada de qualquer história inacabada, mesmo que tenha tentando com todas as forças consertar qualquer capítulo mal escrito, porém às vezes não funciona como queremos. 

Ela simplesmente cansou de buscar profundidade em almas tão rasas, cansou de tentar mergulhar em sentimentos que não fazem bem, que mais secam do que umedecem. Quando corações se transformam em deserto, não existe rei que encha novamente. Mas ela nunca parou de arriscar nas maiores incertezas que a vida pode oferecer; que coração ousado o dela, sabe que tem o sorriso mais lindo do mundo e uma alma cheia de sonhos para acreditar. E estar sozinha talvez seja ausência de pessoas, não de amor próprio. 

Quando toda a conversa é rir, e todo o papo é sorrir, é realmente fácil dizer que vai retornar a ligação, que aquela mensagem de bom dia será enviada, que as expectativas serão correspondidas. Os garotos mais covardes são sempre aqueles que dão o fora quando as coisas ficam sérias demais, que dão meia volta e fogem. E no dia seguinte, ela precisa sorrir e fingir que está tudo bem, sendo que dentro é possível sentir mais uma decepção se acumulando, mais uma para afastá-la de qualquer possibilidade.

Corações ingênuos aprendem, e o dela está em processo de aprendizagem constante. Hoje ela não acredita em histórias de príncipes encantados, de amor a primeira vista, de promessas vazias, agora ela só quer alguém disposto a amar, alguém com a alma cheia de sonhos e o coração transbordando de vontade de ficar depois daquele chopp gelado. 

Com quantos corações você ainda vai brincar?

15 agosto 2016

Sabe quando algo não te deixa dormir tempo o suficiente para se sentir novo outra vez? Foi assim logo pela manhã, quando não tive nem se quer tempo para tomar meu café da manhã em paz e já existiam 17 ligações perdidas no celular. 
Mas essa não era a razão da minha impaciência. Meu nervosismo parecia ir além, como sempre. Ele estava se apaixonando, que droga. E reconhecer isso era a parte mais difícil, porque não se pode ignorar algo que pode destruir algo que lentamente vai sendo consumindo pelo fogo, é preciso jogar um balde de água fria antes do incêndio continuar. 
Eu só queria parar com essa história mal contada sobre paixão, dar um basta antes de ouvir um inesperado "eu te amo" logo no primeiro mês de namoro. Como sabemos quando é amor de verdade em tão pouco tempo?
- Oi amor. - ele atendeu no primeiro toque.
- Precisamos conversar - disse, seca demais para ser gentil. 
- Lá vem problema, não é?
- Consegue me encontrar? - perguntei, ainda decidida. 
- No lugar de sempre?
- Sim. 
Me vesti rapidamente, controlando os pulos de ansiedade que meu coração dava de vez em quando, mas já foi fácil me concentrar quando eu não estava preocupada demais com um relacionamento que não poderia continuar, não depois de tanto sentimento me sufocando, é melhor ter um grande espaço para respirar. 
Estava frio e chuvoso lá fora, e quase liguei novamente para marcar um outro dia, porém meu coração sempre foi preso a mesma frieza, e não me importava se era primavera ou outono, eu precisava colocar um ponto final em um capítulo que ainda não havia terminado. 
Ele parecia nervoso, e seu sorrisinho de garoto mimado parecia dizer muito bem isso. Desferi um olhar frio enquanto ocupada o espaço vazio ao seu lado. Não houve beijo, e me senti muito pior quando percebi que eu poderia ter sido mais gentil, mesmo com um breve selinho. 
Aquele silêncio de início pareceu inquietá-lo, mas enquanto ele prevalecia, eu pensava exatamente no que dizer, ou no que não dizer. 
- Isso não pode continuar. - disse, por fim. 
- Você se refere a nós? 
- Sim, não devemos continuar juntos. 
- Mas porque? 
- Porque não damos certo, e isso parece muito óbvio. 
- Essa resposta ainda não me convence. 
- Não preciso convencer, eu só quero que entenda. Me desculpa. 
Uma parte de mim queria continuar sentada ali e terminar de esclarecer tudo, mas por impulso, senti uma vontade extrema de ir embora e nunca mais voltar. Além do cheiro de cerveja, as recordações de quando havíamos nos conhecido ali me incomodavam. 
- Simples assim? 
Sua pergunta me fez parar, e quando voltei a encarar o tom apagado em seu olhar, uma pontada de culpa gritou o quanto eu era egoísta. 
- Você diz isso e vai embora, simples assim? - questionou. 
- Simples como deve ser. Odeio complicações, e você sempre soube disse. 
- Juntos somos qualquer coisa, mesmo uma complicação
- Não ainda, mas relacionamento sempre levam a isso. Assim é melhor, ninguém terá dor de cabeça.
- É isso que faz de você uma covarde! - ele exclamou, me deixando surpresa.
- Relacionamentos são perigosos, e não correr riscos é saudável.
- Aí então você para de tentar quando acha melhor? 
- Nossa história nem se quer devia ter começado.
- Você tem medo. - ele afirmou, sem qualquer sombra de dúvida. 
- Porque diz isso? - questionei. 
- Quem é ele?
- Ele quem? 
- O cara que destruiu o seu coração e suas expectativas. 
- Ninguém, isso não aconteceu. - neguei. 
- Vai, me fala. - ele insistiu. 
- Um cara. - minha impaciência me fez desabafar. 
- E você vai fazer a mesma coisa que ele fez contigo só porque tem medo de conhecer outro babaca? Se essa é a sua escolha, então se prepare para viver sozinha.
E em passos lentos e silenciosos, ele foi embora, me deixando naquele bar, enquanto eu apreciava minha vida como alguém que não sabe o que fazer, como alguém que não tem mais escolhas e nenhuma alternativa. Naquele momento, eu só quis amar e ser amada. 

