Qual o nome da sua saudade?

31 janeiro 2016

Todos nós temos uma história a contar, ou a esconder, ou a deixar em oculta para o restante do mundo, mas sempre teremos algo a dizer, mesmo que seja em poucas palavras, mesmo que seja depois de um grito, ou antes de uma lágrima, sempre temos. 

E minha história começou quando eu ainda era a garota indefesa e ingênua de alguns tempos atrás, que não sabia diferenciar um coração partido de um sorriso sincero, e que jamais compreendeu o significado de uma paixão repentina e um amor duradouro, porém que mesmo assim, nunca esqueceu que era o amor que a mantinha viva o tempo todo.

Ninguém nunca me perguntou qual havia sido aquele motivo especial que me fez começar a escrever desde muito cedo, e por mais que não fosse importante rever o passado outra vez, era ensurdecedor ouvir as vozes dos meus próprios pensamentos dizendo que em cada palavra, cada verso, cada afirmação, e cada incerteza, esse motivo estava intricado no meio menos acessível do meu coração.

Ele era meu motivo, minha razão, até mesmo minha sanidade mais incontrolável, e o pior de tudo, era minha inspiração também. E ao invés de um sonho bom, era na verdade um pesadelo sem começo e fim, sem barreiras, sem regras, livre para voar, e liberto para partir quando bem entendesse, mas era o meu motivo.

Apenas meu. E desde sempre, ele se tornou meu personagem favorito, o dono de todos os meus textos, de todas as minhas histórias. Tentei tomar consciência do meu progresso, dos passos que dei, e o quanto avancei desde as primeiras linhas de textos que escrevi, e simplesmente acho incrível saber que apenas cheguei onde estou agora, no presente, por causa dele.

Não, nunca namoramos. E nunca fomos melhores amigos, porém as minha memórias mais antigas e remotas vivem remoendo o instante em que seus lábios tocaram os meus com a leveza das asas de um beija-flor, como se eu realmente fosse um, com uma frequência cardíaca de 120 batidas por minuto, pairando entre o aroma mais adocicado, e a beleza mais suave e singela.

Uma parte do meu passado começou a fazer sentido, enquanto meu futuro permanecia envolvido em um mistério quase infinito, e por mais que meu coração tivesse sido quebrado como vidro, a minha razão de escrever se tornou meu motivo para viver, e tudo se entrelaçou para sempre. Nunca entendemos porque algumas coisas acontecem conosco, ou porque outras deixam de acontecer, porém sempre existe uma explicação, como um quebra-cabeça sendo montado, consequências sendo reveladas, e caminhos sendo descobertos. 

Por todos os motivos que me fizeram não ter medo

26 janeiro 2016

Lembro de uma parte da minha infância como se fosse ontem, como se apenas tivessem se passado alguns meses desde então, e que as memórias são tão recentes quanto aquele gostinho de liberdade única e o frescor de não haver nada nos impedindo de sermos crianças para sempre. 

Mas a realidade sempre surge sufocando, e acaba com uma ideia, com um pensamento, quebra laços que jurávamos eternos, aniquila nossa maiores certezas, e tudo foge de nós como o vento indo embora, como um balão voando para longe, como um trem passando sem pausa e interrupção, e o passado ficando cada vez mais congelado no tempo, inalcançável para a gente. 

Quando eu estava na sétima série do ensino fundamental, uma parte de mim era cheia de desejos somente meus, e enquanto observava as pessoas ao meu redor com seus próprios medos e sonhos, percebia exatamente quais passos eu queria dar em direção ao futuro.

Minha amiga, uma das melhores na época, adorava conversar comigo sobre vídeo-game, e eu gostava muito de ouvi-la com tantas expectativas, afinal, nossa infância era isso, conversas, brincadeiras, risadas alegres, e nada mais, e ela sempre citava o jogo Resident Evil em nossos papos. Morria de vontade em chegar em casa, jogar minhas coisas sobre a cama, e ir jogar meu velho Playstation 3 durante minutos inteiros de distração, mas eu queria jogar justamente Resident Evil, só que existia um porém, eu morria de medo. 

Isso mesmo, medo. Não do jogo em si, mas do que existia dentro dele, medo de desvendar seu conteúdo, sua história, os inimigos, as surpresas em meio a trama, e eu nunca soube controlar esse medo, que na época soava até ridículo, porém um dia, quando já não aguentava fugir de um desejo que era tão meu, e que crescia lentamente, absorvendo cada obstáculo que o pânico construa, e desmoronando cada parede de concreto, eu tomei a decisão de jogar Resident Evil. 

