Sobre as mudanças (desabafo)

30 março 2017

Dessa vez, eu não tô desistindo, embora seja difícil falar sobre isso, encontrar as palavras certas não é uma tarefa fácil, mas logo de cara eu tô avisando que não tô abrindo mão.

Nesses últimos meses, eu finalmente pude ter a certeza de que não é ruim mudar de ideia, de pensamento, de ideologia. Não existe nada de errado em reformular o que você acredita ser certo e as conclusões que você tira a partir disso, porque os tempos mudam, as realidades mudam, e afinal, mudanças não são tão ruins assim, claro que não, mas às vezes não estamos preparados para recebê-las, e para isso, é necessário abandonar certas coisas, deixar outras para trás e seguir em frente com apenas algumas coisas na bagagem. 

Embora eu tenha uma infinidade de textos no rascunho, deixei para trás a vontade de terminá-los. Eu queria dizer que a culpa é a minha falta de tempo, a correria do dia a dia de uma pessoa que precisa revisar milhares de conteúdos para uma prova que só vai acontecer no final do ano, mas eu não posso colocar a culpa nesses fatos, porque assim como as coisas mudam, nós também mudamos. E eu mudei, e ainda estou nesse processo de mudança. 

Digamos que eu fui perdendo os meus velhos interesses, e comecei a dar valor a outras coisas. Todas aquelas coisas pelas quais eu era apaixonada (aqueles assuntos, sabe?) foram perdendo o seu significado, e de repente, elas não se tornaram mais necessárias. Infelizmente escrever sobre sentimentos, amores e romances, crônicas e textos, é algo que está, aos poucos, deixando de ser uma necessidade. Eu nunca vou abandonar a escrita, mas já não estou me identificando com as coisas que escrevo, não mais. 

Porque, por ORA, eu cansei disto. E a gente cansa de sempre ouvir as mesmas músicas, frequentar os mesmos lugares, ler sempre os mesmos assuntos, de sempre fazer a mesma coisa, mas a gente nunca cansa de um amor, e esse amor é a escrita, mas eu já cansei de todas as outras coisas que venho dizendo no blog. Nunca quis que isso acontecesse, mas aconteceu. 

No meio de todo esse caos que a vida é, no meio de toda essa realidade turbulenta que vivemos, eu tô dando um tempo pro blog e pra muitas outras coisas também. Sei que muita gente acompanha os textos que são postados, e sei que o número de acessos cresceu muito nos últimos meses, e tenho plena consciência do quanto as minhas palavras podem mudar a vida de alguém, mas algumas mudanças precisam acontecer, e eu não posso mais adiá-las. 

Eu juro que isso não é um adeus, é apenas um até breve. Mas nesse meio tempo, eu vou mudar todos os móveis de lugar, mudar o modo como costumo olhar as coisas ao meu redor, não inventar sentimento onde não tem. Maior do que o meu medo de mudanças, é a ideia de nunca mudar, afinal, conhecimento é progresso, e isso me permite enxergar as coisas de uma maneira diferente, que às vezes nem sempre vai ser bom, pode ser algo simplesmente triste. 

Quem sabe eu não passe por aqui como uma simples visitante, com hora certa de entrar e sair, só pra tomar um cafezinho e contar as novidades da semana, como aqueles amigos que se esbarram por aí de vez em quando. Isso só o tempo dirá. 

Espero que entendam.
Obrigado por sempre estarem comigo. 
Até breve. 

Eu quero voltar pra casa

16 março 2017

Eu quero me encontrar no silêncio da noite e não ter medo do que pode vir. Do que sempre vem. Os meus fantasmas sempre me atormentam, me aprisionam em pensamentos negativos e provam que aqui dentro já não existe mais tanta coragem. Eu fecho olhos e me encontro agarrada a lembranças ruins, revejo todos os cortes, todas as marcas que meu corpo carrega. Bebo mesmo sem querer uma dose de solidão e desespero a cada tentativa vã de sair dessa bolha. É algo que me puxa, me empurra, me embrulha e não quer soltar. É feito chiclete que gruda na sola do sapato e incomoda, tira a paciência, que quanto mais se tenta tirar mas pegajoso fica. 