Minha saudade tem nome e o meu sobrenome.

14 agosto 2016

Que jeito difícil de começar. 
Que jeito terrível de formalizar essa minha mania de sempre estragar sentimentos que não são meus. Aqui há palavras em forma de saudade, de vazio, de arrependimentos. Aqui há episódios que nunca foram contados, aqui existem sensações inexplicáveis de uma alma que nunca se cansa em se jogar em histórias recém-criadas.  

Mas essa não é uma história comum, não é uma crônica ou uma narração sobre corações partidos, nem memórias de uma alma insensível e fria, aqui são verdades, são desabafos que nunca foram gritados em voz alta, mas que continuaram, durante um bom tempo, sendo arrastados por uma silêncio que mais arrancou de mim do que acrescentou. 

Quando as pessoas vão embora, elas deixam algo. Sinceramente, eu não sei o que você deixou. Não sei se foi essa saudade que às vezes sinto, ou essa falta que se desprende de mim e me transborda de vazio, que me faz ter uma alma cheia de arrependimentos. 

Me transformei nessa barreira de ferro que muitas pessoas conhecem, sou um limite impossível de ultrapassar, com uma mente repleta de pensamentos que dominam a frieza na qual lido com tudo, principalmente a sua falta. Não sei dizer que sinto falta, por isso nunca digo. Não sei como permitir que as lágrimas de saudade venham, por isso não choro. Não sei como me desmoronar quando penso nos 14 anos de memória que você deixou para trás, que você deixou em mim, por isso não penso. 

É, eu sou um poço de mistério. Já chorei por tantos motivos, já me permiti cair por tantas razões, já me tornei fraca por tantas desculpas, porém quando você entra na história, uma sou uma muralha de fortaleza, sou impenetrável pelas lágrimas, sou vacinada contra as quedas. E não sei o quanto de mim pertence a você. 

Mas eu sou apenas um esteriótipo de mentira, da negação em pessoa, da relutância em ceder a verdade. Tento me reconhecer no meio de tantas histórias que escrevo, e então percebo que é um negocio tão estranho me mascarar o tempo todo atrás de uma personagem que veste uma armadura para se esconder de sentimentos que ainda me percebem, e eu tento a cada segundo me desvencilhar deles com medo de ser fraca, frágil, e insuficiente. 

Porque eu sempre te vi como um alguém forte, um alguém que também se esconde atrás de uma armadilha em forma de fumaça de cigarro, porque eu sei que você lutou para abandonar o vício, e que não fácil escolher morrer lentamente por causa dele, mas acabou acontecendo. Eu queria ter sido sua base, seu alicerce, sua força, sua coragem, mas eu só fui aquela que nunca entendeu o seu lado, porque era egoísta demais para reconhecer o quanto você só estava preocupada comigo. 