Foi meio embaraçoso, meio desconcertante, e até mesmo fácil lutar contra uma incerteza tão grande, e no final, apenas uma decisão me tornou a pessoa mais corajosa se tratando de vídeo-game, e não é diferente no mundo real. Todos os dias, em todos os segundos, e em todas os 365 dias de um ano, a vida faz surgir um desejo diferente em nossos corações, seja escolher uma faculdade nova, ou começar a academia, ou iniciar uma dieta, ou conhecer um novo amor, ou dar uma chance a alguém que mereça, e deixar para trás as histórias que sempre fizeram parte da nossa vida para conhecer uma outra história que está de braços abertos para nos receber.

A vida é caixinha de surpresa, viva cada uma sem medo do que pode ter dentro. 
(CRIADO POR LUANA GALDINO)

Projeto 52x5

25 janeiro 2016

Eu prometi que não deixaria 2016 ser um ano qualquer na minha história, e por conta do meu desejo de realizar minhas wishlist cheias de inovação, inspiração, variedades e amor, passei os primeiros dias após o réveillon buscando novos desafios para conhecer lugares incríveis, pessoas especiais, aprimorar meus conhecimentos naquilo que amo fazer, e principalmente tornar cada semana de 2016 com um gostinho de simplicidade e alegria, olhar para trás e ver que cada instante valeu a pena. 

Encontrei vários projetos legais que estavam ao meu alcance antes de me tornar blogueira, mas hoje, navegando nas blogosferas conhecidas, (blog Depois que Crescemos) me deparei com um projeto que chamou minha atenção totalmente, e meus olhos brilharam quando percebi que estava tão ligando a escrita e reflexão, algo que me tornaria - com certeza - mais próxima dos leitores. 

O projeto é simples, e consiste em fazer uma lista com 5 coisas por semana respondendo aos 52 temas a seguir. Não tenho dúvidas de que vale a pena acompanhar a trajetória do seu ano com reflexões que podem mudar muita coisa ainda. 

Semana 2: Eu nunca...
Semana 3: Coisas pra se fazer no calor
Semana 4: Minhas citações preferidas são
Semana 5: Fazem parte da minha wishlist
Semana 6: Os super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super-herói seriam:
Semana 7: Eu sempre...
Semana 8: Os melhores filmes infantis que já assisti foram:
Semana 9: Pessoas que eu gostaria de conhecer/ter conhecido:
Semana 10: Minhas comidas preferidas são...
Semana 11: Meus brinquedos preferidos na infância eram:
Semana 12: Coisas pra se fazer no frio:
Semana 13: Fico sem graça quando...
Semana 14: Meus sites preferidos na internet:
Semana 15: O que há de pior no mundo virtual?
Semana 16: Isso, pra mim, não é diversão:
Semana 17: Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia: (filmes, livros, etc.)
Semana 18: Sinto saudades...
Semana 19: Meus seriados preferidos:
Semana 20: Fico de mau humor quando:
Semana 21: Meus piores defeitos:
Semana 22: Na minha geladeira tem que ter:
Semana 23: Coisas que me incomodam no mundo contemporâneo:
Semana 24: Casais preferidos: (filmes, seriados, livros)
Semana 25: Tenho aflição de:
Semana 26: Se eu pudesse trocar de profissão, eu seria:
Semana 27: Coisas legais para se fazer nas férias:
Semana 28: Minhas maiores "neuras" e manias são:
Semana 29: Filmes que me "falam ao coração":
Semana 30: Fico impaciente com pessoas que:
Semana 31: Quando não tenho nada para fazer, eu gosto de:
Semana 32: Ainda quero aprender:
Semana 33: Tenho medo de:
Semana 34: Livros que eu acho que todo mundo deveria ler:
Semana 35: Minhas piores compras foram:
Semana 36: Morro de preguiça de:
Semana 37: O que, de melhor, o mundo virtual te trouxe/traz?
Semana 38: Desculpe, mas eu acho brega:
Semana 39: Minhas melhores qualidades:
Semana 40: Meus "cheiros" preferidos são:
Semana 41: As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são:
Semana 42: Quer acertar no meu presente? Então me dê...
Semana 43: Músicas que eu não canso de ouvir:
Semana 44: Meus vilões preferidos são:
Semana 45: Lembra a minha adolescência:
Semana 46: Parece que todo mundo sabe ____, menos eu:
Semana 47: Quando estou apaixonado(a), eu...
Semana 48: Nunca tive coragem de...
Semana 49: Lugares no mundo que eu gostaria de conhecer:
Semana 50: Pessoas que eu admiro:
Semana 51: Coisas que me marcaram neste ano que está acabando:
Semana 52: No ano que vem eu quero:

Enquanto eu for realizando os desafios do projeto ao longo das 52 semanas, irei atualizando essa página, e assim vocês poderão acompanhar os posts, sem perder nenhum, e para não ficar tão bagunçado, vou postar todo sábado aqui no blog. Precisamos de inspiração e motivação para realizar coisas novas, para sairmos do convencional, para desvendar o horizonte, observar detalhes, amar ainda mais, e viver sonhos que nunca imaginamos que tivéssemos. 

A garota que continuou naquela janela

21 janeiro 2016

(Leia essa crônica ao som de James Blunt - You're Beatiful)
Seu coração disparou como um tiro ecoando através de um silêncio mortal e inconsciente, dizendo a uma multidão de expectadores que o começo estava ali, diante de seus olhos, pairando mais uma vez entre a linha tênue da linha de chegada e o fio do último segundo. 

Seus cabelos cumpridos e repletos de um brilho sistemático e bruto reagiam a ventania da velha casa com uma ilusão tão efémera quanto a imagem que inundava seus pensamentos a cada ritmo involuntário de seus batimentos. Era ele o motivo de tanta inquietação, era o deslumbre rápido e ao mesmo tempo constante de uma verdade que já não poderia fazer parte de seu presente, mas o seu futuro permanecia entre aquele olhar esverdeado e o sotaque paulistano que tanto gostava de ouvir. 

Por um segundo, ela fechou as pálpebras e tentou desprender as lágrimas para longe de si, para o extremo de seus olhos, para o limite de sua sanidade, porém uma parte de si entendeu que não valia a pena não se deixar desmoronar, que era muita infantilidade fingir que era forte tempo o suficiente para convencer o todo mundo que sua fraqueza era inexistente, e que para um recomeço não é necessário apagar os erros de uma vida inteira, basta querer escrever uma nova história. 

Mas porque isso não a reconfortava tanto? E porque seu coração ainda ardia em suas próprias dúvidas? Quando ela finalmente abriu os olhos, e enxergou mais do que apenas a extensão do céu nublado, servindo de um belo esconderijo para aquele horizonte ensolarado se esconder, entendeu que sua alma era reformada por um mistério que também era infinito, e às vezes, insuportavelmente oculto, e em outros instantes, ainda mais nublado, porém o brilho ainda estava lá, através de um véu de sentimentos incompressíveis, que ninguém jamais soube desvendar. 

E talvez todas as pessoas se escondam por trás de algo também, pensou a garota com a mente do tamanho do mundo, e alma parecida com a imensidão do mar. Anoiteceu naquele dia, enquanto a paisagem mudava e tudo se tornava ainda mais estranho e distante, mais difícil de ser decifrado, e mais fácil de ser esquecido, e então ela observou atentamente as estrelas, e cada uma dela murmurou apenas um juramento: o que é para ser, será. 

E por toda uma vida, aquela janela se tornou seu juramento, seu lugar de espera enquanto promete uma trégua a esperança que ainda a mantem ali, que ainda a faz crer que aquele olhar cheio de um verde milagroso ainda notará a nova tonalidade de seus cabelos, ou o sorriso espontâneo desprender de seus lábios com um misto único de satisfação, mas por enquanto, será apenas um dia de cada vez. 
(CRIADO POR LUANA GALDINO)

Quando é hora de se dar um tempo

17 janeiro 2016

As últimas semanas foram tediosas até o limite, e eu já não estava aguentando se quer mais um instante sem entrar no meu blog, e por um segundo, eu me senti normal demais para ser a garota que sonha em mudar as pessoas através de escritos e textos que sua própria alma escreve, seja por meio de risos ou lágrimas repentinas, eu acreditei finalmente que eu pertencia a alguma parte do mundo, e que meu mundo aqui havia se desintegrado por completo. 

Mas eu só fui viver a minha vida, escrever uma história com a ponta de um velho lápis que carrego, e depois passar cada capítulo a limpo com uma caneta permanente, onde aqueles antigos erros não poderão ser apagados quando tudo estiver cinza. 

