Quando é hora de se dar um tempo

17 janeiro 2016

As últimas semanas foram tediosas até o limite, e eu já não estava aguentando se quer mais um instante sem entrar no meu blog, e por um segundo, eu me senti normal demais para ser a garota que sonha em mudar as pessoas através de escritos e textos que sua própria alma escreve, seja por meio de risos ou lágrimas repentinas, eu acreditei finalmente que eu pertencia a alguma parte do mundo, e que meu mundo aqui havia se desintegrado por completo. 

Mas eu só fui viver a minha vida, escrever uma história com a ponta de um velho lápis que carrego, e depois passar cada capítulo a limpo com uma caneta permanente, onde aqueles antigos erros não poderão ser apagados quando tudo estiver cinza. 

Foi incrível saber que existe um mundo a minha espera lá fora, e que não é apenas o concreto de prédios e casas que alimenta uma cidade inteira, e que meu tempo aqui no blog estaria sendo reduzido a partir de agora. Existem tantas pessoas que tanto lutam para ter uma quantidade razoável de curtidas na foto do Facebook, ou aquele número de seguidores no Instagram que chega a ser banal a maneira com que lutam por uma posição nas redes sociais, ou para ter aquele status de famosinho, e quando penso, que por um segundo, eu lutei tão bravamente para alcançar esse propósito por pura vaidade, sinto que não me resta nada além de chorar o tempo perdido. 

Não vejo nada demais em querer alcançar mais números nos aplicativos que hoje fazem parte do nosso cotidiano, mas esquecer de viver por conta disso é uma idiotice sem limites, porque não são apenas curtidas e seguidores que alimentam o nosso espírito, e sim a essência de um mundo intocável esperando por nós em meio ao caos e a tempestade. E nessa reflexão, eu consegui entender finalmente o significado de horas e horas que passei online, sem um propósito em mente. 

Sim, eu ainda quero ter milhares e milhares de seguidores no Twitter, Instagram, Facebook, etc, porém eu quero jamais me esquecer que também há inúmeras músicas esperando para serem ouvidas, filmes incríveis que estarão em cartazes quando menos esperamos, livros que esperam serem abertos e absorvidos facilmente por nossas mentes em uma uma noite de chuva e o nosso chocolate quente for nossa melhor companharia. 

Comecei a escrever desde muito nova para aliviar dores e consertar um coração partido, que hoje bate silenciosamente pelo desejo de levar esperança, paz, e amor incondicional àqueles que sofrem, que precisam de um abraço, que lutam por uma causa, que enfrentam tempestades e que rezam por um dia melhor. E acho que agora em diante, esse será meu propósito, e o único que me fará ficar tanto tempo online enquanto faço questão de viver cada simples fase da vida com a intensidade que eu depositar. 

0 comentários:

Postar um comentário