Tenho a impressão de que não lutei por tempo suficiente, e que devia ter feito mais, ter dito mais [...] porque ainda existem palavras não ditas aqui no peito. Tanta coisa mudou depois que você foi embora, tanta coisa mudou em mim. Não sei se você me reconheceria facilmente agora. Sim, eu já fiz muita merda e já cometi muitos erros, mas eu daria tudo para que você estivesse aqui para me dar uma daquelas broncas. Fui egoísta demais para entender que suas atitudes eram por amor. 

É tarde demais para arrependimentos, para dizer tudo o que nunca tive coragem de falar, para transformar os seus últimos segundos em um adeus de verdade. Agora é tempo de seguir em frente, de olhar para trás e agradecer, mas no meu caso, eu só queria te pedir perdão uma única vez. 

Me desculpa.

Bagunça de alma vazia, e de coração rebelde

11 agosto 2016

Quando abri os olhos pela manhã, eu já não era mais o pássaro solto de meses atrás. A cama ainda estava bagunçada. Não senti a mínima vontade de levantar e arrumá-la, então continuei encolhida, como se ali não pudesse existir mais ninguém, porém para o meu azar, havia alguém no qual uma parte de mim não estava disposta a ver.
Essa era a graça de estar casada. Em uma relação como essa, você não pode simplesmente fugir de suas responsabilidades, porque o medo de assumir seus erros não pode ser maior do que as próximas consequências, por isso eu fiquei tanto tempo presa a alguém que não merecia. Às vezes, achamos que reconhecer nossas fraquezas é continuar sendo fraco, mas é sempre daí que surge a vontade de fazer algo para mudar. 
E quem dera eu tivesse tido essa coragem para começar de novo, para gritar um basta alto o suficiente para todo o bairro ouvir, mas o silêncio é como câncer, vai matando a gente por dentro lentamente
- Tudo bem, amor? - o tom suave daquela voz me fez despertar para a realidade, porém de um jeito inesperado e confuso. Ele se ajeitou ao meu lado, se aconchegando como se pudesse permanecer ali para sempre. 
Balancei a cabeça, e logo em seguida, uma pontada de dor pareceu explodir contra todos os meus neurônios. Reprimi um gemido, e minha garganta se fechou. Não consegui sorrir.
Ainda em silêncio, tentei sair do quarto, mas fui rendida pelo toque gélido e forte de Júlio. 
- Você não parece bem - ele disse. 
- Estou cansada. Só isso. - tentei mentir, mas a voz fraca parecia entregar tudo. 
Desci as escadas correndo, tão rápido a ponto de não aguentar meus próprios passos. Entrei no banheiro do primeiro andar. O ambiente ainda frio e úmido me fez arrepiar, mas eu vasculhei o cesto de roupa como alguém que procura uma salvação. 
Disquei o primeiro número que veio a mente. 
- Alô - alguém do outro lado respondeu. - Mari?
Apesar de saber que Henrique não veria, balancei a cabeça, e entre lágrimas que rolavam impassíveis, encontrei minha própria voz. 
- Não aguento mais. Me ajuda, por favor. 
- Calma, Mari. 
- Algo que não tive nesses últimos meses foi calma. 
- Limpa seu rosto. Para de chorar - Henrique exigiu. - Agora. 
- O que vai adiantar? Ele vai perceber, sempre percebe. 
Encarei meu reflexo no espelho embaçado. A parte extrema dos meus lábios estavam marcadas por fragmentos roxeados, e aquela mesma cor enegrecida parecia circular o ponto onde meus olhos mal se abriam. 
- Você pode fazer diferente. Ser livre outra vez. Me encontrar na próxima quinta a noite e a gente dança até o restante dela. 
- Isso é impossível. Se eu sair, Júlio me mata. 
- Na janela da cozinha, na parte de fora tem um frasco. 
- Não posso fazer isso.
- Então você prefere que te matem aos poucos? 
- Não tem outro jeito?
- Só volta pra mim, Mari.
- Sem problemas. 
Ele desligou. Limpei o rosto, e fiz o possível para melhorar aquela aparência fúnebre. Depositei o celular no cesto, sob uma pilha de roupas sujas, e sai. Peguei o vidro depositado na parte de fora da janela e despejei todo o seu conteúdo na pequena xícara de café. 
- Júlio, preparei o seu café. - disse ao entrar no quarto. 
Ele estava nu, e enquanto se vestia, parecia reparar na beleza dos pássaros que dançavam lá fora, em mais uma manhã de inverno. Minhas mãos tremiam, mas quando entreguei a ele o café quente, não reparou no meu incerto nervosismo. 
- Parece melhor. 
Sorri, olhando para o seu peito descoberto. 
O primeiro gole pareceu descer rapidamente. Quente e seco, sem hesitar. O segundo foi mais demorado, e ele parece apreciar o leve sabor da bebida. 
- Me desculpa, Júlio. Eu te amo. 
- Porque... - ele começou, mas não houve tempo. 
Sua circulação já devia estar dominada por aquele líquido incolor e neutro. Tentei segurá-lo antes que caísse, mas o tempo era inexistente, os segundos se dissolveram em pó, e uma história chegou ao fim, e eu não sabia se era a dele, ou a minha. 
Por um último impulso, beijei os seus lábios, frios como sempre. 
- Apesar de tudo, eu sempre te amei. 
Olhei os pássaros soltos pela janela, e sorri. Sem culpa, sem dor, e sem arrependimento. Livre e fria. 