Foi incrível saber que existe um mundo a minha espera lá fora, e que não é apenas o concreto de prédios e casas que alimenta uma cidade inteira, e que meu tempo aqui no blog estaria sendo reduzido a partir de agora. Existem tantas pessoas que tanto lutam para ter uma quantidade razoável de curtidas na foto do Facebook, ou aquele número de seguidores no Instagram que chega a ser banal a maneira com que lutam por uma posição nas redes sociais, ou para ter aquele status de famosinho, e quando penso, que por um segundo, eu lutei tão bravamente para alcançar esse propósito por pura vaidade, sinto que não me resta nada além de chorar o tempo perdido. 

Não vejo nada demais em querer alcançar mais números nos aplicativos que hoje fazem parte do nosso cotidiano, mas esquecer de viver por conta disso é uma idiotice sem limites, porque não são apenas curtidas e seguidores que alimentam o nosso espírito, e sim a essência de um mundo intocável esperando por nós em meio ao caos e a tempestade. E nessa reflexão, eu consegui entender finalmente o significado de horas e horas que passei online, sem um propósito em mente. 

Sim, eu ainda quero ter milhares e milhares de seguidores no Twitter, Instagram, Facebook, etc, porém eu quero jamais me esquecer que também há inúmeras músicas esperando para serem ouvidas, filmes incríveis que estarão em cartazes quando menos esperamos, livros que esperam serem abertos e absorvidos facilmente por nossas mentes em uma uma noite de chuva e o nosso chocolate quente for nossa melhor companharia. 

Comecei a escrever desde muito nova para aliviar dores e consertar um coração partido, que hoje bate silenciosamente pelo desejo de levar esperança, paz, e amor incondicional àqueles que sofrem, que precisam de um abraço, que lutam por uma causa, que enfrentam tempestades e que rezam por um dia melhor. E acho que agora em diante, esse será meu propósito, e o único que me fará ficar tanto tempo online enquanto faço questão de viver cada simples fase da vida com a intensidade que eu depositar. 

Aquela paz que só você me trás

14 janeiro 2016

Por mais que o passado nunca volte, e que seja impossível redigi-lo, lute para aprender. Use cada decepção ao seu favor, e cada obstáculo como um degrau. Nunca reinvente sua vida na base da mentira. Jamais usufrua da desonestidade. A cada ato injusto, censurável e ilegal, o obscuro do mundo penetra instantaneamente no melhor que possa existir em você. 

Faça do seu mundo o melhor possível, e exceda o limite de qualquer regra. Um dia não faremos mais parte do que chamamos de agora, pois estaremos finalmente condenados ao pó, e apesar de não sermos donos de todo o dinheiro ou de todos os bens materiais do mundo, deixaremos para trás nossa herança, nosso fruto, nossa essência, nossas raízes. 

Haverá sempre aqui, uma parte de nós, e às vezes, não será a melhor. Será uma lágrima que decai em um compasso torturante, ou uma lembrança tragicamente inesquecível, ou um sentimento tão forte quanto o deslumbrante declínio do luar. 

Não importa quantas vezes respirem o nosso nome, seremos condenados por aquilo que deixamos para trás, pelo que será roubado quando partirmos. E haverá também aqueles que realmente morrerão, os esquecidos. Estes, pelo contrário, deixarão apenas o vazio de uma vida, o buraco negro da existência, a descrença e o ódio, a incerteza e a fome. 

Para os negativos, nascemos para morrer, e para os mais positivos, talvez sejamos mortos que finalmente nasceremos quando morrermos, aguardando o céu no próximo precipício. Não sabemos o que haverá no próximo livro, se sentiremos a dor, o pânico, o medo, a coragem, a audácia, a paixão, ou a bravura, mas então viva, e faça de cada segundo o mais intenso possível. 

Marque sua vida com pensamentos, ações e palavras que valham a pena de serem lembranças quando partir, pois é exatamente isto que estará no coração daqueles que hoje, fazem parte da sua história. Você não encontrará paz evitando a vida.
(TEXTO CRIADO POR LUANA GALDINO)

7 blogs para se inspirar em 2016

02 janeiro 2016

É fácil renovar nosso guarda-roupa, não é difícil renovar nossos esmaltes mais antigos, e não é impossível renovar a decoração do nosso quarto, mas renovar outra vez a vida é uma tarefa que exige muito de nós, mais do que podemos oferecer, só que quando estamos acompanhados, ao lado de alguém que mesmo estando afastado por metros e metros de distância, sempre está presente. 