Eu quero voltar pra casa, respirar aliviado por saber que não estou só. Quero voltar ao aconchego dos braços de quem tanto me ama, dos abraços que me seguram, me protegem e me acalentam a alma. Quero refazer o percurso que me trouxe até aqui e descobrir em que esquina eu dobrei errado. O caminho parecia certo, mas as minhas certezas sempre tão incertas me levaram ao local errado. Não era aqui que eu deveria estar. Perdi muito de mim pelo caminho, vi o vento levar as verdades que eu jurava conhecer e me assustei quando percebi que eram mentiras disfarçadas.

Uma xícara de café preto bem amargo, por favor. Estou precisando acordar. Já não aguento mais todo esse frio, todo esse vazio que me cerca. Quero voltar ao início e encontrar meu coração que tanto se alegrava com as pequenas coisas, que acreditava que tudo era possível. Aquele ser que dava a cara a tapa, e lutava e amava com todas as forças. Que não tinha medo, que se jogava em mares profundos mesmo sem saber nadar. Quero voltar algumas quadras e te reencontrar, me fazer morada naquele corpo tão saudável, de mente e espirito, físico. Eu quero voltar a minha casa, me agarrar as boas lembranças e recomeçar mais uma vez.

O trem está de partida e me chama, dessa vez não posso perder a viagem. Só mais uma tentativa de fazer valer a  pena essa vida. Estou voltando para onde eu jamais deveria ter saído. Da minha casa, do teu coração, do meu lar, da minha fortaleza. Estou indo em busca da criança feliz, que se esconde debaixo de toda essa confusão, que se faz ainda pequena diante desse mundo gigante. Da menina que ainda se assusta com as pedras no caminho, mas consegue sorrir entre um tropeço e outro. Eu quero voltar pra casa... eu estou voltando pra você.

- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais:

Foi você que me deixou ir

13 março 2017

Se você tivesse me impedido, eu juro que teria ficado, mas tem uma hora que cansa, sabe? Pela milésima vez, eu ameacei ir, mesmo sabendo que eu deixaria um buraco enorme no lugar que você costumava ocupar aqui no peito. Não te vi lutando por mim, mas eu me vi abrindo mão de muitas outras coisas na minha vida só pra estar com você em qualquer dia da semana. 

Eu teria sentado pra conversar mais uma vez, tentado resolver as coisas como pessoas civilizadas, achado um motivo que me fizesse acreditar que dessa vez seria diferente. Mas você não me impediu. Lembro que você não disse nada. Cê achou que se eu fosse embora, as coisas seriam mais fáceis, mas aconteceu exatamente o contrário. Na hora você nem percebeu que talvez eu nem voltasse, você achou que me deixando partir, eu teria um motivo pra voltar, mas eu não tive, porque você não fez nada pra me convencer a dar outra chance. 

Eu saí por aquela porta com todas as malas na mão, fingi ser forte quando eu apenas queria desabar. Fui embora sabendo que você se arrependeria, mas eu não disse nada. Enquanto você estivesse em conflito, estivesse vivendo uma tremenda confusão dentro do peito, eu não sei se valeria a pena ficar, porque eu percebi naquele seu olhar um momento de fraqueza, um instante que te fez pensar na nossa história juntos. 

Tive medo de você ter se arrependido daquele nosso primeiro encontro, daquela vez em que você segurou a minha mão pela primeira vez, daquele nosso primeiro beijo, daquela primeira transa. Quase morri de medo de você ter se arrependido de tudo o que viveu do meu lado, dos erros que cometemos juntos, das falhas que tentamos mudar, de tudo que chegou a fazer parte de nós. 

Por isso um segundo, você deve ter achado que seria melhor se esquecer de tudo isso, porque quando cê me deixou ir, sem tentar contestar, gritar, fazer birra ou bater o pé, você perdeu pra sempre uma parte de mim que jurou ser sua, você me deixou ir tão facilmente que não adianta querer consertar o erro, porque cê fez a sua escolha: você me deixou ir. 