Frases que todo estudante deveria ler pelo uma vez na vida



Época de vestibular é sempre difícil. Talvez pela pressão dos pais, ou pela incerteza das escolhas, afinal, é a nossa satisfação pessoal que está em jogo. É normal se sentir temeroso diante de uma possibilidade que pode mudar o rumo da nossa vida para sempre. Alguns nomes do passado continuam marcados na nossa história pela maneira como contribuíram para a época em que viveram. 

Hoje, esses mesmos autores são a fonte de inspiração para os momentos em que perdemos o foco e a disciplina em se manter firme nos objetivos, e motivação é algo que precisa ser alimentado diariamente, só assim conseguiremos superar os obstáculos que surgem na vida de um estudante, obstáculos simples, como preguiça, Netflix, procrastinação, etc. 

Não pense na concorrência, não pense nos outros, pense em você, pense que sua vaga já está garantida, que só precisa se superar para merecê-la. Hoje eu trouxe uma seleção de frases que amo em comemoração ao dia do estudante, e espero que vocês também gostem. 

“Continue andando. Haverá a chance de você ser barrado por um obstáculo, talvez por algo que você nem espere. Mas siga, até porque eu nunca ouvi falar de ninguém que foi barrado enquanto estava parado”
– Charles F. Kettering

“Escolha uma ideia. Faça dessa ideia a sua vida. Pense nela, sonhe com ela, viva pensando nela. Deixe cérebro, músculos, nervos, todas as partes do seu corpo serem preenchidas com essa ideia. Esse é o caminho para o sucesso” 
– Swami Vivekananda

"Jamais considere seus estudos como uma obrigação, mas como uma oportunidade invejável para aprender a conhecer a influência libertadora da beleza do reino do espírito, para seu próprio prazer pessoal e para proveito da comunidade à qual seu futuro trabalho pertencer"
— Albert Einstein 

"Para conquistar o sucesso, você precisa aceitar todos os desafios que vierem na sua frente. Você não pode apenas aceitar os que você preferir” 
– Mike Gafka

“Daqui a vinte anos, você não terá arrependimento das coisas que fez, mas das que deixou de fazer. Por isso, veleje longe do seu porto seguro. Pegue os ventos. Explore. Sonhe. Descubra” 
 –  Twain 

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente. Quem sobrevive é o mais disposto a mudança." 
 –  Charles Darwin

"A vida é sobre criar impacto, não uma renda." 
 – Kevin Kruse 

"Ser feliz é deixar de ser vítima dos próprios problemas e se tornar autor da própria história. É falar de si mesmo. É não ter medo dos próprios sentimentos."
–  Augusto Cury

Eu deveria estar deitada no seu colo

10 agosto 2016

Só queria estar aí uma única vez. Se você me deixasse ocupar qualquer canto do seu coração talvez a minha vida não fosse só vivida de saudade, porém é como dizem, cada saudade tem o seu devido nome, e essa falta que carrego no peito não é nada além do que marcas com sua assinatura. 

