Depende de qualquer ponto de vista

25 maio 2016

Nem precisa me contar, eu já sei. 
Teve um momento que você se desesperou, e achou que o fim era o próximo intervalo de tempo; um segundo que imaginou nunca chegar, mas que se aproximou lentamente. 

O fim era aquele suspiro triste, aquele olhar magoado, aquelas palavras distantes, aquele toque frio, a melancolia dos seus pensamentos em uma manhã nublada, aquela falta de vontade te obrigando a dizer "não" mais uma vez aos seus sonhos. 

E enquanto o fim significar deixar de lutar mais um pouquinho, será mais difícil ainda enxergar que existe um recomeço no final da estrada, na próxima curva, que abrir os olhos é enxergar o mundo colorido outra vez, que sua opinião pode destruir muitos preconceitos e barreiras. 

Haverá medo, e um certo receio. E esse medo irá conduzir suas escolhas, e dominará todos os motivos que te fazem continuar tendo coragem, apesar de tudo. É esse medo que você irá sentir contra as batidas do seu coração, que estará em suas veias. Mas ao contrário do que dizem, é possível enfrentá-lo. 

São doses diárias de fé, de acreditar em si mesmo, de imaginar que sua capacidade é mais forte do que o receio de nunca conseguir, de se aprimorar todos os dias, de se apaixonar sempre por si mesmo. 

Sinta-se no paraíso quando estiver olhando para o seu trabalho e perceber que ele é o fruto de sua determinação, lealdade e coragem. 

0 comentários:

Postar um comentário