Aquela paz que só você me trás

14 janeiro 2016

Por mais que o passado nunca volte, e que seja impossível redigi-lo, lute para aprender. Use cada decepção ao seu favor, e cada obstáculo como um degrau. Nunca reinvente sua vida na base da mentira. Jamais usufrua da desonestidade. A cada ato injusto, censurável e ilegal, o obscuro do mundo penetra instantaneamente no melhor que possa existir em você. 

Faça do seu mundo o melhor possível, e exceda o limite de qualquer regra. Um dia não faremos mais parte do que chamamos de agora, pois estaremos finalmente condenados ao pó, e apesar de não sermos donos de todo o dinheiro ou de todos os bens materiais do mundo, deixaremos para trás nossa herança, nosso fruto, nossa essência, nossas raízes. 

Haverá sempre aqui, uma parte de nós, e às vezes, não será a melhor. Será uma lágrima que decai em um compasso torturante, ou uma lembrança tragicamente inesquecível, ou um sentimento tão forte quanto o deslumbrante declínio do luar. 

Não importa quantas vezes respirem o nosso nome, seremos condenados por aquilo que deixamos para trás, pelo que será roubado quando partirmos. E haverá também aqueles que realmente morrerão, os esquecidos. Estes, pelo contrário, deixarão apenas o vazio de uma vida, o buraco negro da existência, a descrença e o ódio, a incerteza e a fome. 

Para os negativos, nascemos para morrer, e para os mais positivos, talvez sejamos mortos que finalmente nasceremos quando morrermos, aguardando o céu no próximo precipício. Não sabemos o que haverá no próximo livro, se sentiremos a dor, o pânico, o medo, a coragem, a audácia, a paixão, ou a bravura, mas então viva, e faça de cada segundo o mais intenso possível. 

Marque sua vida com pensamentos, ações e palavras que valham a pena de serem lembranças quando partir, pois é exatamente isto que estará no coração daqueles que hoje, fazem parte da sua história. Você não encontrará paz evitando a vida.
(TEXTO CRIADO POR LUANA GALDINO)

0 comentários:

Postar um comentário