Todas aquelas tentativas não esquecidas

19 maio 2016

É, e quem diria, aquela pequena dor que eu senti durante minutos que escaparam tão facilmente do meu consciente se transformou em uma barreira onde não era possível atravessar. Nada havia sido diferente, nem mesmo quando me afastei do único fio que ainda me mantinha aqui

Tudo havia sido tão instável, tantos humores, e quantas lágrimas sendo derramadas em um espaço de tempo só meu, entre uma respiração ofegante e impenetrável e um sorriso distante e apagado. Uma parte de mim já não sabia como lutar e seguir adiante, já não era continuar no campo de batalha minha maior questão, mas sim a razão por continuar

Lembrei de como o telefone ficou perfeitamente no gancho quando interrompi os últimos segundos daquela ligação; bastou um segundo para meus pensamentos explodirem e aflorarem contra minha pele através de gotas finas e imperceptíveis de suor. Se não fosse ali, entre aquele amontoado de papeis e documentos do serviço, minha fraqueza teria vindo a tona. 

E eu teria deixado cada fibra do meu corpo se render, porém existiam muitas e inúmeras vezes em que havia me permitido fraquejar, e já estava mais do que na hora de parar, de evitar tantas fugas, e tantas caminhadas que não me conduziam a nenhum lugar. Senti que era o momento certo para tentar concertar tudo, mesmo que fosse do meu jeito estranho. 

dia 24 de Maio, 2016 - futura ida ao psicólogo. 

0 comentários:

Postar um comentário