Será que um dia você ainda volta correndo? Não mudei meu endereço, não alterei o meu número, não te bloqueei das minhas redes sociais, apesar de ter tentando te eliminar de todas as conexões internas que continuam se acumulando aqui dentro. Será que você se lembra de quando andávamos de mãos dadas e criávamos promessas como se pudêssemos cumprir todas no dia seguinte? Esqueceu daqueles planos que fizemos na varanda de casa, quando o céu ainda estava estrelado e a noite passava tão rápido a ponto de me obrigar a dizer adeus?

Mas é claro que você não se lembra, e é obvio que também não faz questão de se lembrar. Tentei me obrigar a não te amar, e nem precisei de muito esforço. A gente se arrebenta em muitas quedas, mas quando percebemos que estamos caídos a muito tempo, acordamos para a vida, finalmente despertamos. E eu cansei de tantas ilusões, porque já não existia fôlego para viver com toda essa esperança que eu mesma criava. 

Chega um momento em que todas as reservas de amor já foram esgotadas. E fica o vazio no lugar de tantas sensações inexplicáveis e sentimentos confusos, como se cada um pudesse se incorporar até formar algo intenso demais para ser partido ao meio ou jogado fora. 

Até dava para sacudir o meu corpo e tirar os restinhos de você que continuavam em mim, mas durante um bom tempo eu não me atrevi a revirar tudo aquilo que havia sido cultivado junto aos meus sonhos. Até que ponto você foi covarde o suficiente para criar tantas ilusões e depois não assumir o seu erro? Eu até tentei consertá-los por você. Lembra que eu disse que não precisaríamos se preocupar, e que tudo estaria resolvido na manhã seguinte depois de uma boa noite de sono?

Algumas pessoas não são destinadas a ver a verdade logo de cara, por isso demorou um pouquinho para eu finalmente compreender que a única machucada havia sido eu. Talvez aqueles joguinhos tenham funcionado, porque você atingiu meu coração como se ele fosse o alvo. Erros são cometidos para a gente aprender, e se você ainda não viu, eu aprendi muito bem. 

Porque agora que os caminhos se separaram, e eu sigo meu próprio destino, talvez as pessoas vejam que essa armadura ao redor de mim só existe para não me machucar novamente, mas aqui dentro, onde bate um coração medroso, que ainda pulsa, sei que deveria estar deitada no seu colo. 







Ela tem alma de sagitariana, rapaz

08 agosto 2016

Ela não é como as outras. Existem garotas fracas e passivas, que simplesmente abaixam a cabeça quando acham que não são capazes, que acabam aceitando tudo sem questionar, mas ela não é assim, é mais do tipo original e durona, que levanta depois de uma queda, que sabe o momento certo de parar, de dizer adeus. 

Nem sempre você irá ouvir coisas que realmente quer ouvir, porém se existe algo que a faz ser tão incrível ao extremo é a sua sinceridade, é encontrar dentro de si motivos e razões para fazer da verdade sua maior aliada. Ela dança de felicidade nos sábados a noite, imita seu cantor de sertanejo favorito como se soubesse o ritmo certo, mas não se importa de errar algumas notas. 

Pense duas vezes antes de tentar iludi-la. Ela não é garota de viver por ilusões, e se você acha que é capaz de fazê-la correr atrás de ti, então não a conhece tão bem assim. Mas não faz diferença, pois garotas de alma sagitariana respiram liberdade, e inspiram independência. Não tente prendê-la com esteriótipos, com imposições, não tente aprisionar os seus sonhos; ela vai se soltar, porque mulheres fortes como ela, sempre dão um jeito de dar a volta por cima. 

Ela só quer se jogar no mundo, deixar um pedacinho de si por onde passar, e em contrapartida, absorver o que a vida tem a ensinar. Amável sempre que possível, porém dê um passo em falso, e ela saberá como retribuir. Você se pergunta de onde vem tanta força para acreditar em sonhos, e é exatamente de dentro, vêm da intensidade de querer viver cada segundo como se pudesse eternizar sua essência. Ninguém precisa impulsioná-la para uma aventura, ela sabe o caminho, e quando não sabe, aprende. No seu coração não existem meio termos, mas é um coração que se curva a razão. 