Duolingo: aprendendo inglês pelo aplicativo

10 março 2017

Instalei há alguns meses o Duolingo no celular após ouvir tantas pessoas recomendado o aplicativo, porém com muita frequência vejo as pessoas se perguntando se ele realmente é eficaz para aprender um novo idiota. Sabemos que existem pessoas que tem uma facilidade absurda de aprender inglês, enquanto para outras isso pode ser uma tortura (no meu caso, por exemplo), mas posso dizer com toda a certeza que o aplicativo realmente é útil, depois de toda a experiência que venho tendo, vejo os resultados que estou obtendo. 

Porém não é tão simples assim. Aprender um novo idioma exige muito treino, e para fixá-lo na mente é preciso se dedicar todos os dias para isso, e com o Duolingo isso é mais que possível. O aplicativo funciona em formato de jogo, e à medida em que você vai treinando, os níveis seguintes vão sendo desbloqueados, lembrando que primeiro aprendemos o básico e depois vamos progredindo. 

O aprendizado é dividido em "bloquinhos de assuntos", como por exemplo, animais, comida, conjunções, etc, e você sempre pode voltar aos assuntos anteriores para reforçar o que já foi aprendido e também para não correr o risco de esquecer. Mas não se engane ao depositar todas as fichas em um só lugar, o Duolingo não vai te fazer ficar fluente, mas vai te dar uma boa base para se aprofundar, afinal, existem milhares de jeitos de aprender inglês. Acredito que o importante é buscar outros métodos eficazes, estudar através de meios diferentes, como por exemplo, a partir da música, ou assistindo seriados em inglês, legendados, etc. 

Até mesmo pelo YouTube, através de vídeo-aulas ou dicas de canais que auxiliem no aprendizado do idioma, porém cabe apenas a nós irmos atrás dessa tipo de conteúdo. Super indico o Duolingo para todas as pessoas que tem dificuldade de aprender inglês o qualquer outro idioma, pois é uma maneira divertida e descontraída de estudar sem ser cansativo ou exaustivo, e também indico para quem quer testar o seu nível de inglês ou apenas reforçar o que já foi aprendido anteriormente. Vale muito a pena dedicar alguns minutos do seu dia para o aplicativo, tenho certeza que você pode se surpreender com o resultado. 

Olha ela indo embora, cara

08 março 2017

Você deveria ter lutado mais, só que agora não adianta chorar pelo leite derramado. Eu sei que lá no fundo cê deve tá sentindo o coração menor, batendo num ritmo que desconhece só porque agora o pedaço que ela costumava ocupar é apenas um grande vazio aí no seu peito. Ninguém tá te culpando, mas é a regra: quando você perde a oportunidade de valorizar alguém que é importante na sua vida, sempre vai existir alguém disposto a valorizar essa chance por você. 

Você já pode ir se despedindo de todos os momentos que passaram juntos. Não vai adiantar mandar mensagem de madrugada falando que sente falta, ou que a cama vai ficar grande demais quando ela não estiver mais do seu lado, porque você deu todos os motivos pra ela ir embora, e foram tantas as razões pra ela  se cansar das suas desculpas e da sua falta de tempo que ela preferiu seguir com a sua vida sozinha do que continuar escolhendo você pra ser o seu companheiro dela. 

Olha a idiotice que você fez, cara. Onde já se viu brincar com uma garota que não pensou duas vezes antes de se apaixonar por esse sorriso de canto e esse olhar que penetra na alma? Nem se você vivesse mais mil anos teria outra chance de encontrar uma garota como ela. 

Mas agora é tarde, porque amanhã ela não vai voltar correndo pra te ver, não vai ter aquela mensagem de boa noite que ela nunca esquecia de mandar, nem aquele bom dia que era mais um aviso de que você era o primeiro pensamento que vinha a mente assim que ela acordava. Não vai ter mais nada dela, apenas a saudade que ela vai deixar, o perfume que você não vai mais vai sentir, a boca que você nunca mais vai poder beijar, e o abraço que vai estar distante demais pra sentir outra vez, aquele abraço era o seu porto-seguro e você nem sabia, nem fazia ideia que você gostava tanto de quando ela se concentrava pra ouvir as suas reclamações do chefe que pegava no seu pé, ou do professor que vivia passando trabalho pra fazer no fim de semana, poderia ser a coisa mais boba, mas ela parava qualquer coisa que estivesse fazendo só pra te ouvir. 