É assim que eu me senti ao acompanhar alguns blogs em 2015, e ao longo dos meses, acabaram se tornando especiais, e  agora são meu segundo lar, ou pela maneira simples de expressar sentimentos, ou pela intenção de levar paz e esperança aos leitores, ou pelo desejo de compartilhar conhecimento através de dicas e tutoriais, ou por serem uma inspiração para o restante do mundo. 

Então, por conta da minha paixão secreta por alguns blogs, resolvi criar esse post para compartilhar os meus cantinhos favoritos, que fazem da blogosfera um lugar ainda melhor, ainda mais divertido e inspirador, e principalmente um lugar para tornar a tarefa de renovar a vida outra vez uma verdadeira obra de arte.

A Juliana, mais conhecido por Ju, é formada em psicologia, e criou o blog PersonalidARTE em forma de tumblr para mostrar ao mundo sua arte, contar as histórias favoritas daquilo que viveu, responder perguntas no papo secreto, e escrever sobre as coisas que acredita e ama. Tenho certeza que dedicar o tempo para dar uma olhadinha em seu trabalho vale muito a pena, pois não tem como não amar alguém que luta tanto para tornar o mundo um lugar mais colorido e gentil.




Entre Todas as Coisas é o espaço dedicado aos escritos de Daniel Bovolento, um jornalista de comportamento em mesa de bar - segundo suas palavras - e publicitário formando pela UFRJ, e que vive citando o amor em todos os assuntos que aborda no blog, desde relacionamentos, até listinhas com seus temas favoritos, além de ser um amante de séries e filmes, que não consegue imaginar seus dias sem música e chocolate, e aonde for, leva um livro em sua mochila como melhor companhia. 


Papo Garota é aquele blog que você entra uma vez e não consegue mais sair, e quando sai, fica ansioso para a próxima visita, pois cada detalhe do espaço parece envolver as mais criativas sugestões, e as ideias mais diferentes e originais. Criado por uma jornalista e fashionista que parece ter uma opinião formada sobre tudo, Camila Marinho, não deixa de encontrar ótimos motivos para continuar com as postagens e vídeos que fazem tanto sucesso na blogosfera. 

Um dos detalhes que mais chamou minha atenção nesse blog foi a criatividade usada pela Danny ao criar o nome do seu cantinho, Quatro Estações, depois de tantas tentativas, e parece mais uma mistura de chuva de verão, com o florescer da primavera, com o gostinho do frio de inverno, e o convite de renovação do outono, mas na verdade, é apenas uma mistura das coisas que ama e que fazem parte do seu cotidiano, e agora lá, é possível encontrar tudo sobre relacionamento, maternidade, saúde, beleza e indispensáveis que não podem faltar. 

Coisas de Blogueira parece entender as necessidades de qualquer iniciante no mundo da blogosfera, e o mais impressionante é que os assuntos não são apenas focados em HTML e Tutoriais, pois o espaço conta com a colaboração de blogueiros que se dedicam diariamente com postagens exclusivas que abordam os temas mais variados possíveis, e dão um gostinho especial aos leitores. Que tal se deixar influenciar pelas sugestões e dicas que são preparadas com tanto amor a nós?

Isso não é um Diário é um blog de textos de ficções, e Karine Rosa deixa isso bem claro desde o começo, não é sobre ela ou sobre seu ex-namorado, porém mesmo assim, as palavras que escreve parecem ser cheias de sentimentos que não são seus, e que todos os leitores se identificam, além de crônicas que inspiram as pessoas a verem um mundo por uma perspectiva diferente, sinceramente, não existem palavras o suficiente para descrever meu carinho pelo blog, torço para que as postagens continuem atraindo olhares curiosos, e que nunca percam a essência. 

7. Depois dos Quinze 
E não tinha como deixar de fora meu amor incondicional por cada detalhe desse blog, e sem sombra de dúvida, não há como não falar da influência da Bruna Vieira, não aqui só no Brasil, mas no mundo inteiro, pois a maneira como dedica seu tempo nas postagens, em torná-las tão especiais e incríveis com um conteúdo excelente e original, vale a pena conhecer sua história, e se deliciar em suas aventuras que mais parecem roteiro de filme, conheça a garota que venceu a timidez, superou as mais loucas desilusões amorosas e que deu oportunidade ao blog para superar as maiores dificuldades na adolescência, é simplesmente incrível. 

Até o próximo post. Beijão.
(CRIADO POR LUANA GALDINO)