Talvez seja uma grande coincidência, mas não é à toa que a Espanha é um país regido por Sagitário, lugar de onde partiram as grandes navegações, os apaixonados pela aventura. É essa singularidade de jamais abrir mão de quem realmente é por quem não merece. 

Rapaz, ela te tirou um suspiro de admiração, não foi? Se sentiu abraçado só pela maneira como ela te olhou, porque ela tem um toque de alegria no sorriso, no olhar, e ela dança com a alma. Ela é solta e livre. Mas nunca tente sufocá-la com tanto amor, e sim, ela ama demais, sente demais, vive demais, porém ela não foi feita para exageros se tratando de namoro. Terá dias em que ela vai querer pertencer a você, só a você, mas tem outras que vai querer ser a alegria de uma festa, de um aniversário, ou alegria do zodíaco. 

Ela tem jeito de quietinha, de garota inocente e distraída, mas de boba não tem absolutamente nada. Seu coração sempre cabe mais histórias. Histórias de família, de suas amizades, de pessoas que fizeram parte de sua vida, das bebidas compartilhadas, das conversas jogadas fora dentro do ônibus,histórias de uma vida inteira. Mas sabe rapaz, ela não é como as outras.

Chega uma hora que cansa

06 agosto 2016

Sábado é o único dia que dá vontade de largar tudo e ir embora; na verdade, qualquer dia normal é um pequeno instante para se desejar sair de onde está. Mas sábado é aquele dia em que entramos no trem querendo que a próxima estação seja um novo país, outra nova cidade, ou qualquer lugar desconhecido pelo restante do mundo. 

Uma parte de nós espera que essa pequena trajetória de uma estação a outra leve a um começo totalmente contrário ao que estamos acostumados, e a esperança que toma conta de toda nossa intuição é um incessante ciclo entre acreditar e desacreditar. 

Olhamos para trás cansados do quanto a rotina se baseia na mesma paisagem repleta de passos apressados, de carros que nunca param de buzinar, de pessoas indo e vindo enquanto odeiam seus empregos e suas vidas; olhares impacientes que não observam a pouco beleza que ainda existe, cabeças abaixadas na própria tela do celular, distraídos, impercebidos, cansados de continuarem presos a sua realidade. 

Nossos sonhos são trancados em janelas fechadas de ônibus lotados, desejos aprisionados na tentativa de implorar pela rápida chegada da sexta-feira, propósitos bloqueados pela sensação de que nunca chegaremos ao topo, porque já existe uma elite não permitindo a nossa chegada, intenções que são derrubadas pelo ócio, pelo conformismo, pelo medo. 

Sábado é esse dia em que acordamos atrasados para um compromisso, aquele dia em que queremos mais cinco minutinhos de sono, como se fosse uma recompensa por todos os momentos anteriores em que levantamos antes das seis, ainda naquele clima de inverno, frio e silencioso, como a escuridão de uma madrugada qualquer. 

Mas a vida não trata todo mundo igual, somos criaturas tão parecidas e ao mesmo tempo tão completas; somos conduzidos por crenças diferentes, por atitudes que não se alinham, por gestos que fogem da normalidade, do padrão, e falando em padrão, ainda existem aqueles que se enfiam em caixas vazias, aprisionando a única coisa que faz um ser humano ir além: sonhos. 

Mas chega uma hora que cansa. Cansa não ser diferente, cansa não dar um passo a frente sempre que a oportunidade surge, cansa não ir atrás das possibilidades que foram desperdiçadas pelo receio de tentar, cansa acordar em um sábado de manhã e ser consumido pela mesma rotina de sempre, o cotidiano que não muda, hábitos que nunca serão extinguidos. 

Meus dias tem sido esse sábado, e o de muita gente também, mas a vida nunca foi esse mar de rosas que as pessoas tanto idealizam, temos que remar contra a maré sempre que a tempestade vêm, mesmo que ela venha de todos os lados, até mesmo quando menos esperamos.