Ela te aceitou com todas as suas falhas e fraquezas, mas ela não suportou ser a sua segunda-opção enquanto você optava por ter o mundo todo na palma da sua mão ao invés de dar uma chance de verdade pra darem certo. Você a fez ir embora quando cada célula do corpo dela queria ficar. Parabéns cara, agora só resta olhar ela finalmente desistindo de você. 

5 coisas importantes que aprendi nesses últimos anos (e sobre meu aniversário)

07 março 2017

Me lembro como se fosse ontem daquela garotinha inocente e insegura entrando no ensino médio, e nem parece que foi há um ano que me formei. Também não acredito em como esses últimos anos passaram voando, de um jeito que nem dá pra falar. Com todos os seus altos e baixos, a vida me ensinou inúmeras lições que até hoje tento levar comigo, mas é difícil pensar em todas as coisas boas quando aqueles momentos inesperadamente ruins aparecem. 

Finalmente 19 anos. Apenas tenho a agradecer por tudo o que vivi, desde aqueles instantes que parecia que o mundo estava desabando, mas que era apenas um daqueles meus dramas que ninguém além de mim entendia. Tenho que ser grata também por tudo o que conquistei, mesmo que às vezes eu esqueça de todos os esforços que fiz, dizer um grande obrigado pela garota que eu me tornei, mesmo que de vez em quando eu esqueça das qualidades e valores que eu tenho. 

Se tornar adulto, e receber uma mala cheia de responsabilidades, contas, dívidas e qualquer outra coisa que tire a gente do sério, não é fácil. Mas sempre existe o lado bom de tudo, até mesmo naqueles instantes em temos a sensação de não haver luz alguma no fim do túnel, mas se lidarmos com a vida da maneira certa, acabamos nos tornando essa luz. 


Cada coisa tem o seu tempo 

A maioria das pessoas sofrem de um mal chamado ansiedade e/ou imediatismo, mas o que adianta morrer de antecipação por algo que ainda está longe? Cada coisa em nossa vida acontece em seu devido tempo, no momento certo e quando você estiver preparado, mas ainda assim é difícil repetir a si mesmo que talvez não aconteça quando você quiser, e sim na hora certa. Não adianta antecipar o que tem data certa pra acontecer porque só você não tem paciência, ou porque é imediatista.

Pensar positivo é sempre melhor

Quantas vezes tivemos que reprimir aquele pensamento negativo que surgiu depois de uma notícia ruim ou quando você foi pego desprevenido por alguns dos seus planos que deram errado? Eu já perdi a conta de quantas vezes me obriguei a pensar de uma maneira diferente antes de atrair aqueles pensamentos ruins e negativos, que apenas te deixam pra baixo, e te arrastam para um sentimento de falta de esperança. Ver o lado bom da vida sempre vai te encher de belos motivos para continuar. 

Procrastinar não vale a pena

Precisei de anos para finalmente entender que deixar as coisas para depois vai te causar alguma dor de cabeça no futuro, ou algum arrependimento posterior, porque é aí que percebemos que a vida passou rápido demais e você fica com a sensação de que deveria ter feito mais, que poderia ter aproveitado melhor e ter investido em projetos que trariam ótimos resultados. Uma hora a gente aprende a sair dessa zona antes que ela vire apenas conforto. 

Ler realmente é importante

Livros são essências para qualquer entendimento, e quando temos contato com alguma obra literária, seja de qualquer gênero, autor ou tamanho, a leitura é capaz de moldar a nossa personalidade, de transmitir uma mensagem, e de aumentar o nosso conhecimento, além de contribuir para a nossa criatividade e facilidade com a leitura. Ler abriu o meu olhar para o mundo, e a minha visão crítica para as coisas que acontecem na sociedade e na vida das pessoas, porque os livros me ajudaram a entender grande parte de tudo o que vivemos. 

Amar o que for essencial

Tanta gente se prende a bens materiais, a sua conta da poupança, e a tudo o que o dinheiro é capaz de comprar, mas será que super valorizar isso realmente é sinônimo de felicidade e prazer? Talvez não seja, já que o dinheiro não é capaz de comprar o que é essencial de verdade, como por exemplo, um abraço sincero de alguém que você ama, uma companhia que te faça se sentir feliz, uma declaração de amor verdadeiro; aprendi que precisamos amar as coisas simples que a vida nos dá de graça, os detalhes que mudam a nossa semana que nenhum valor material é capaz fazer. 

Te amar não foi certo

03 março 2017

Eu já não consigo definir o que é certo ou errado. Quando cê apareceu, a minha vida mudou de cabeça pra baixo, parece que deu aquele giro de 365° graus, sabe? Eu não sei onde estava com a cabeça quando insisti em te dar aquela chance, passei por cima de toda a minha família, ignorei o conselho das amigas que viviam dizendo que você era problema e que eu merecia alguém melhor, é claro que na época eu não ouvi nada disso, porque tudo entrou por um ouvido e saiu pelo outro. 

Mas a verdade era que você nunca me quis na sua vida de verdade; eu era mais um daqueles jogos que você joga até se enjoar, até perder a graça e ir atrás de outro enquanto eu dava importância demais pra todo esse sentimento, e tudo pra quê, se no final eu acabei saindo de toda essa nossa história com um pedaço da minha vida faltando. 

Depois de você, eu tive que organizar cada bagunça que você me causou, fui obrigada a reviver uma desilusão tão grande que eu perdi a fé nas pessoas, achei que qualquer um que viesse demais de você, acabaria fazendo o mesmo, cometendo as mesmas falhas, e me magoando da mesma maneira, quem sabe até em dobro. 

Meu erro foi ter lutado por nós quando o mundo inteiro estava contra, e no final eu acabei percebendo que eram as pessoas que estavam certas: a gente não daria certo juntos. Me arrependi dos sacrifícios que tive que fazer quando eu só deveria ter tentando fazer as coisas por mim ao invés de gastar as minhas forças com alguém que nunca se importou. 

Não fui eu a mulher que te fez ser diferente, e acho que nenhuma outra vai conseguir, afinal, é você nunca quis mudar o seu jeito, jamais pensou nas consequências que os seus erros trariam pra sua vida e pra minha, levou tudo na brincadeira como um jogo. Não tem como voltar atrás, não tem como apagar o passado e fingir que você nunca existiu, porque eu sempre vou ter a certeza de que te amar não foi certo, e jamais vai ser. 

Que eu me refaça

01 março 2017

Tá doendo tanto aqui dentro que muitas vezes tenho a sensação de estar morrendo aos pouquinhos. E talvez eu esteja, sempre ouvi falar que morrer de amor é renascer para um novo amor; que seja isso então. Que eu morra assim, que meu coração sofra o que tiver que sofrer, que eu chore o quanto for preciso, que eu remende os curativos pelo tempo que for, mais que eu reviva, dessa vez, pronta pra me jogar num oceano de reciprocidade. E que eu me afogue, suma por uns tempos, viva de verdade, aprenda a dar valor a quem de fato merece, que eu cure os joelhos, a alma e o coração. Que eu me refaça, mas tudo isso por mim e não por você. 

Que eu reaprenda a sorrir, a confiar mas em mim que nas opiniões alheias. Que eu desfaça todos os nós com as pessoas que já não me fazem bem. Que eu não tenha vergonha de assumir que chorei, esperneei, bati o pé por algo que no fundo eu sabia que não valia a pena. Que eu entenda que às vezes a gente precisa deixar desabar pra poder se reconstruir. Que eu aprenda a largar mão de coisas e pessoas que pesam a minha vida. Que eu amadureça, cresça e tome vergonha na cara para não cometer os mesmos erros, mas se ocorrer de errar novamente que pelo menos eu esteja preparada para as consequências. 

Que o meu coração pare de viver por você e volte a ser só meu e eu, volte a ser quem eu era antes de te conhecer. Que a tua presença se torne lembrança, sem mágoas, ódio ou rancor. Que as minhas mãos possam dedilhar outros mundos e que meu corpo se aconchegue em outros abraços. Que eu olhe para trás com um sorriso no rosto, sem fingimentos, com a certeza de que algo no meio de toda essa bagunça foi bom. Que eu esteja aberta a novas aventuras, amores e sonhos. Que eu mude de opinião o quanto for necessário e acima de tudo que eu seja feliz sendo a pessoa que sou, alguém que não precisa fingir, a pessoa que sempre morou dentro de mim. 


- Victória Dantas
Me acompanha nas redes sociais: